29 ago 07
inspiração
Conversa Crafty, Alejandra da Bijapy
por Claudia

Conversa com Alejandra, Bijapy

Alejandra Martinez Junca nasceu e mora em Bogotá (mapa). Tem 20 anos, está no 7º semestre de artes plásticas da Universidad Nacional de Colombia e já é dona do seu próprio business, a Bijapy. Em espanhol o j tem som de rr. Bijapy então pronuncia-se ‘birrapi’, um trocadilho com ‘be happy’ – seja feliz. O negócio surgiu há cerca de 3 anos, quando apoderou-se da máquina de tricô de sua mãe e saiu por aí fazendo blusas, casacos, meias, cachecóis, gorros e clientes felizes.

Superziper – Quem faz a Bijapy?
Alejandra – A Bijapy sou eu. No começo minha mãe me ajudava muito, não podia fazer nada sem que ela me desse instruções do que fazer. Mas agora que eu tenho mais experiência trabalho quase sempre sozinha. Minha mãe me ajuda ocasionalmente quando estou com muito trabalho acumulado. De tudo o que já fiz, só contei as malhas – foram 40. Acessórios como meia, cachecol, gorro, polaina, perdi a conta. Só controlo as malhas.

Conversa com Alejandra, Bijapy

Superziper – E como tudo começou?
Alejandra – Comecei a tecer mais ou menos em 2004, quando estava entrando na universidade. A máquina de tricô que eu uso hoje, uma PFAFF Duomatic 80, era da minha mãe. Ela comprou nos anos 80 quando estava grávida de mim. Usou tanto que até cansou. E a máquina ficou guardada embaixo da cama durante anos. Um dia ela emprestou-a a uma de suas amigas, grávida também. Ela queria fazer coisinhas para seu bebê e se inscreveu em um curso. Como a barriga já estava muito grande, ela não podia ir sozinha para a escola e eu fui de acompanhante para ajudar. Ela acabou nem aprendendo muito, então a máquina voltou pra casa. A primeira coisa que fiz foi uma troca com uma amiga. Ela me fez uma mochila e eu dois cachecóis. No começo eu só fazia cachecol e outras peças pequenas, mas tudo ainda me dava muito trabalho. Lá por 2005 um amigo me encomendou uma blusa. Eu disse que nunca tinha feito, mas que com minha mãe ajudando eu conseguiria. Foi minha peça Número 1, ficou um pouco torta e esquisita. A partir dessa comecei a fazer mais coisas, e cada vez mais complexas. Ultimamente andei aprendendo coisas novas e estou fazendo peças mais elaboradas.

Conversa com Alejandra, Bijapy

Superziper – Você aceita encomendas e pedidos sob medida?
Alejandra – Sim, na verdade todas as minhas malhas acabam sendo sob medida. Não trabalho ainda com tamanhos (tipo P, M ou G). Eu preciso de 3 a 4 dias para fazer uma malha. A pessoa pode escolher o que quer colocar na sua peça e eu ajudo a por em prática. Mas eu digo que é um trabalho em conjunto.

Superziper – Onde você vende seus produtos, alguma loja?
Alejandra – Por enquanto os produtos Bijapy não estão em nenhuma loga. A maioria das pessoas que compraram de mim foram amigos ou amigos de amigos. Grande parte da universidade mesmo. Mas ultimamente tenho feito mais contatos por causa do Flickr.

Superziper – Conta um pouco do seu dia a dia e do que você faz nas horas livres.
Alejandra – Em geral dedico grande parte do meu tempo para tecer. Mas quando estou em época de estudos deixo mais para a noite ou para os finais de semana. Mas ultimamente os vizinhos andam reclamando do barulho da máquina, então tenho me esforçado pra chegar em casa mais cedo pra poder trabalhar. Além disso, gosto de viajar, dançar, gosto muito de música. Hmmmm, que mais? Visitar museus, fotografía……. no fundo tudo que tenha a ver com arte me interessa. Gosto de muitas coisas.

Conversa com Alejandra, Bijapy

Superziper – Como é o mundo “crafty” na Colômbia?
Alejandra – Em Bogotá e em outras partes da Colômbia existem pessoas muito talentosas. Recentemente alguns resolveram abrir lojas, assim podem mostrar o que fazem sem precisar ser estilista de alguma grande marca ou sem ter muita experiência – o que eles fazem está lá a mostra. São propostas de gente jovem, com idéias muito boas, opções diferentes ao que se encontra no que se chama de “alta costura colombiana”. Há muito muito talento por esse lado do planeta. Uma loja legal aqui em Bogotá para encontrar coisas diferentes e bem feitas é na Zombie. Outro website bom é o www.populardelujo.com, recomendadíssimo.

Conversa com Alejandra, Bijapy

Superziper – Pra terminar, ensina a gente a falar algumas gírias colombianas.
Alejandra – Um parênteses antes… Na hora de traduzir talvez essas palavras percam seu sentido, mas é assim que a gente fala em Bogotá. As palavras mais usadas são:
. que chimba ou está una chimba = quando alguma coisa está muito muito bonita. Por exemplo ese saco esta una chimba, ¿en donde lo compraste? (essa blusa está muito bonita, onde você comprou?)
. muy chevere = bonito, bom. Chevere é um termo muito comum, usado por gente de todas as classes sociais. Não é um termo vulgar.
. vacano = bom, bonito.
. de lujo = fino, elegante.
. engallar = melhorar alguma coisa que está velha, como “pimp” en ingles .
. reencauche = remodelar, fazer uma versão nova de alguma coisa clássica ou velha, vale tanto para música como para roupa.
. del putas = também que dizer que alguma coisa está muy chevere ou uma chimba, mas com mais ênfase. Esta expressão é um pouco grosseira, mas muito comum.
. muy paila = ruim, feio. Por exemplo esos zapatos son (o estan) muy paila (esses sapatos estão muito feios). Pra dizer que eles são muito feios se diz re paila.
. boleta = esta expressão é parecida com paila, mas é mais específica pra mau gosto. Por exemplo, poderia dizer que é uma boleta os homens que usam camisa aberta, mostrando os pelos do peito. Na verdade a palavra pra isso é traqueto, o estilo do narcotraficante.

Bijapy no Flickr – http://www.flickr.com/photos/bijapy/

* * * * * * * * * *
Também no Superziper: antes da Alejandra, já entrevistamos a Miriam, a Liliam Higa, a Carol Grilo e a Yurippe Masuda. E mais… confira um índice com tudo que já publicamos.

8 ZigZags
  1. Carol disse:
    29 de agosto de 2007 às 22:53

    Adorei! Não conhecia o trabalho dela, já está adicionada ;]
    Dá vontade de ter tudo!! =D

    Responder
  2. 30 de agosto de 2007 às 09:40

    que fofa gente!
    adorei e tb nao conhecia!!
    fiquei ate com vontade de ter uma pecinha dela!!!!!

    Responder
  3. Nana disse:
    31 de agosto de 2007 às 08:18

    tudo muito colorido e alegre… adorei! dá vontade mesmo de ter algo dela.

    Responder
  4. miriam disse:
    01 de setembro de 2007 às 16:22

    que lindo! =)))
    já espreitei o flickr e vou já adicionar ;)

    continuem o bom trabalho ;)
    beijos.

    Responder
  5. ROSELI disse:
    12 de Fevereiro de 2012 às 12:35

    Olá, Alejandra!

    moro em caxias do sul -RS Brasil- tenho uma passap duomatic 80 completinha a uns 5 anos e não sei trabalhar com ela , estou louca pra começar mas aqui ninguém sabe como usar a maquina, estou tentando encontrar apostilas e nada. por gentileza entra em contato, ficaria muito agradecida. poderia me enviar apostilas, ou explicações por email, e posso pagar pelo que você me enviar.sei que você vai me entender estou ansiosa pra começar.
    meu MSN sartoradm.rose@hotmail.com
    facebook roseli della giustina

    um grande beijo!
    Rose

    Responder
  6. priscila disse:
    26 de Maio de 2012 às 05:02

    Que lindo…
    eu amei maquina da tricotar.
    eu tenho maq tricotar quebrador por velhinho
    eu queria nova….
    por favor
    aonde estar comprar maquina tricotar.

    Responder
  7. ana maria disse:
    11 de junho de 2012 às 11:58

    comprei uma maquina de costura singer fashion dezembro de 2011, gostaria de trocar por uma lanofix de bom estado

    Responder
  8. regina disse:
    08 de julho de 2012 às 15:24

    boa taede a todos onde compro esta maqina?

    Responder
Deixe seu Comentário

«
»