29 ago 08
outros bla bla blas
Diga aí: Esta ou aquela?
por Claudia

Estampa: esta ou aquela?
Esq.: Jardim de Flores. Dir.: Docinhos felizes

Vocês estão convidados a escolher qual destas minhas estampas deve virar tecido. Estou lançando meu estúdio de ilustração e estamparia e preciso de uma amostra para colocar no site/portfolio. Semana que vem conto mais detalhes desta empreitada, mas enquanto isso, ajudem-me a decidir. Vou usar o serviço da Spoonflower. No final da semana que vem a gente apura os resultados e eu faço a minha encomenda. Quando chegar, vou guardar uma metade pra mim e a outra vou pôr a venda no Etsy à preço de custo (mas so’ para este primeiro lote – depois vai entrar o preço normal).

Qual estampa deve virar tecido?
Jardim de Flores
Docinhos felizes
  
Free polls from Pollhost.com

 

PS: idéias sobre o que fazer com o tecido são mais do que bem-vindas! Deixem suas idéias nos comentários.

***********
Também no Superziper: Não se esqueçam de que o desafio das tesouras continua rolando e vai até domingo que vem (31/8). Estamos esperando mais fotos. Mas tem gente que já colocou as fotos no grupo. Clique aqui para conferir.

28 ago 08
craft tourfashionoutros bla bla blas
Descobrindo Valentino
por Claudia

Exposição: Valentino { destaque }

A foto acima é do vestido que abre a exposição ‘Valentino: Thèmes et Variations’, que está em cartaz até o dia 21 de setembro no Museu de Artes Decorativas de Paris (galeria virtual). Teríamos muitas outras para mostrar se logo de cara eu não tivesse sido barrada pelo guarda do museu, que veio me alertar (em francês) que fotos nesta sala eram proibidas. Uma pena, mas compreensível. Em tempos digitais, que as pessoas nem mais pensam antes de fotografar, as fotos afetariam as duas fontes de renda mostra: ingressos e venda de catálogos.

A exposição para mim foi uma grande surpresa. Não sabia o que esperar, porque não tinha me planejado e nem me informado antes – apenas fui. E descobri vestidos e mais vestidos, cada um com preciosos detalhes. Pude conferir de perto o lado craft impecável da alta costura. Os vestidos tinham pregas, costuras, formatos, transparências, rendas e bordados de se admirar sem cansar!

A ambientação da exposição era quase teatral. Salas escuras, mas com fortes holofotes em cima dos vestidos. Eles estava organizados por temas e muitas vezes eram dispostos em seqüência, como se os manequins representassem um momento congelado de um desfile na passarela. Justamente por não poder tirar fotos, eu exercitei muito mais minha observação. E por momentos eu conseguia viajar e me transportar para o momento em que cada uma daquelas peças estava sendo costurada: a escolha dos tecidos, a montagem delicada, a técnica para estruturar os formatos e transformar croquis em vestidos tão impressionantes.

Exposição: Valentino { livros } Exposição: Valentino { notas }
Catálogos à venda na loja do museu / Minhas anotações e rabiscos em um caderninho.

Os mais de 200 vestidos fazem parte de uma retrospectiva dos 50 anos de carreira de Valentino Garavani, estilista italiano em atividade desde 1959. A mostra traz vestidos de várias coleções, mas ao invés de serem organizados por ano, foram agrupados por tema: surface, ligne, volumes, blancs, techniques, animalia, plumes, décors, géometries, plissés, budellini, asymétries, volants, transparences e fleurs. Uma escolha interessante esta, pois serviu também para reforçar a atualidade dos vestidos. A grande maioria você só descobria a data da coleção se se aproximasse do vidro para ler na plaquinha de identificação o ano e estação da peça.

E foi reparando nestas placas que vi como é essencial para uma grande maison se cercar de bons fornecedores. As peças são o resultado claro da excelência na criação e também na execução. Para cada vestido, o museu citava o nome da empresa fornecedora do tecido (plumas, couro e peles) e de técnicas específicas (bordados e flores de tecido). Eu anotei no meu caderninho e transcrevo aqui quem eram os fornecedores do Valentino:

Tecidos:
Abraham, Agnona, Beaux-Valette, Bianchini-Ferrier, Braghenti, Buche-Guillaud, Bucol, Canepa, Clerici-Tessuto, Corisia, Darquer, Forster Rohner, Gamma Seta, Gandini, Gentili, Hurel, Isa Seta, Jermi, Lareno Paris, Lucchini, Luigi Verga, Mery Dentelles, Mosconi, Nattier, Omniapiega, Ostinelli, Ratti, Ruffocoli, Satam, Soieries Chambutaires, Solstiss, Sophie Hallette, Sormani, Stucchi, Taroni

Bordados:
Bead, Emanuelle, Hurel, Lanel, Lareno Paris, Lesage, Marabitti, M.Rinalini, Pagliani-Brasseur, Pinograsso, Shameeza

Flores:
Maison Lemarié, Pagliani-Brasseur

Peles e couros:
Balzani, CIWI Furs, Giacca Pelle, Italian Furs, MMMAR

Plumas:
Galeotti, Maison Lemarié

Sintam o “drama” lendo a descrição detalhada de um dos modelos apresentados:

Automne Hiver 90-91 mod 160
Tailleur-jupe du soir, veste en mouseline rose drapée, jupe en dentelle rose e blanche lamée or pailletté, appliquée de fleurs brodées de paillettes, de perles, de strass, ceronées de plume d’autruche, transparent d’organza bronze, ceinture en satin rose ouatinée à noeud plat. Tissus Taroni et Darquer. Broderie Marabitti.

Só faltou uma coisa: dar créditos aos os artesãos habilidosos, que trabalharam com maestria para dar forma às roupas de Valentino. Uma salva de palmas pra eles!

* * * * * * * * * *
Para quem gostou do assunto vale a pena ler (e se deliciar) um artigo publicado na Edição Especial de Estilo da Veja, de 2005, sobre ateliês especializados que trabalham com alta-costura na França. Vários dos nomes citados acima aparecem por lá, com fotos e depoimentos.

*****************

Também no Superziper: Outra estilista venerada pelos crafters atuais e que teve uma vida muito interessante foi Elsa Schiaparelli. Sabe de onde veio o termo cor-de-rosa-choque? Já escrevemos sobre ela aqui.

26 ago 08
costura
DIY: Avental La Vie en Rose
por Andrea

avental 037
Em casa de ferreiro, o espeto é de pau. Ou melhor seria em casa de costureira, o avental é feito na china e é da Tok Stok. Resolvi dar um basta neste dilema no último final de semana. Resolvi que tinha que precisava de um avental handmade e que isso era uma necessidade básica, urgente !
Me empolguei com isso quando folheei mais um vez o excelente Bend-The-Rules Sewing: The Essential Guide to a Whole New Way to Sew. É um livro que tenho há um bom tempo e li de cabo a rabo, mas sentia falta de ver mais fotos em certos projetos (o passo-a-passo é explicado apenas com desenhos e texto). Eu que sou muito visual as vezes sofro para entender instruções que não têm muitas fotos. Foi então que decidi fazer o Avental Vintage (pg 102) e fotografar algumas etapas para mostrar aqui em primeira mão para vocês.
O legal de costurar aventais são as possibilidades de criar à la carte em cima do modelo básico. Eu dei meu toque pessoal colocando bolsos, tecido pink, xadrez, poás e ric racs. Vale praticamente tudo para deixar o avental com a nossa cara. Babados ? Bolsos diferentes ? Rendas ? Estampas ? Pode tudo. Não há limites para a criatividade em se tratando de aventais!

Avental La Vie en Rose (adaptado do modelo Vintage Apron, da Amy Karol)

Materiais:
1 m tecido de algodão
retalho de tecido contrastante para os bolsos (opcional)
1 m de ric-rac branco de 1 cm de largura (opcional)
0,5 m viés xadrez de 1 cm (opcional)
alfinetes e agulha de costura para alinhavar
linha poliéster branca
ferro e tábua de passar
máquina de costura

Primeiro risque e corte o algodão em4 peças base para o avental (já inclui margem de costura):
Um retângulo de 89X52 cm para a saia
Uma tira de 61X 10 cm para a cintura
Duas tiras 65X 10 cm para as pontas

Opcional: Corte 2 bolsos de 16X14 cm em tecido contrastante, arredondando o formato dos cantos inferiores (os bolsos não incluem margem de costura pois o acabamento será feito pregando viés).

ave3 ave4

1. Colocar bolsos é opcional, então você pode escolher pular esta primeira parte. Se for a favor de bolsos como eu, eles serão a primeira coisa que você irá fazer. Decore pregando tiras de ric rac em cada um dos bolsos. Em seguida pregue o viés nas bordas para dar acabamento. Corte uma tira e use zig zag circundando as laterais e parte inferior do bolso. Por último corte outra tira e pregue na parte superior. Posicione com alfinetes e ‘chape’ cada um dos bolsos na frente da saia usando ponto reto (não esqueça de deixar a parte superior dos bolsos aberta!).

2. Enfeite a saia como quiser. Eu preguei uma tira de ric rac em toda a largura. Pregados todos os ornamentos e frescurites, vamos a costura da saia per se.

ave1ave2

3. O ferro é nosso amigo na hora da costura, então vamos marcar as bainhas laterais da saia. Faça uma dobra de 0.4 cms em uma das laterais. Passe com ferro para marcar. Dobre por cima mais 0.5 com e passe novamente toda a aborda. Repita na outra lateral. Dica: Esta etapa pode ser feita de uma vez só se voce tiver um pé embainhador na sua máquina :)

4. Costure com ponto reto, fazendo a bainha nas duas laterais. Repita o processo de passar a bainha na barra da saia, porém desta vez dobre a mesma subindo aproximadamente 2,5 cm. Costure usando ponto reto novamente.

ave5 ave6
5. Agora chegou o momento crucial de franzir a saia. Sem retroceder no início nem no final, passe costura reta a 0.5 cm da extremidade superior. Puxe as extremidades da linha até o franzido ficar uniforme e com 38 cm de largura total. Dê um nozinho nas duas pontas para o franzido não soltar.

6. Centralize a saia com a tira da cintura. Coloque a tira cima da saia franzida (estampa com estampa, como mostra a foto). Fixe com muitos alfinetes para as duas peças não sairem do lugar na hora de costurar ( o franzido é chatinho para ficar quieto, mas nada que vários alfinetes não resolvam). Passe costura reta por cima, a 0.5 cm da borda.

ave9ave8
7. Vire a peça. Ela deve ficar como mostra a foto. Legal, né ? Em seguida, dobre a parte superior da tira da cintura virando para a parte “de dentro” da saia.

8. Alinhave a borda superior da tira, fixando-a por dentro da saia. Passe costura reta para fixar a tira da cintura. Repare que os passos de 6 a 8 fazem com que a ponta do franzido fique embutido por dentro da tira.

ave10 ave11
9. Chegou a hora de fazer as pontas para você amarrar o aventalna cintura. Corte uma ponta de cada uma das duas tiras na diagonal, em aproximadamente 45 graus.

10. Faça a bainha de 0.3 cm nos dois retângulos, na ponta em diagonal e na parte inferior e superior. Deixe a ponta menor sem bainha, nesta faça um frazindo, igual ao feito anteriormente na parte superior da saia.

ave12 aventalboa3
11. Posicione casa uma das pontas nas extremidades da tira central com alfinetes . Passe costura reta por cima para fechar.

12. Ta-dá !!!! Passe vincando bem e saia por aí toda prosa, de avental rosa, cantando o clássico de Edith Piaf !

*****************************
Se você gostou e quer descobrir projetos tão legais quanto este recomendo que você vá atrás do Bend-The-Rules Sewing: The Essential Guide to a Whole New Way to Sew. A autora Amy Karol dá várias dicas básicas de costura e mostra 30 outros projetos fáceis, para quem está começando a costurar. Ela tem o dom de simplificar o que parece difícil e escrever numa linguagem super bem humorada, como se fosse aquela amigona te incentivando a costurar quando você desanima e pensa “ai eu sou muito gauche e nunca vou conseguir costurar uma bolsa/sacola/avental (substitua por aquilo que você quiser) “. Eu recomendo o livro principalmente para iniciantes , mas quem ja é experiente na costura vai amar também os projetos estilosos. Ela nos mostra que em matéria de costura as coisas mais bacanas podem ser também as mais simples. Ponto (cruz) para ela.
Musa absoluta dos crafts, o blog da Amy Karol é também um show a parte. Aposto que você já conhece o Angry Chicken, se não conhece trate de salvar o feed no seu leitor de blogs djá ! Como se não bastasse ela ainda tem outro blog especialidado em aventais , handmade e vintage, o Tie One On . Amy Carol é leitura craft fundamental no papel e online !

Esta moda de costurar aventais fofos ainda pega aqui no Brasil, não acham ? Por mim pega agora. Faça o seu avental e mande pra gente ver, quem sabe rola aqui um mosaico com aventais de leitoras superziperianas ? Não seria o máximo :D ?

avental 027
( Avental também merece tomar um solzinho)

*************************
Também no Superziper: Post da Elisa Dantas mostrando como vencer o medo e aprender a pregar um zíper . Com a Elisa explicando fica fácil fácil e de quebra você faz uma bolsinha/necessáire, vamos lá perder o medo agora :)

24 ago 08
outras técnicas
Decotape – idéia #6
por Claudia

Celular com decotape Adaptador USB com decotape

Não quero parecer nem saudosista e nem reclamona, mas este fato não dá para negar: as coisas de hoje em dia quebram muito mais fácil. Então, porque não unir o útil ao fofo?

Andei remendando meus gadgets com decotape :-) As fotos aí de cima são casos reais. Primeiro foi a tampinha do meu celular que ficou meio solta – talvez de tanto ficar jogado na bolsa e, de vez em quando, cair no chão – essas coisas acontecem comigo. E depois, foi a vez do meu adaptador USB para cartão de memória. O plástico se dividiu ao meio e o decotape foi a salvação.

Nós adoramos promover a campanha: “use seu decotape, não deixe ele encostado em um canto craft”. Clique aqui para ver outros exemplos de uso.

* * * * * * * * * *
Também no Superziper: Uma dica prática para quem não sabe o que fazer com aquela confusão de fios de carregadores, computador, máquina fotográfica, ipod e afins.

Página 1 de 41234