04 abr 08
inspiração
Conversa Crafty: Criz Paz, da Chez Cris
por Andrea

Faz um bom tempo que planejo trazer a Cris Paz para esta seção e finalmente pintou o momento ideal. Não sei se vocês também repararam que negócios é um assunto que não quer mais calar entre crafiteiras do Oiapoque ao Chuí. Parece que muita gente está querendo achar o caminho para fazer crafts melhores e mais criativos, tornando seu negócio mais profissonal.
Com isso em mente lembrei de cara da Chez Cris, que para mim é um bom exemplo de marca craft bem sucedida. Conheci a Cris Paz quando um belo dia viramos contato no Flickr e ela ainda fazia bijoux. Progessivamente testemunhei a Cris ir aumentando a sua linha de produtos. Cada hora ela inventava uma novidade: apareceram broches em tecido, toys fofos, sacolinhas e os kits Soninho, Lanchinho (o que será que virá em seguida ?). Sempre me chamou muito a atenção o fato da Cris divulgar brilhantemente a sua marca, conseguindo expor muito bem seus produtos nos grandes veículos. Qual será o segredo dela ?
Aqui está a conversa com a Cris Paz, jornalista, marketeira e, acima de tudo, crafter de mão cheia:

crispaz

A: Conte como foi o começo da Chez Cris
C: A Chez Cris nasceu há mais de quatro anos. Eu estava estressada e com o colesterol alto, trabalhando muito. Na época, o médico recomendou que buscasse um hobby, então comecei a fazer bijoux com peças de vidro entrelaçadas, um mix de técnicas russa e japonesa. As peças começaram a fazer sucesso entre as amigas e amigas das amigas. O meu lado empreendedor acreditou no potencial da coisa e dei um passo importantíssimo participando de uma feira de negócios para o mercado dos acessórios de moda – a Mostra Acessórios. O evento é voltado para os lojistas e foi lá que percebi um outro caminho possível. Explico melhor. Os colares, como eram feitos com matéria-prima importada e com técnicas apuradas, precisam de uma embalagem à altura do produto, que protegesse as peças e que ainda tivesse valor agregado. Às vésperas da feira, pequei uns retalhos de feltro e fiz embalagens. Nada demais. Na feira percebi que os lojistas gostavam dos colares, mas amavam a embalagem !!! Confesso que a princípio fique bem frustrada. Mas nesta hora, precisamos ser o mais racional possível e ter a humildade de “ver com os olhos de enxergar”. Uma lojista propôs que criasse um produto para ela, partindo do que era a embalagem. Fiz os estudos, os testes e eles aprovaram o protótipo. A partir daí, a Chez Cris tomou outro rumo e há um ano estamos trilhando novos ares, trabalhando com toys em tecido, o que tem sido muito legal.

cris3

A: Toda estratégia de marketing trabalha os 4 P’ s ( produto, preço e ponto de venda) . Com é isso pra a Chez Cris ?
C: Trabalho os 4ps da seguinte maneira:
* Produto: Nosso foco é apresentar ao mercado sempre produtos diferenciados, para isso muita pesquisa e mente aberta as possibilidades.
* Preço: É um capítulo essencial do negócio. Vejo que muita gente pratica preço muito baixo, o que não saudável nem para o negócio dela e muito menos para o mercado. Certa vez conversei com um consultor do Sebrae que disse que o segredo de uma empresa sadia é saber precificar os produtos. Por isso, na Chez Cris assim que um item novo fica pronto, colocamos todos os custos numa ficha técnica. Isso facilita para achar o preço justo daquela peça. No meu caso, tenho duas tabelas: atacado e varejo, sendo que a última contém o mesmo preço de venda sugerido ao lojista.
* Promoção: Temos uma planilha de ações só para promover as linhas de produtos, sempre focando os nossos dois públicos: atacado e varejo.
* Ponto-de-venda: No meu caso é importante estar em vários pontos-de-venda que tenham o perfil certo. Hoje estamos em São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Juíz de Fora e Rio de Janeiro, em cerca de 16 lojas. E com representantes na Inglaterra e França.

crisduplo

A: E como surgem as idéias e conceitos para os seus produtos ?
C: Acredito que os produtos devem nascer partindo da necessidade das pessoas. E percebo que, cada vez mais, isso é valorizado no mercado. Para mim, tudo pode virar produto, deste que tenha um conceito. O Kit Soninho (foto acima) , por exemplo, surgiu depois de uma longa, quase eterna, viagem de avião. No mesmo que eu e meu marido estava um casal e suas filhas, de 6 e 3 anos. Os pais não se prepararam para entreter as meninas durante uma viagem de 12 horas ! A menor foi chorando sem parar durante as 5 primeiras horas do vôo. Imagina a situação, todo mundo irritado e a mãe não levou sequer a bonequinha preferida da menina. Aquilo foi traumatizante para todos a bordo, mas principalmente para a criança. Desci do avião jurando que iria criar algo que levasse o conforto e o bem-estar que a criança tem dentro de casa para o lugar que ela fosse. Criei o Kit Soninho!
Eu vivo tendo idéia, claro que algumas vingam outras não. A boneca Greta nasceu nas escadas rolantes durante um passeio no shopping. Ando sempre com caderneta (mania de jornalista) e caneta na mão.

A. O que você acha dos sites de venda de produtos artesanais direto ao consumidor como Etsy e Elo7 ? A Chez Cris já abriu loja em algum ?
C: Faz um tempão que estou para fazer minha loja no Etsy, está no meu planejamento para o primeiro semestre ! Acho importante e essencial participar deste tipo de site, sem contar que é uma plataforma de exportação para os seus produtos. Estou iniciando o Elo 7, porém acho que ainda tem muita coisa pra acertar no site. Acredito que ambos sejam interessantes do ponto de vista comercial, mas é importante saber que eles não andam sozinhos. Não adianta ter uma loja virtual e ficar esperando os compradores, são necessárias várias ações de marketing para que a roda gire.

Conversa Crafty: Chez Cris

A: Como você trabalha a exposição da Chez Chris na mídia ?
C: Existe toda uma programação de divulgação da marca. Tem de ter foco. O fato de eu ser jornalista e ter também uma empresa de comunicação ajuda bastante. Não existe uma fórmula mágica na divulgação. Mas um ponto pode ajudar: crie produtos inovadores e divulgue para os veículos certos. Os jornalistas são formadores de opinião e gostam de ter acesso às coisas bacanas muito antes de chegarem ao mercado, portanto, eles procuram criatividade e inovação, sempre.

A: Dê uma dica de negócios para as crafter brasileiras
C: Acompanho muitos blogs de crafters internacionais e percebo que lá fora o craft é levado com muita seriedade e profissionalismo, coisa que ainda não acontece no Brasil. Mas acho que tudo tem um começo, acredito que podemos iniciar o processo de amadurecimento deste mercado, que tem muito potencial de crescimento.

Confira mais da Cris Paz:
O blog da Cris Paz , Ah!!! Tá… tudo bem…
O blog da Chez Cris, Acessórios e Toys
Diferencial de Comunicação

**********************************
Espero que tenham gostado da entrevista.
Ah, semana que vem tem uma surpresinha aqui no Superziper que acho que vocês vão gostar. Só posso adiantar que também envolve a Cris :). Aguardem !

17 ZigZags
  1. 04 de Abril de 2008 às 20:22

    Nossa amei a entrevista!!!
    A Cris foi super objetiva e linda.
    Parabéns!!!!

    Responder
  2. fernanda disse:
    05 de Abril de 2008 às 00:04

    Nossa também gostei bastante.
    Curta e muito interesante.

    Responder
  3. Claudia disse:
    05 de Abril de 2008 às 13:53

    Uma entrevista instrutiva e interessante. Mas tambem um pouco fora dos meus padroes. Nao sei o resto do pessoal que le o blog e faz craft, mas eu nao tenho muito dinheiro para bancar uma grande producao ou mesmo contratar uma empresa de promocao. Sou eu sozinha e tenho que ir me virando. A gente tenta mas me senti muito longe do nivel da Cris.

    Responder
  4. Cristine Cartacho Paz disse:
    05 de Abril de 2008 às 20:16

    Oi Claudia, tudo bem? Que nada menina, não desanima não viu!!! Com criatividade conseguimos encontrar ótimas soluções pra tudo. Meu investimento inicial foi de 100,00 e uma máquina emprestada. Comprei alguns tecidos e aviamentos e segui em frente.
    Só de pois consegui comprar minha primeira máquina de costura, que pagarei a última prestação agora em abril, dividi em 12 vezes.
    O negócio foi crescendo, tomando forma e em janeiro comprei outra, mas usada. A Chez Cris está no começo e enfrenta obstáculos enormes, como qualquer microempresa no Brasil. Minha produção não é grande (ainda!), trabalho eu e minha mãe. Agora estamos treinando uma costureira que irá prestar serviço pra nós. Mas cada passo de uma vez, certo?
    Você não precisa contratar uma empresa de comunicação para divulgar a sua marca. Meu maior retorno – como de outras crafters – vem de divulgação feita na Internet.
    Olha só como divulgar a sua marca e não gastar nada por isso:
    * ter um blog gratuito (o segredo está na atualização, de preferência diária)
    * fazer fotos legais, veja no link algumas dicas:
    http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI830798-EI4797,00.html
    * manter bom relacionamento com outros blogueiros, o boca-a-boca é fundamental (aconteceu comigo, tem vários blogueiros que divulgam o meu trabalho)
    Boa sorte!

    Responder
  5. Celly disse:
    06 de Abril de 2008 às 04:24

    Super entrevista que dá uma luz para quem deseja tornar seu hobby em um projeto sólido, gostei demais de tudo o que foi abordado e sem dúvida acrescenta e muito para quem como eu está iniciando no artesanato como fonte de renda, além do hobby!! Aproveito para comentar sobre o comentário da Cris para a Claudia, acredito muito no boca a boca na internet e ter contato com o mundo blogueiro acho essencial, concordo plenamente !
    Espero ver mais sobre esse assunto aqui, tem a questão do registro de artesão que poderia ser abordada,deixo como sugestão para uma proxima…parabéns pelo blog , amo tudo por aqui !

    Responder
  6. 06 de Abril de 2008 às 19:33

    celly, esse assunto tá “pegando” lá na comunidade do superziper no flickr.

    Eu esqueci de postar aqui: o SEBRAE tem vários cursos bacaninhas, online, de empreendedorismo, gestão de mkt, de finanças e agora de qualidade, para pequeninas empresas. :)
    Acho que vale a pena dar uma olhada

    Responder
  7. Alessander Guerra disse:
    07 de Abril de 2008 às 21:28

    Muito obrigado pelo espaço que deram pra Chez Cris.

    até
    Alessander Guerra
    http://www.cuecasnacozinha.blogspot.com

    Responder
  8. Alessander Guerra disse:
    07 de Abril de 2008 às 21:28

    Muito obrigado pelo espaço que deram pra Chez Cris.

    até
    Alessander Guerra
    http://www.cuecasnacozinha.blogspot.com

    Responder
  9. andrea disse:
    08 de Abril de 2008 às 23:11

    oi alessander , obrigada pela visita ! adorei seu blog, me deu até fome :)

    Responder
  10. Tati disse:
    09 de Abril de 2008 às 06:55

    Eu também adorei a entrevista!
    Cris, de quanto é a sua produçao hoje? Os pedidos que as lojas fazem a vc sao pequenos, dá para atender numa boa?

    Responder
  11. Cristine Cartacho Paz disse:
    09 de Abril de 2008 às 23:13

    Oi Tatiana, tudo bem? A produção cresceu muito, por isso estamos treinando uma costureira que prestará serviço pra gente. Na maioria das vezes, o primeiro pedido do lojista é pequeno, ele quer ver a aceitação do consumidor. Numa segunda fase, o número de itens de um pedido aumenta.
    Espero ter te ajudado.
    Bjs

    Responder
  12. Ana Tuyama disse:
    12 de Abril de 2008 às 18:00

    Que entrevista legal, que visão boa, quantas dicas úteis.
    Parabéns!
    Ana Tuyama

    Responder
  13. andrea disse:
    14 de Abril de 2008 às 20:47

    brigada ana, vamos tentar tazer sempre gente nova e interessante pra falar no ziper :)

    Responder
  14. 04 de Maio de 2008 às 13:28

    Foi e esta sendo muito bom conhecer a Cris.Já visitei o blog e gostei muitissimo de tudo…

    Responder
  15. 04 de Maio de 2008 às 13:38

    Cris todas as suas dicas valem ouro,visto que é muito dificil,mas com boa vontade e oportunidades dadas nos dão a direção a seguir dem erros…

    Responder
  16. harumi disse:
    13 de Janeiro de 2009 às 14:22

    amei a entrevista!
    achei ótimas as dicas da cris!
    beijoca,
    da harumi

    Responder
  17. harumi disse:
    13 de Janeiro de 2009 às 14:22

    amei a entrevista!
    achei ótimas as dicas da cris!
    beijoca,
    da harumi

    Responder
Deixe seu Comentário

«
»