25 ago 15
outros bla bla blas
Oficina do Superziper no Sesc Pinheiros
por Andrea

E-flyer_De Fio em Fio_Setembro_V02 2

Tem novidade boa no pedaço. Em Setembro, o Sesc Pinheiros estará promovendo uma semana de Arte Têxtil! Estamos muito contentes de participar desta iniciativa que conta com uma programação muito bacana (aulas e oficinas de tricô, crochê, bordado… tudo que a gente adora!). Da nossa parte vamos de maxi crochê, um craft que a gente  já falou bastante aqui no blog – feito com fios e agulhas grossos a peça fica pronta bem mais rápido que no crochê tradicional. Dá para se jogar nas inúmeras possibilidades criativas. Se empolgou? Então aí vão os detalhes:

Oficina de Maxi Crochê do Superziper

O que faremos: Vamos ensinar os pontos básicos do crochê – oportunidade ideal para quem é iniciante começar a crochetar do zero. Ao final vamos usar os fundamentos para produzir um objeto de crochê usando tiras de malha.

Material: Cada aluno deve levar o seu material para a aula. Vamos usar fios de malha (1 kg no mínimo, sugerimos o Euroroma, Craft da Pingouin #3 ou qualquer outro fio de malha de espessura similar), agulhas 8,9 ou 10 e tesoura.

Quanto: Preço super especial, de SESC! De R$ 7,00 a R$ 30,00.

Gostou? Então vem: As inscrições devem ser feitas diretamente na Central de Atendimento do SESC Pinheiros, R Paes Leme, 195, tel: 3095-9400, a partir do dia 01/09.

Esperamos você lá no SESC para crochetar conosco!

19 ago 15
outros bla bla blas
Tá na hora de se desconectar
por Claudia

Slow crafts
crédito foto: Kit Gaion

[texto originalmente escrito para a Revista MAKE by Rita Paiva, com adaptações para o blog]

Hoje vamos falar sobre momentos de ficar fora da web. Péra lá… é uma brincadeira? Pegadinha do Superziper? Psiu, vamos contar um segredo. A gente ama a Internet mas também gosta e muito de ficar offline. Porque a hora de fazer um trabalho manual é também momento de desligar o computador. Tem hora melhor do que pegar materiais usar as mãos com carinho, dedicação e sem pensar no tempo? Momento de ficar quietinha, desplugar e desacelerar!

Reparou como nossas vidas conectadas são frenéticas? Com a a internet temos acesso a tudo ao mesmo tempo agora. Levamos um tempão “pinando” projetos em painéis virtuais na Internet – mas vamos confessar, acaba não sobrando tempo para executar nada. E na vida real somos mulheres modernas e práticas. Hoje temos uma grande variedade de kits de projetos craft, onde os materiais vem cortadinhos, separadinhos, bonitinhos, é só encaixar as peças e fica pronto, lindinho. As agulhas de tricô ficaram grossas para o trabalho render mais, afinal tricô é algo que dá muito trabalho. Bem vindo ao mundo do fast craft! Já dizia aquela letra dos Titãs “só quero saber do que pode dar certo, não tenho tempo a perder”. Faça um cachecol em uma hora! Nada contra; queremos uma gratificação rápida de vez em quando. Mas não vamos esquecer que pode ser bacana fazer crafts só para curtir o processo independente do resultado! Slow crafts! Costurar à mão ao invés de sentar na máquina. Tricotar pouco a pouco aquela sonhada manta de quadradinhos de crochê, onde cada quadradinho conta uma história.

Hoje temos máquinas, equipamentos, computadores super inteligentes que praticamente fazem tudo sozinhos. Mas quem disse que precisamos de tecnologia para tudo? Lá em 2011 fizemos um desafio, e lançamos um fanzine. Isso mesmo fanzine, sabe aquela revistinha feita toda a mão, desenhada, escrita e xerocada? Coisa velha, né? Justo nós que somos tão tecnológicas e fazemos um blog coisa e tal. Esquece o teclado e a tela. Bem vindo lápis, papel e cola. E não é que o fanzine deu certo?

Então chega de papo. Convidamos você a colocar um novo olhar e ritmo para as experiências manuais do dia a dia. Saia um pouco da Internet e releia aquele seu livro de crafts favorito. Pegue uma xícara de chá e sente para fazer um bordado trabalhando ponto a ponto manualmente, com carinho, cuidado e respeito. Quer ousadia? Tire a poeira da máquina de escrever e escreva uma carta datilografada como nos velhos tempos! Pode demorar semanas e até meses, tudo bem, use o tempo que precisar. Experimente o slow craft. Nós achamos que você vai gostar.

Até a nossa próxima conversa.

09 jul 15
ateliê craft
Ateliê Craft: Rena Miyabe, da Tupã
por Claudia

Ateliê Craft: Tupã

Rena Miyabe é o nome por trás da Tupã Brasil, marca de bolsas térmicas, mochilas e outros tipos de ‘containers’ feitos de forma artesanal. Lembro direitinho quando vi o site pela primeira vez, faz tempo, talvez uns 5 anos atrás, e me apaixonei pelo nome e logotipo em forma de pingo. Tudo de muito bom gosto – dos produtos à identidade visual e embalagens.

Por coincidência do destino, algum tempo depois, acabei descobrindo que éramos vizinhas de mesa no Bazar Ógente. Entre uma venda e outra, um papo e outro, nasceu uma grande amizade.

Uma vez conheci a casa-ateliê e pirei com os detalhes. Avisei que um dia iria fotografar para o Superziper. Acabou que não rolou, mas o assunto reapareceu agora que ela se mudou. Casa nova é sempre um convite para repensar a decoração e foi isso que aconteceu. No open house, que aconteceu recentemente, os detalhes minimalistas ficaram mais evidentes. Sim, ela adora coisas minúsculas!

Que bom que ela topou o convite e abriu um pouco dos bastidores da marca e do estilo de vida aqui para o blog. Vão reparar que tem muita coisa feita por ela, inventada, remixada, boas sacadas. Um amor!

A lata de sardinha é uma das favoritas. Para prender, ela costuma usar aquelas massinhas reposicionáveis. Na Inglaterra, eu conhecia como Blu Tack. Aqui, a Pritt tem isso pelo nome de Multi Tak ou algo assim.

Ateliê Craft: Tupã

 

Vamos ao questionário padrão que os nossos convidados respondem e depois tem mais fotos. Apresento a vocês o ateliê craft da Tupã!

1. Este espaço pertence à: Rena Miyabe

2. Site: www.tupabrasil.com.br e loja no Elo7

3. É daqui que saem: bolsas térmicas, mochilas, malas

4. O que não pode faltar: comida ;) Brincadeira à parte, depende muito de onde estou e a gente sempre se adapta, mas ficaria muito desnorteada sem as minhas anotações e contatos; e conexão com internet também faz falta, eu faço muita pesquisa no dia a dia

5. Objeto querido: provavelmente meu celular onde tem todas as minhas anotações, fotos e contatos :) vale isso??

6. Última aquisição: uma blusinha/pijama num brechó no Brasil. Agora aqui no Japão foram posters) (*não estou considerando necessidades básicas tipo comida)

7. Número de horas passadas por dia: depende do dia, tem dias que fico fora o dia inteiro mas acredito que umas 6h

8. Próximo desafio: criar nova linha de produtos

9. Nível de bagunça (1 a 10): dependendo da época (se tem feira ou bazar) vai até 10, o mínimo é 3-10 :)

10. Trilha sonora: Magnetic Fields, Chet Baker, Chaka Demus, Courtney Barnett, Mulatu Astatke… Ouço um pouco de tudo :)

—–

A parede aqui foi pintada com tinta de piso, mais barata do que a de parede feita sob medida na máquina de cor, e ficou linda!

Memórias afetivas estão espalhadas por todos os cantos.

Ateliê Craft: Tupã

Detalhes em cima da moldura do quadro, fotos de família, lembranças de viagens…

Ateliê Craft: Tupã

Em cada canto tem algo pequenininho. Coisas penduradas, organizadas por assunto, delimitadas em seus espaços.

Ateliê Craft: Tupã

Um convite constante ao olhar e à contemplação do design – criado pelo homem ou pela natureza.

Ateliê Craft: Tupã

Aqui, frases escritas na mão em adesivo vinílico e cortadas milimetricamente no estilete. A mensagem nos azulejos da cozinha disfarçam de maneira inteligente quatro peças diferentes das demais.

Ateliê Craft: Tupã

E pra terminar, um banquinho de madeira revestido com capa de crochê, também feita pela Rena.

Ateliê Craft: Tupã

Visitem a lojinha da Tupã!

01 jul 15
outros bla bla blas
Superziper visita a Mega Artesanal 2015 (fotos)
por Claudia

Mega Artesanal 2015

A Mega Artesanal é o maior evento de artesanato do Brasil e já virou uma tradição o Superziper fazer uma visita ao local no dia aberto aos lojistas, véspera de abertura ao público. Em 2015, a feira acontece no São Paulo Expo entre os dias 1 e 4 de julho.

É uma feira enorme, um pavilhão de 33 mil metros quadrados, com mais de 300 expositores. Mesmo com experiência e já conhecendo como funciona, acho que consegui visitar metade do espaço. Tem muita coisa interessante, diferente, novidades, gente legal, um prato cheio para quem é da área.

Para quem nunca foi na Mega e se pergunta se vale a pena, gosto de dizer o seguinte. Pelo valor do ingresso, em um só lugar, você pode:
1. se inspirar e ver um monte de ideias
2. ver novidades, falar direto com fabricantes, tirar dúvidas, pesquisar e comparar
3. fazer cursos, aulas, workshops, ver palestras e aprender coisas novas
E ainda, se quiser gastar um pouco mais, pode comprar:
4. materiais, produtos, moldes, projetos e equipamentos de DIY
5. artesanatos de artistas, criadores e fazedores
…tudo em um só lugar :-)

Este post tem mais de 50 fotos, praticamente um guia visual da feira, com meus achados e descobertas mais interessantes. Ao longo do texto, vou dando algumas dicas para quem pretende visitar. Tem muvuca, não vou mentir. A feira fica lotada – sábado é o dia mais cheio e domingo à tarde o mais tranquilo. Mas vale muito a pena. Neste ano fiquei bem empolgada – saí com sacolas nas mãos e muitas ideias na cabeça.

Vamos lá!

No stand da Singer, descobri que há poucos meses eles começaram a trazer para o Brasil as máquinas de costura da Pfaff, que é uma linha top do grupo, favorita de quem faz patchwork pela qualidade dos pontos, recursos e etc. São três modelos que estão na feira pela primeira vez.

Mega Artesanal 2015

Me encantei com os pontos decorativos da Singer! Vale dizer que tem muitas máquinas no stand, dá para experimentar, ver as demonstradoras testando e comparar modelos.

Mega Artesanal 2015

Já, a Brother trouxe uma máquina de bordado altamente profissional :) Vejam isso…

Mega Artesanal 2015

Não peguei a demonstração (tirei essa foto no fim do dia), mas pelas fotos dá para ver as possibilidades. Impressionante!

Mega Artesanal 2015

No stand da Dremel, me apaixonei pelas possibilidades desta mini-serra-tico-tico para bancada. Foi pra lista de desejos. Um dia, quem sabe!

Mega Artesanal 2015

Na Silhouette, vi o Mint, super novidade. Chegou para a feira, mas ainda não está à venda. É uma máquina “fazedora de carimbos”. Pela foto dá para ver a qualidade da impressão (linhas finas e delicadas) e parece que a tinta dura muito. Como não sou uma hard user e nem uso profissionalmente, particularmente não gosto muito de equipamentos que dependem de kits exclusivos para funcionar. Mas enfim, fica a dica para quem curte e para quem quiser ver ao vivo como funciona.

Mega Artesanal 2015

Ainda na área de fabricantes, no stand da Feltros Santa Fé, vi várias estampas novas e miúdas. E também este cortador que pode ser usado com feltro.

Mega Artesanal 2015

Falando em corte, na Olfa vi este cortador especial para o efeito chenille, que foi aplicado neste broche de coração. Não conhecia, são camadas de tecido sobrepostas que, depois de costuradas, ficam com um efeito tipo babado.

Mega Artesanal 2015

Lá, também aprendi a técnica do “jelly roll“, que é um método rápido e simplificado de fazer costura em patchwork.

Mega Artesanal 2015

Em seguida, no stand da Gato Preto conheci este produto específico para transferir desenhos para vários tipos de superfícies. Fiquei curiosa para testar, segundo o pessoal de lá, para o transfer basta usar papel sulfite impresso à laser.

Mega Artesanal 2015

Da Rendicolla, levei pra casa estas amostras de cola quente. Aliás, na Mega tem muito brinde e sorteio. Pela quantidade de pessoas, costuma ter fila, mas dá para encarar.

Mega Artesanal 2015

E, como não podia deixar de ser, pirei com os botões e acessórios da We Care About! Destaque para os botões de bordar (com muitos furos), o dedal de silicone, os corações vazados, os botões de cogumelos, etc etc

Mega Artesanal 2015

A Revista MAKE by Rita Paiva, onde temos uma coluna, também estava por lá! A Cristina Bottallo, capa da última edição, que faz pinturas no estilo bauernmalerei, estava no local pintando ao vivo.

Mega Artesanal 2015

Originalmente, essa técnica alemã era usada para decorar móveis de madeira. Aqui, um armário e uma cadeira. Mas serve para outras superfícies. Vi em caderninhos e até em folhas de papel. Fica lindo!

Mega Artesanal 2015

Também lá perto, na mesma área, conheci a Rosana Pardo, especialista em bordados. Além de dar aulas, ela tinha kits prontos para bordar e linhas tingidas em processo artesanal. Muito bom gosto no mix de cores!

Mega Artesanal 2015

Antes de deixar o pátio da indústria, registrei alguns espaços de cursos e aulas. As grandes marcas oferecem uma agenda cheia de ensinamentos e técnicas. Quem vai na Mega com esta intenção, precisa se organizar para fazer parte. Os auditórios variam de tamanho, mas como tudo na vida, alguns são mais concorridos. Pesquise e monte sua grade de horários.

Mega Artesanal 2015

Em seguida, fui passear pelo paço do comércio e praça do artesão. Vejam os achados!

Pirei com esta caixa para guardar bobinas – ainda mais estando organizadas por cor! Se não me engano, estava à venda na African Artesanato, o nome dela é Ease Box.

Mega Artesanal 2015

Da Renata Blanco, curti a linha de ferragens. Este fecho de bolsa da vovó com uma bolota na ponta ficou bem legal. Me apaixonei pelas cestinhas plásticas de coração, mas não estavam à venda, só parte da decoração…

Mega Artesanal 2015

Isso aqui eu achei bem interessante – é uma almofada térmica terapêutica. Recheadas com painço e ervas aromáticas, podem ser esquentadas no microondas e aplicadas em pontos de dor. Ao fundo, um outro produto conhecido como “pina chinesa”. Mais infos em www.terrateraphiasholisticas.com

Mega Artesanal 2015

De pequenos artesãos, encontrei essas coisinhas: cestinha de crochê para fita métrica (R$ 5), ovo vazado e decorado com miçangas, mini renda de bilro (que pode ser usada como alfineteiro – R$ 10) e as tradicionais bonequinhas de nós. Dizem que dão sorte, custam R$ 2 cada.

Mega Artesanal 2015

No pequeno espaço do Lar dos Velhinhos Bezerra de Menezes, descobri um trabalho sensacional. O lar fica em Brasília e conta com a ajuda de voluntários e dos próprios moradores na produção de alguns produtos. Me apaixonei pelas canecas de ágata estampadas (R$ 13,50 cada). Eles também tem kits com coador de café e prateleiras com vários modelos. Mas o mais legal foi descobrir que as canecas com “falhas” de produção viraram vasos de suculentas. Como as estampas precisam ser queimadas em forno de alta temperatura para fixar, às vezes acontece de passar do ponto e queimam mais do que deveriam. Achei elas lindas, as marcas e os “desenhos” únicos do queimado são demais! Para quem se interessou pelos produtos e não estará na feira, as encomendas podem ser feitas por email contato@lardosvelhinhos.org.br .

Mega Artesanal 2015

Eles também tem uma linha bem variada de produtos feitos com papel reciclado e papel machê. Estes enfeites coloridos custam R$ 1 cada saquinho. Levei pra mim um de laçinhos e um de tema do mar.

Mega Artesanal 2015

No stand da Comercial Inter, que trabalha com acrílicos, potes para lembrancinhas, embalagens, tubos PET e caixinhas, achei um cantinho promocional. Quem resiste a uma ofera? Era um estoque antigo de furadores a preços bem competitivos! Na linha tradicional deles, gostei muito da redoma para docinhos. A embalagem vem com 12 peças.

Mega Artesanal 2015

Outro lugar que pirei foi no Art a Laser, que participam pela primeira vez da feira e vieram de Rio Claro. O que chamou minha atenção na vitrine foram as casas de passarinhos. Descobri que eram kits de “faça-você-mesmo”, com placas finas de MDF já cortadas no tamanho certo. Conversando com um dos atendentes, vi que eles eram especializados também em miniaturas: tinha máquina de costura, bancada, arara com cabides, tábua de passar, cadeiras, palavras. Na quarta foto dá para ter uma noção da variedade e quantidade de produtos. Vale dizer, que os preços são excelentes. E pra terminar, o coração pespontado é um bastidor! Basta aplicar o tecido e uma manta acrílica para conseguir este efeito da foto. Este estava em falta, mas levei em formato redondo e quadrado. Havia também bastidores temáticos para Natal.

Mega Artesanal 2015

Neste mesmo setor, descobri expositores da América Latina: Peru, Colômbia, Bolívia, México… Claro que fui lá conversar e entender o que tinham para vender.

Do Peru, gostei do kit da Ynmar para fazer pulseiras, brincos e colares trançados em arame. Eles também trouxeram a matéria prima, que é cobre colorido. Pela foto dá para ver como o brilho é especial, material de qualidade.

Mega Artesanal 2015

Da Bolívia vieram estes moldes para fazer enfeites em EVA. Pela explicação, entendi que o EVA deve ser esquentado e depois prensado entre as partes macho e fêmea do molde. O calor vai fazer ele ficar com o desenho escolhido. Depois é só enfeitar e aplicar. Eles também tinham garrafas de resina para dar acabamento em caixas e peças de madeira.

Mega Artesanal 2015

Ah… e por lá tem muita coisa em tecido e costura! Zíper rendado da Dona Fuinha. Kits de tecido e bolsa em fuxico gigante da Meninas Brincando com Retalhos. Kit de costura em formato de coruja (projeto ou peça pronta) da Artes da Bu.

Mega Artesanal 2015

O mega stand do Peter Paiva ficou por último. A especialidade da marca são sabonetes e materiais, mas tem que conhecer o espaço. A cenografia e decoração sempre arrasam.

Mega Artesanal 2015

E todo ano ele desenvolve novos produtos e acessórios. Aqui abaixo, linhas de sabonetes para brindes e lembrancinhas (tema Mickey e Frozen, em azul, ao fundo). Ao lado, maçãs literalmente do amor. Abaixo, embalagens. A tradicional sacola de feira em tamanho mini, para presentear. E uma nova linha de embrulhos com os dizeres “100% artesanal”.

Mega Artesanal 2015

Tem versão chique (impressa com dourado), de saco tipo de padaria em papel craft e, o favorito: rolos de papel manteiga impressos!

Mega Artesanal 2015

Ahhh. E antes de ir embora, não deixe de visitar as exposições artísticas!

Tem a Casa da Mega, uma casa com ambientes decorados à la craft por convidados especiais. Vale lembrar que em 2010 a gente estava lá com o quarto de costura :-)

Mega Artesanal 2015

E as mostras de técnicas variadas, como arte em patchwork, papel, tecido. Aqui separei dois exemplos.

Mega Artesanal 2015

Fui embora esgotada, mas feliz! Todos os stands praticamente fechados, peguei uma das últimas vans para voltar ao metrô e ainda editei fotos e preparei este post gigante. Espero que vocês se animem a visitar. Valeu a pena :)

Mega Artesanal 2015

DICAS PARA QUEM VAI NA FEIRA
. Vá com roupa e tênis confortáveis. Lembre-se que são muitas horas em pé e/ou caminhando.
. Leve uma ecobag grande para guardar as compras. As lojas fornecem sacolas plásticas, mas eu acho mais prático ir colocando tudo em um sacolão. Tem guarda-volumes pago se alguém precisar.
. Prepare-se para as filas: banheiro, alimentação, van… Eu levei na bolsa garrafinha de água e chocolates.
. Pegue um mapa do local na entrada. Se não conseguir, tem no stand da Burda Style! É bom para se organizar e localizar.
. Separe um tempo para ver os artesãos. Tem gente de vários estados e até outros países. Prestigie o trabalho deles!
. Se quiser participar de cursos e aulas, fotografe a agenda de horários e programe-se! Vale a pena se informar em cada stand se é preciso se inscrever com antecedência ou se funcionam no esquema de fila.
. A maioria dos locais aceita cartão de débito e crédito, mas é sempre bom ter um pouco de dinheiro vivo.
. Como em todo lugar, tem coisas caras e baratas. Basta saber pesquisar e procurar.

INFORMAÇÕES ÚTEIS
Mega Artesanal 2015
De 01 a 05 de julho
Local: São Paulo Expo (Antigo Imigrantes) / Rod. Dos Imigrantes, Km. 1,5 – São Paulo
Horário: das 11 às 19 horas (exceto domingo, até às 17 horas)
Valor do ingresso: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia entrada)
IMPORTANTE: menores de 12 anos, mesmo acompanhados, não entram!
Estacionamento pago no local
Metrô mais próximo: Estação Jabaquara (linha azul)
Van gratuita no trajeto metrô-evento
Mais infos em: www.wrsaopaulo.com.br

Página 1 de 28012345...Última