24 jul 14
casa craft
Arte de parede feita com tear de papelão
por Andrea

tear_abre

Hoje o assunto é tear! Difícil acreditar que que em todos estes anos de blog nunca falamos sobre tecelagem manual. Mas vamos corrigir  isso hoje pois tecer é algo muito bacana e que tem muito pertencimento ao mundo craft. Pode ser uma porta de entrada para várias outras técnicas artesanais.

Existem muitos tipos de teares como o de pregos com agulha de crochê, de pente liço… Mas para começar vamos olhar para um tear bem simples. Nada de teares enormes que ocupam uma sala inteira, muito menos os complicados de manejar. Hoje vamos falar de um tearzinho bebê, feito com…. caixa de papelão! E vamos usá-lo para fazer um enfeite de parede que é um pequeno tapete colorido – objeto que tem dado as caras em vários sites de decoração DIY. Um item simpático, simples de fazer e dá um ar ‘folk’ (aka hippie, só que legal) naquela parede que precisando de um ‘tchans’  colorido- alô objetos anos 70 voltando a toda na décor.

Hoje a gente ensina o básico pra você aprender. Depois é só compor frestyle e criar um tapetinho que seja a sua cara. As possibilidades de misturar cores e texturas são infinitas dá para brincar muito com esta técnica!

Dá um play em qualquer uma dos Novos Bahianos e vem tecer:

materiais1

Estes são os materiais para o tear, aposto que você tem tudo em casa. A agulha de tricô grossa é opcional e pode ser substituída por um palito de sorvete ou algo similar.

materiais2

Escolha com carinho os fios que vão compor o seu tapetinho. Qualquer sobra serve pois não vamos pouca quantidade de cada fio. Um dica para iniciantes  que não querem ousar logo de cara é escolher uma cor de base neutra como o cru e ir aplicando pequenas áreas de cores contrastantes ao longo do trabalho. Dá um super efeito combinar fios de diferentes texturas, dos mais finos aos mais grossos. Use fibras sintéticas mas as naturais como lã pura e algodão deixam o seu trabalho com um look mais bonito.

tear1e2

Com a régua, marque o seu retângulo de papelão com intervalos de 1 cm. Faça isso nos dois lados menores do retângulo.

Com a tesoura, faça piques nos pontos marcados nos dois lado menores, conforme mostra a foto.

tear3

Depois de marcado e cortado, o seu tear deve ficar assim!

Vamos primeiro montar o urdume que são os fios de base que vão dar a sustentação da sua peça.

Separe um barbante de espessura mais finos e enrole-o passando por trás de cada um dos dentes da parte de cima e o correspondentes na parte de baixo, fazendo um vai e vem com o fio. O meu urdume ficou com 14 fios do lado direto.

Repare que a parte de trás do papelão deve ficar como mostra o detalhe da foto, com um anel de barbante envolvendo ‘dentes’ alternados.

tear4

É uma boa ideia colar a ponta do barbante com fita adesiva na parte de trás, para não atrapalhar na tecelagem.

tear5

Hora das franjas! Elas são opcionais mas acho que complementam bem o tapetinho e aumentam bastante a altura da peça. No meu caso dei três voltas 36 cm no barbante. Dobrei ao meio e ficou com 18cm. Fiz 7 pingentes no total para formar as franjas.

tear6

Enfie o barbante dobrado entre o primeiro par de barbantes do urdume, conforme a foto, segurando o seu pingente. Aperte o nó para fixá-lo no urdume.

tear7

Repita mais 6 vezes, colocando um pingente  em cada par de fios do urdume. Logo mais voltamos novamente as franjas, por enquanto vamos deixá-las quietinhas no seu lugar.

tear8

Insira a sua agulha de tricô, passando um fio por cim e outro por baixo do urdume. Continue alterando até passar por todos os 14 fios.

tear9

Hora de tecer! Escolha o fio que será a primeira cor do seu tapetinho. Agora com ajuda da agulha de tapeçaria passe o fio, alterando sempre os fios do urdume.

tear10

Para fazer a segunda carreira é só alternar a passagem tanto na vertical como na horizontal.

tear11

Um close para ver direitinho como deve ficar a trama. Percebe como os fios da primeira e segunda carreira ficam alternados tanto na vertical como na horizontal? É esta alternância que vai criar uma trama fechada que segura as carreiras no urdume.

É super importante não puxar demais na hora de tecer os fios pelo urdume, principalmente nas laterais para o seu tapetinho fique o mais reto possível e sem deformações. Tente deixar todos os intervalos com o mesmo tamanhos de 1cm enquanto estiver tecendo.

tear12

Continue tecendo com a primeira cor até atingir o tamanho desejado. Quando terminar corte o fio deixando uma sobra solta de 5 cm na lateral. Fica tranquila que no final faremos o arremate ;).

tear13

Para trocar de fio basta deixar mais uma vez uma sobre de 5 cm e começar a tecer. Eu usei um fio grosso e para dar este efeito ‘pipoca’ e enrolei dando uma volta em torno de cada barbante do urdume. Repare que, como era bem grosso, o fio não coube na minha agulha. Usei os dedos para tecer.

mosaico1

Continue compondo, alterando fios de diferentes cores e espessuras para tecer as carreiras. Dá para viajar bastante nesta etapa, experimente freestyle e crie à vontade!

tear14

Quando atingir o tamanhos desejado solte os fios do urdume do tear e dê nozinhos assim como na foto, em pares. Eu aconselho deixar um pouco mais de sobra no parte superior para dar o nó com mais facilidade. Me empolguei acabei tecendo bem próximo ao topo e sobrou pouco barbante para dar o nó na parte superior ;).

tear15

Hora do acabamento. Com a ajuda da agulha, passe as pontas dos fios que sobraram para trás, escondendo-os na trama de modo que não apareçam na frente. Apare as sobras com a tesoura.

tear 16

Hora de dar um trato nas franjas que até então estavam quietinhas, só esperando a vez.  Corte as pontas que estavam fechadas com a tesoura e  apare igualando o comprimento, se necessário.

tear17

Um detalhe totalmente opcional! Dê nozinhos de macramé nas franjas, alternando 3 fios de cada franja em pares.

mosaico2

Para pendurar é legal colocar um galho ou um pauzinhos de madeira na parte superior para deixar o tapetinho esticado. No meu ficaram pequenas argolas na parte de cima então enfiei um galho direto entre elas. Fique a vontade para inventar outra forma de pendurar o seu trabalho.

IMG_8260

Dá para inventar muito padrões e coloridos diferentes com esta técnica. Já conhecia o tear de papelão? Se animou a fazer?

Tecelagem manual pode ser uma introdução bacana para as crianças  aprenderem e brincar com cores e fios.

23 jul 14
outros bla bla blas
Tem Mod Podge no Brasil!
por Claudia

Mod Podge

Uma novidade que vimos na Mega Artesanal 2014 foi que os produtos da marca Mod Podge estão chegando no Brasil.

Mod Podge é o nome de um produto americano que surgiu nos anos 60, uma espécie de cola/selador/acabamento para crafts em geral. O logotipo já denuncia tudo! Esta cola foi o must na época dos hippies e de quando o Do It Yourself estava no seu auge. Por ser uma cola a base de água, ficou muito associada a projetos de decupagem, mas serve para tudo. O nome Mod Podge é tão forte por lá que virou sinônimo de categoria, como dizer chicletes para goma de mascar ou cotonete para hastes flexíveis! Ou seja, é a marca mais forte, conhecida e utilizada para colas de decupagem.

Bem, os americanos, que não são bobos, aproveitaram essa retomada do craft agora nos anos 2010 para lançar mais produtos embaixo do nome Mod Podge.

E pela primeira vez estão chegando no Brasil. Na Mega Artesanal, vimos no stand do ScrapSampa. A cola em si, que é o carro-chefe, não estava disponível ainda. Mas nos avisaram que o carregamento estava chegando e que seria vendido na própria feira.

Além dos sprays que estão na foto de abertura, vimos também estes outros lançamentos ligados a aplicação de cola em superfícies, como esta broxa ou o kit de bisnaga e espuminha.

Mod Podge

Gostamos também destes produtos da linha: cola quente colorida, moldes de silicone e stêncil. De todos, curtimos muito esse aí, que imita as ondulações e veios da madeira.

Mod Podge

Mesmo quem não pode conferir estas novidades ao vivo na Mega, muito em breve deverá encontrar em lojas grandes e na internet. Os preços são de produtos importados, mas algumas coisas podem valer a pena.

*******

PS: com a internet, a marca ficou conhecida no mundo craft porque o produto era indicado como material para usar em projetos. E na impossibilidade de comprar o produto, surgiram receitas e tutoriais de como fazer a sua própria cola para decupagem. Há milhões de receitas e dicas de como fazer Mod Podge. Procurando no Google por “do your own mod podge” ou até mesmo em português “mod podge caseiro” você encontrará muitas opções e até comparativos entre as versões doméstica e comercial. Em resumo, o Mod Podge é uma cola branca (PVA), aquela do rótulo azul, diluída em água, daí seu acabamento fosco. Se alguém perguntar se o produto original é melhor? Por enquanto não sabemos, mas vamos atrás de um para descobrir e testar.

22 jul 14
outros bla bla blas
Visitando a Mega Artesanal 2014
por Claudia

Mega Artesanal 2014

Ufa… acabamos de voltar de uma visita à Mega Artesanal 2014. Pés doloridos e câmera carregada!

Aproveitamos a relativa calmaria deste primeiro dia que é aberto a lojistas e imprensa para ver o que estava rolando e dividir algumas fotos com vocês. Nossa prévia para quem vai pretende visitar e quer se organizar, mas também para quem não pode ir ter pelo menos um gostinho do que está rolando.

A feira é palco para novidades, lançamentos de produtos, contato com especialistas, exposições culturais e, porque não, compras. Muita gente aproveita para vir de outras cidades em caravanas e pode encontrar tudo o que precisa em um só lugar. Grandes lojistas de vários segmentos (papelaria, costura, scrap, etc) estão por lá – então quem visita é poupado do deslocamento pela cidade. Fabricantes de máquina de costura também expõe e vendem – uma boa oportunidade para quem precisa de informação e quer comparar modelos, marcas, preços.

Enfim, há muito o que fazer. Vamos ao tour virtual!

Para começar, como não podia deixar de ser, a Mega é o paraíso dos tecidos!

Mega Artesanal 2014

Ah, os tecidos! O que dizer deles? Muita variedade. A venda por metro, por fat quarters, em kits com cores combinadas. Estampas novas e exclusivas. Lojistas tradicionais, como Niazi Chofi, pequenos fabricantes e criações independentes. Sem contar as estampas digitais, que agora estão com mais força ainda.

Mega Artesanal 2014

Alguns acessórios para quem costura. Caneta de giz japonesa que some com tempo e bobinas plásticas coloridas!

Mega Artesanal 2014

Na área de papelaria, dois produtos bem interessantes que pra nós foi novidade. Esta caneta, que além de ter uma boa cartela de cores, pode ser acoplada em um aparelho que bombeia ar e transforma os respingos da tinta em uma pintura estilo “spray”. Abaixo, furadores para papel em motivos variados – você passa o rolinho em cima do papel, ele marca os pontos e depois você pode costurar com linha para enfeitar.

Mega Artesanal 2014

Ainda nesta seção, o laço fácil da Fitas Progresso. Parece legal, mas não testamos. Alguém aí tem e sabe se vale a pena? Estava em promoção na Scrap Sampa. Estes modelos de lápis e maçã são para quem faz scrapbooking e custavam R$3 na mesma loja. Quase levei de impulso só para usar de decoração.

Abaixo, a fita transparente que deixa um rastro de bolinhas, da Plus. É também de lá este carimbo rolê que tinha um super acabamento ao ser aplicado em papel –  a tinta não borrava e nem manchava. Tecnologia japonesa para craft!

Mega Artesanal 2014

Outra coisa legal que vimos no stand da ScrapSampa foram os produtos da Mod Podge. Quem acompanha projetos e tutoriais em sites gringos já deve ter ouvido falar. É uma marca americana dos anos 60 de cola para decupagem. Além de ter ganhado mais itens em sua linha, está sendo vendida no Brasil pela primeira vez. Fizemos um post só sobre isto aqui.

Mega Artesanal 2014

Nem tanto novidade, continuamos revendo alguns produtos que continuam na nossa lista de desejos há algumas edições. Estamos juntando coragem e esperando o preço baixar um pouquinho, hehe. O primeiro é o Crop-a-Dile, da We R Memories, um super furador! E ao lado, os diversos furadores da Martha Stewart, com motivos de bom gosto e irresistíveis!

Mega Artesanal 2014

Aliás, a Silhouette Portrait é outro desejo das duas. Não compramos, mas tentamos a sorte na roleta. Segundo o promotor, a máquina está programada para sortear uma por dia! Pra gente não foi desta vez… Mas de consolação, você pode levar descontos ou brindes.

Mega Artesanal 2014

Ainda em compras, muitas opções e stands no Paço do Comércio. Algumas coisas que chamaram a nossa atenção:

Mega Artesanal 2014

O stand do Le Petit Atelier é sempre uma tentação! Tecidos importados do Japão e França, fitas, rendas e bordados variados, além de muita matéria-prima para quem curte bordar. Tudo nas nossas cores favoritas e detalhes muito delicados. Cuidado com os preços! Qualidade custa caro.

Mega Artesanal 2014

Mas na Mega tem de tudo, tem produtos mais em conta também. As famosas sacolinhas com papeis variados (e surpresa) de scrap, rolo de tecido adesivo, botões – e bottons – de todos os tipos, tamanhos e cores.

Mega Artesanal 2014

Mesmo quem não vai comprar nada, sai de lá com muitas ideias. A maioria dos stands é decorado com projetos que inspiram e ajudam a visualizar a aplicação dos produtos e novidades.

Mega Artesanal 2014

No meio da feira, está o stand do Peter Paiva e suas criações. Encontramos alguns produtos novos e outros que continuam irresistíveis.

Mega Artesanal 2014

Ele também vende suprimentos e acessórios. Adoramos as banheiras para acomodar sabonetinhos e os cogumelos de enfeite. A feira também é lugar para conhecimento: não sabíamos que vermiculita servia de base para sachês – vivendo e aprendendo! E por último, piramos no molde de Instagram (pausa para propaganda: estamos lá, para seguir o Superziper clique aqui!)

Mega Artesanal 2014

Na praça em frente ao Peter Paiva, fica um espaço cultural com alguns expositores e criadores. Lá estava a Sheila e seus macacos, além de novos amigos feitos de meia, como pinguins, cavalos, peixes e outras criaturas.

Mega Artesanal 2014

O legal é que a Mega, apesar do tamanho, também é lugar de encontrar amigos. Nos corredores, nas lojas, nos stands, é bem provável que você se encontre alguém. Na nossa visita encontramos  a artesã Cris Torchia e a Sheila Abreu, dos Bichos de Meias. Vimos mais gente, mas não rolou foto. Na próxima visita, quem sabe. Está nos nossos planos voltar mais uma vez, mesmo que rapidinho.

Mega Artesanal 2014

Na parte conceitual e artística, gastamos um bom tempo na exposição ‘Retalhos da Vida’, com trabalhos de tricô, crochê e patchwork aplicados em cadeiras e colchas de memórias.

Mega Artesanal 2014

Vale a pena parar lá para descansar a cabeça – e admirar os trabalhos e as ideias.

Mega Artesanal 2014

A Casa da Mega continua, mas neste ano não estamos expondo (clique aqui para ver/rever o que aprontamos em 2012!). Tiramos algumas fotinhos. Vejam que demais este lustre de colheres. Taí algo que nunca imaginamos fazer.

Mega Artesanal 2014

Última dica… Deu fome? Tem praça de alimentação no local. Mas é bem cheia. Se puderem levar lanche na mochila, biscoitinhos, água e outras coisas para beliscar é melhor. Essas ‘comidinhas’ são do stand do Peter Paiva, de sabonetes artesanais.

Mega Artesanal 2014

Vai lá!
O evento acontece de quarta-feira até sábado (23 até 26 de julho de 2014) no Centro de Convenções Imigrantes, das 10 às 19 horas. O metrô mais próximo é a estação Jabaquara e tem serviço de van que leva até o local.
Ingresso: R$ 20 inteira | R$ 10 meia entrada
IMPORTANTE: menores de 12 anos não poderão entrar na feira, mesmo que acompanhados pelos responsáveis
Site e mais informações: www.megaartesanal.com.br

20 jul 14
outros bla bla blas
Save the date! Vem aí mais um encontrinho
por Andrea

convite_encontrinho

Anote na agenda, domingo, 17 de agosto, é dia de encontrinho de tricô (e crochê) \o/. Novamente vamos nos reunir lá no Ateliers, que sempre recebe nossas craftagens de braços abertos. Todos os níveis de conhecimento são super bem-vindos.

Preparamos algumas coisas diferentes para esta edição:

- Ação com Quadradinhos do Bem: O inverno pede cobertores quentinhos feitos com carinho! Por isso vamos fazer uma ação coletiva para produzir mantas para o GRENDAAC  de Jundiaí.  Para participar, basta fazer quadradinhos de crochê ou tricô em qualquer tamanho e enviá-los pelo correio para R Xavier de Almeida 1136 – Ipiranga – São Paulo-SP – 04211-001 A/C Cláudia. Ou leve seus quadradinhos pessoalmente no encontro do dia 17.  Quer saber mais? Acesse o grupo dos Quadradinhos do Bem no facebook.

- Help desk de tricô: Iniciante no tricô e cheia de dúvidas? Aproveite para fazer uma consulta com tricoteiras experientes durante o encontrinho. Vamos ajudar com o que soubermos.

- Sorteio de lãs da Coats: Recebemos fios lindos para sortear durante o encontro. Só uma pista, são fios grossos, que rendem muito e todo mundo adora ;).

Como sempre, o encontrinho é aberto e gratuito. Para participar basta confirmar a presença na página do evento no facebook. Se quiser, leve algum petisco para nosso lanche coletivo.

Venha tricotar e passar uma tarde muito craft conosco! Contamos com a sua presença!

 

Página 1 de 26312345...Última