30 mar 07
costura
Braçadeira para máquina de costura
por Andrea

faixa/photo01

As máquinas de costura sempre fizeram parte da minha vida. Lembro bem que lá pelos meus 5 anos minha mãe já me deixava usar a máquina dela (uma PFAFF de ferro cinza) para fazer as primeiras costurinhas infantis. Ela sempre amarrava uma tira de tecido na parte superior da máquina para espetar alfinetes e agulhas. Comvenhamos que os pincushions de mesa são muito fofos mas quando você está sentada na máquina ajuda muito ter os acessórios pregados na sua frente.

Na verdade, qualquer tira de pano cumpre a função, uma vez eu amarrei uma tira de viés na minha que ficou lá por anos – era bem tosquinha, estreita e vivia caindo, vide a foto acima. Mas ontem resolvi fazer uma braçadeira porta-alfinetes decente, mais bonitinha. Usei  um retalho de algodão vermelho de bolinhas brancas e fotografei para, quem sabe, vocês se animarem a costurar uma igual. Pode ser o seu primeiro projeto de costura à máquina, já pensou ?

Braçadeira de alfinetes para máquina de costura

 

1. Materiais:

– 01 tira de algodão tamanho 40 X 8 cm ou no tamanho certo para dar a volta na máquina.
– 01 tira de feltro no mesmo tamanho
– pedacinho de velcro de aprox. 5 cm
– tesoura reta e de picote
– linhas, alfinetes

Faixa/photo02

 

2. Posicione um pedaço de velcro bem na ponta da tira de feltro e o outro na ponta da tira de tecido.

faixa/photo03

 

3. Costure os velcros à maquina nas respectivas tiras, em ponto reto.

Faixa/photo04

4. Alfinete (ou alinhave) as duas tiras uma na outra de modo que os lados com velcro fiquem para fora.

faixa/photo05

5. Costure uma uma tira à outra,  tirando os alfinetes à medida que avança. Se quiser  pesponte motivos geométricos no interior da tira, dá um efeito decorativo legal – eu fiz triângulos. Quase um quilt ?

faixa06

6. Para evitar que desfie, corte as laterais com tesoura de picote.

faixa/photo07

7. Pronto! Coloque a braçadeira na sua máquinha e use-a para espetar alfinetes.

Faixa/photo08

 

29 mar 07
casa craft
DIY: Coração de botão
por Claudia

Coração de botão | passo #5

Esse enfeite é uma boa pedida para quem adora botões. Então vai lá, pega aquele pote cheio, vira na mesa e separa alguns por cores, tamanhos, texturas e formatos. Com um arame de artesanato comum você faz um enfeite fofo que é a cara de quem lida com manualidades. Vai ficar lindo no seu canto de costura!

Coração de botão | passo #1

1. Materiais necessários:
1 pedaço de arame (20cm está bom)
botões variados
fita para enfeitar
alicate

Coração de botão | passo #2

2. Dobre o arame ao meio. Eu coloco uma continha na ponta do V e giro o arame uma ou duas vezes. É bom por dois motivos: facilita a separar o meio e no final, quando estiver pronto, deixa a ponta do coração bem marcada.

3. Passe o arame pelos buracos dos botões e vá completando a fileira de um lado. Deixe um vão entre eles pra facilitar na hora de dobrar no final.

Coração de botão | passo #3

4. Faça o mesmo do outro lado. Compare para ter duas fileiras de botões do mesmo tamanho.

5. Vá dobrando o arame e modelando o formato de coração.

6. Junte as duas pontas, enrole o arame e corte o excesso.

Coração de botão | passo #4

7. É simples assim. Seu coração de botão está pronto!

Coração de botão | passo #5

8. Se quiser, enfeite com fita e pendure no seu canto preferido.

Dicas:
– Cuidado ao dobrar o arame com o alicate, dependendo da força pode estragar o botão. Se os botões forem delicados, como os de madrepérola, cuidado redobrado.

Idéias e variações:
– Experimente botões iguais e da mesma cor! Também dá um efeito bonito.
– Que tal colocar os botões em degradê? Dá para fazer de 2 a 3 tons.
– Além de coração, experimente montar em círculo.
– Se não tiver muitos botões, intercale com miçangas e contas.
– Você pode fazer também um coração só de miçangas.

Pela internet:
Button Wreath Ornament, por Rachael H.
Button and glass pearl beads heart, por AllThingsPretty.
Vintage button wreath, por Pixiegenne.

28 mar 07
inspiração
Conversa Crafty: Carol Grilo da FofysFactory
por Andrea

04

Hoje estamos inaugurando uma seção nova aqui no Superziper. Faremos entrevistas com “crafty gals”, garotas criativas que atuam no mundo das manualidades independentemente e com estilo próprio. Gente bacana que nos inspira e que achamos que pode inspirar vocês que lêem o blog.

Para inaugurar a esta seção com o pé direito de cara lembramos de uma crafiteira que nós duas gostamos, a Carol Grilo e suas criações foférrimas que levam a etiqueta FofysFactory. Olha que demais o currículo dela: arquiteta, urbanista, ilustradora, fotógrafa – é desta bagagem artística que a Carol tira o senso estético apurado e detalhismo para fazer crafts vários tipos. Ela não pára, agora além de produtos em tecido está também fazendo uma coleção de broches não menos fofa.

Assim que descobri o “mundo maravilhoso” do Flickr entrei em alguns grupos de manualidades e as criações da Carol me chamaram atenção com seus designs com cores vivas e apliques de feltro kawai. Os apliques bordados que ela faz aliás são os meus preferidos – amo o da menina com olhos de botão, um grande e um pequeno ! Hoje em dia só de bater o olho numa foto do Flickr eu já sei quando são da Fofys – os produtos têm um estilo que ninguém consegue imitar, uma identidade que é fruto de talento e muita dedicação aos crafts.

01

Este foi o papo que eu tive com a Carol:

A: Como e quando você começou a FofysFactory ? Você já sabia costurar antes de ter a idéia ou teve que aprender para por em prática? Em outras palavras o que veio antes o ovo ou a galinha?
C: A FofysFactory surgiu de uma brincadeira. Uma amiga me mostrou que uma artista portuguesa, a Vanda Vilela, estava com o projeto Felt Square, onde arrecadava quadrados de feltro de pessoas do mundo todo para formar uma obra inteira, remendada. Nesse quadrado, cada pessoa inventava o que quiser. Me animei e lembrei que minha mãe tinha uns pedaços de feltro antigos guardados em casa e coloquei em prática meu quadrado. Gostei tanto da idéia de trabalhar com feltro que continuei fazendo coisinhas com as minhas ilustrações. Logo comecei com as bolsinhas, e chamei minha mãe para fazer junto. Ela sempre costurou, desde criança. Eu cresci vendo linhas, máquinas, alinhavos, sempre ajudei ela nessas empreitadas. E, de repente, estávamos as duas começando uma marca juntas, com novas idéias. As pessoas começaram a ver nossas criações no Flickr e começaram a querer comprar. Surgia aí a FofysFactory. Logo, eu que costurava pouco, me inscrevi num curso de corte costura, que já era uma vontade antiga. Queria fazer roupas etc, mas acabou me ajudando a costurar as bolsas.

A: Como você se inspira para criar os seus produtos ?
Na verdade me inspiro em tudo que vejo. Sempre gostei de coisas coloridas, de objetos fofos vindos do Japão. Sou arquiteta e sempre observei tudo ao redor, tudo sempre me serviu de inspiração para arquitetura e agora serve para a criação das bolsas. Adoro revistas de moda, da japonesa Non-No até a Vogue. Sempre acompanhei as semanas de moda, criações de estilistas como o Alexandre Herchcovitch, que eu adoro! Vejo muito filme e Jacques Tati me inspira muito.

A: Como é a concepção dos seus produtos ? Você pesquisa, desenha, põe no papel, pensa em moldes e detalhes e depois parte pra execução ou você pensa, hummmmm acho que vou fazer uma necessàire e já parte para cortar o tecido e vai aperfeiçoando os detalhes depois?
C: Temos muitos moldes já desenvolvidos, então o processo fica mais rápido. Gosto de inventar novas combinações de tecidos, cores e padrões. Mas quando surge uma idéia nova, daí temos que parar tudo, desenhar o molde e aperfeiçoá-lo até ficar do jeito que a gente acha melhor. O mais legal é que as próprias clientes dão idéias. Às vezes elas precisam de um produto diferente, explicam e a gente acaba criando mais um, que logo vai pro site e vira sucesso de vendas. Elas nos impulsionam para novas criações.

02

A: Como você lida a linha de produção? Acha cansativo fazer a mesma bolsa vinte vezes em tecidos diferentes ? Já pensou em terceirizar?
C: Não, nunca nos cansamos! Mas claro que tem algumas que são as minhas preferidas, que gosto mais de fazer ou bordar. Mas todas são feitas com o mesmo carinho e vontade. Já pensamos em terceirizar, porém ainda achamos que não vai ficar do nosso jeitinho, sabe? Temos preocupação se isso vai perder a qualidade. Hoje, todos os produtos da FofysFactory são feitos somente por duas pessoas, eu e minha mãe.

A: Você tem brancos criativos ? Como faz para manter uma produção tão consistente – desde que estou no flickr acompanho o seu trabalho e fico impressionada com a sua consistência em estilo e volume. Você tem uma rotina de trabalho ?
C: A verdade é que a Fofys não pára! A lista de encomendas é vasta e para isso somos obrigadas a ter uma rotina de trabalho sim. Quase sempre isso se estende para os finais-de-semana também. Brancos criativos podem até acontecer de vez em quando, mas quando olho para a quantidade de tipo de tecidos, folheio uma revista, vejo uma foto, assisto um filme, logo chegam novas idéias.

A: Você acha que a FofysFactory faria o mesmo sucesso sem a Internet ?
C: Não. Posso dizer que 90% das vendas são feitas pela Internet. Tivemos uma experiência em uma feira fixa aqui na minha cidade, Florianópolis, mas o que gostamos mesmo é de vender na Internet, em algumas lojas e em eventuais bazares.

A: A sua linha de produtos é uma das mais famosas no Flickr e tem algumas pessoas que copiam o seu estilo. Como você reage a isso ?
C: A cópia ainda é algo muito recorrente no Brasil, e tratada como forma de admiração, de um elogio. Isso é errado. Exitem leis que protegem a autoria de criações, mesmo que na Internet. Já roubaram ilustrações minhas, copiaram produtos etc. Tudo muito mal feito! As clientes da FofysFactory sabem distingüir e exigem a nossa qualidade, isso é legal. E, muitas vezes, são elas que me mostram as cópias. Já me incomodei muito com isso, hoje sei até onde vão meus direitos e deixo bem claro.

03

A: Toda mãe tem o filho que lá fundo gosta mais. Qual é o seu filho preferido da Fofys?
Eu aaaaamoooo bordar o elefante! Acho ele lindo, mas tenho medo que os outros bichinhos escutem e fiquem com ciúmes.


(Carol por ela mesma :D)

Criações FofysFactory
Fofysland, o blog da Carol

27 mar 07
outros bla bla blas
Artesanato na balada
por Claudia


Foto: Goldtop

Como em toda grande cidade, sempre existe a balada da moda. E também existem as pessoas que estão cansadas de irem sempre nos mesmos lugares. E aqui em Londres, um grupo de amigos resolveu lançar a moda da “balada da tesoura, pincel e papel”. Essa semana saiu um artigo no jornal do metrô* – eles estão chamando isso de DYI Arts and Crafts Nights. A Craft Night, uma das opcoes disponiveis, acontece no Notting Hill Arts Club e existe há dois anos. Organizada por Galia Durant e Serena Wilson, a balada é uma mistura de apresentações de bandas, poesia e manualidades. “Eu achava que ficar saindo a noite não compensava, era muito de ficar fazendo poses e dando uma de cool enquanto os shows das bandas não começavam, então eu decidi organizar isso”, diz Durant. Ao chegar no clube, você recebe uma sacola com todos os materiais que vai precisar para essa noite de artesanato, incluindo até instruções. Eventos anteriores abordaram temas como fazer bonecos de meia, fantoches de dedo e miniaturas em miçangas. Durant explica que o ambiente de uma noite em Londres pode ser frio e fechado, mas ao introduzir arte, corta-se toda e qualquer tensão e deixa o ambiente mais amigável, com pessoas perguntando coisas do tipo “me empresta sua tesoura?”. Ela acrescenta: “Eu acho que as pessoas se esqueceram como pode ser gratificante usar a criatividade e a nossa balada tenta relembrar como isso pode ser muito simples de conseguir”.

Através do Flickr, descobrimos uma garota, Em, que participou de uma das Craft Nights. Aliás, é dela a foto que ilustra este artigo. Na noite que ela foi o tema era pintura. Mas de início ela e a amiga estavam muito mais interessadas nas bandas e no poeta John Hegley, que faria uma performance. Chegando lá havia baldinhos de tinta, pincéis, glitter etc espalhados pelo salão. Mas elas chegaram atrasadas e perderam o “kit craft” – mini-cavalete e tela. Mesmo assim, as duas se divertiram vendo os outros fazendo arte. No final da noite, as telas foram pro bar, numa exposição improvisada e ainda teve uma competição para escolher o mais legal. Segunda-feira que vem ela volta, mas desta vez para prestigiar o lançamento do livro ‘The Crafter Culture Handbook’. Tô achando que eu também vou, daí eu conto em detalhes pra vocês como foi e ainda tiro fotos de tudo :-)

Além da CraftNight, existe a balada HungaMunga, que segue um estilo parecido e o projeto Paintjam, um pouco mais requintado. A diferença se nota pelo preço. As duas primeiras cobram entre 5 e 6 libras. Este último cobra 40 (!) – mas a proposta é outra: materiais de primeira linha acompanhados de vinho e snacks pra beliscar. Não faz muito o meu estilo.

Links úteis:
. www.myspace.com/craftnight
. www.myspace.com/hungamunga
. www.paintjam.co.uk
. Flickr da Em (Goldtop)

__________
* tradução livre do artigo do jornal thelondonpaper de 22.03.07

Página 1 de 512345