27 mar 09
outros bla bla blas
Diga aí: porque você prefere consumir crafts?
por Claudia

Pretinha na Wired!

Há umas semanas saiu um artigo na Wired (por isso a foto aí de cima, hehehe) tentando entender o porquê do mercado craft não ter sido tão afetado pela crise nos EUA, diferente do restante da economia. O autor acha que isso tem tudo a ver com uma tendência, já não tão atual, de customização e individualidade – na verdade ele usa até o termo “obsessão”. Enfim, as pessoas não querem mais comprar produtos feitos aos baldes, as pessoas querem ter coisas diferentes, não ser mais um na multidão. Seguindo o artigo e o tema, o blog Re-Nest pediu pros seus leitores (na sua esmagadora maioria, americanos) que deixassem nos comentários qual era a motivação deles em comprar em sites como o Etsy. O que a gente fez? Pegamos 10 motivos citados pelo povo de lá e jogamos na enquete daqui. Queremos saber se no Brasil as pessoas compram crafts pelas mesmas razões. Deixe seu voto e, se tiver algum outro motivo em particular, os comentários estão abertos para isso mesmo. Estamos curiosas!

Porque você prefere comprar crafts?
Eu nunca encontro o que quero nas lojas tradicionais
Em geral são peças únicas, tem muito mais variedade
Me dá satisfação, eu apoio a criatividade de alguém
Prefiro não dar meu dinheiro a grandes empresas
Para estimular o mercado de crafts
Posso estabelecer uma relação com a pessoa de quem vou comprar
Não gosto de produtos feitos em série, de varejão
O atendimento e os preços são melhores
Consumo consciente: sei a origem de onde vem o produto
Me tira o peso de ser consumista
  


***************
Também no Superziper: No começo de março a gente perguntou porque você faz crafts e a opção hobby ganhou disparada com 59% dos votos. Crafts são fonte principal ou complemento de renda de 34% de quem votou. E na lanterninha, com 7% dos votos ficou a resposta pra economizar nos presentes pra amigos e família.

20 ZigZags
  1. 28 de Março de 2009 às 11:12

    Todas as respostas acima para mim são válidas. Só não achei que tirar o peso de ser consumista seja uma boa resposta ou alternativa. Pois consumista todos podem ser. De verdade eu acho que uma coisa válida na economia do craft, faça você mesmo é também a redistribuição de renda, e a questão social. O Sebrae tem vários projetos para pequenos artesões no Brasil se profissionalizarem e empreenderem a venda de seus produtos. O DIY como chamamos por aqui é uma oportunidade de gerar renda a quem não teria possibilidade de ter um emprego formal e estar inserido a sociedade e na economia. Eu sempre me perguntei por que a reciclagem no Brasil é tão importante a população quando aqui uma lata de refrigerante não tem a menor importância, é jogada num container e ninguém sabe o que se fará dela. Os anéis da lata mesmo aqui na Áustria ninguém dá a menor importância como nós brasileiras damos. Então eu acredito que a volta do artesão é sim uma forma de inserção na sociedade. Não sei se estamos fazendo uma “desrevolução industrial”, mas acho que é algo importante para economia atual em tempos de crise ou não. Por que a economia capitalista é baseada no consumo. Mas quando acabam os recursos financeiros para se consumir quem comprará os novos produtos? Ou quando todos têm as mesmas coisas acaba também o discurso de poder pela posse material. As formas de poder hoje estão mudando. Se você tem um sapato de griffe cara é super. Mas com dinheiro todos podem ter. Mas um sapato ou blusa descolada com um quê de slowfashion, ou antimoda, que vai durar bastante e trazer um estilo diferente, pode até tornar você mais popular no seu trabalho naquela empresa, que trabalham mais de 50mil pessoas e ninguém sabe quem é quem. Eu já fiz muitos conhecidos no elevador do prédio onde eu trabalhava por causa de um casaco vermelho vintage, feito por uma tricoteira carioca, que uma prima me deu. O casaquinho tem nada mais que 30 anos e tá lindo. É isso. Puxa escrevi muito…Foi maus!

    Responder
  2. 28 de Março de 2009 às 11:12

    Todas as respostas acima para mim são válidas. Só não achei que tirar o peso de ser consumista seja uma boa resposta ou alternativa. Pois consumista todos podem ser. De verdade eu acho que uma coisa válida na economia do craft, faça você mesmo é também a redistribuição de renda, e a questão social. O Sebrae tem vários projetos para pequenos artesões no Brasil se profissionalizarem e empreenderem a venda de seus produtos. O DIY como chamamos por aqui é uma oportunidade de gerar renda a quem não teria possibilidade de ter um emprego formal e estar inserido a sociedade e na economia. Eu sempre me perguntei por que a reciclagem no Brasil é tão importante a população quando aqui uma lata de refrigerante não tem a menor importância, é jogada num container e ninguém sabe o que se fará dela. Os anéis da lata mesmo aqui na Áustria ninguém dá a menor importância como nós brasileiras damos. Então eu acredito que a volta do artesão é sim uma forma de inserção na sociedade. Não sei se estamos fazendo uma “desrevolução industrial”, mas acho que é algo importante para economia atual em tempos de crise ou não. Por que a economia capitalista é baseada no consumo. Mas quando acabam os recursos financeiros para se consumir quem comprará os novos produtos? Ou quando todos têm as mesmas coisas acaba também o discurso de poder pela posse material. As formas de poder hoje estão mudando. Se você tem um sapato de griffe cara é super. Mas com dinheiro todos podem ter. Mas um sapato ou blusa descolada com um quê de slowfashion, ou antimoda, que vai durar bastante e trazer um estilo diferente, pode até tornar você mais popular no seu trabalho naquela empresa, que trabalham mais de 50mil pessoas e ninguém sabe quem é quem. Eu já fiz muitos conhecidos no elevador do prédio onde eu trabalhava por causa de um casaco vermelho vintage, feito por uma tricoteira carioca, que uma prima me deu. O casaquinho tem nada mais que 30 anos e tá lindo. É isso. Puxa escrevi muito…Foi maus!

    Responder
  3. 29 de Março de 2009 às 00:22

    oiiiiiiiiiiii….
    estou tentando começar, mesmo que aos poucos, a fazer crafts, amo a arte de criar com tecidos, claro, isso tbm me ajudará na faculdade, mas quero mesmo é materializar minhas idéias! Heheeee
    “miguxas crafters ()”, tenho umas perguntas que não querem calar… aí vão elas…

    1 qual o tecido que vcs usam?
    2 qual utilizo?
    3 que máquina de costura recomendam? (Obs.: é que quero comprar uma, daí estou pesquisando antes).

    Desculpa tantas perguntas, mas precisava respostas de quem realmente entende.

    Beijokas mil!!!!

    Responder
  4. 29 de Março de 2009 às 00:22

    oiiiiiiiiiiii….
    estou tentando começar, mesmo que aos poucos, a fazer crafts, amo a arte de criar com tecidos, claro, isso tbm me ajudará na faculdade, mas quero mesmo é materializar minhas idéias! Heheeee
    “miguxas crafters ()”, tenho umas perguntas que não querem calar… aí vão elas…

    1 qual o tecido que vcs usam?
    2 qual utilizo?
    3 que máquina de costura recomendam? (Obs.: é que quero comprar uma, daí estou pesquisando antes).

    Desculpa tantas perguntas, mas precisava respostas de quem realmente entende.

    Beijokas mil!!!!

    Responder
  5. 29 de Março de 2009 às 01:16

    Porque coisas feita à mão são exclusivas, lindas e eu amo! =)

    Responder
  6. 29 de Março de 2009 às 01:16

    Porque coisas feita à mão são exclusivas, lindas e eu amo! =)

    Responder
  7. Lana disse:
    29 de Março de 2009 às 07:17

    Tem a questão da qualidade também. Como sou professora era difícil encontrar uma sacola grande e resistente para levar os materiais, isso se resolveu comprando uma bolsa feita por uma crafter. Material de ótima qualidade e por um preço justo.

    Responder
  8. Lana disse:
    29 de Março de 2009 às 07:17

    Tem a questão da qualidade também. Como sou professora era difícil encontrar uma sacola grande e resistente para levar os materiais, isso se resolveu comprando uma bolsa feita por uma crafter. Material de ótima qualidade e por um preço justo.

    Responder
  9. emy disse:
    29 de Março de 2009 às 11:29

    passadinha rápida, mas não poderia deixar de comentar: pra mim, todas as alternativas são válidas, mas eu ressalto a primeira, porque o mercado, o brasileiro principalmente, não me entende. Para mim, comprar em shoppings se tornou uma tortura medieval. Há um tempo, não se via outra coisa a não ser vestidos de viscolycra, era uma inundação, simplesmente não dava pra querer outro tecido, porque quase não havia… e as calças skinny, aquelas que devem vestir bem só 10% da população… a vendedora fez cara de entojo quando disse que não uso esse modelo. Minhas opções na loja se reduziram a 2 (duas!)calças, não tinha mais nenhuma! Ou seja, se vc não curte a moda do momento, vc vai bater muita perna, um saco! Fora que as coisas de qualidade e diferentes aqui no Brasil ou são caras ou são de crafters (benditos sejam!), o resto é tudo igual. Desculpem se soei genérica ou dramática, mas é q esse assunto consome minha paciência mesmo…
    ah, tb uso muita roupa da minha mãe, q são lindas, bem cortadas e são feitas com tecidos muito melhores do que a média de hoje
    e viva o artesanal!

    Responder
  10. emy disse:
    29 de Março de 2009 às 11:29

    passadinha rápida, mas não poderia deixar de comentar: pra mim, todas as alternativas são válidas, mas eu ressalto a primeira, porque o mercado, o brasileiro principalmente, não me entende. Para mim, comprar em shoppings se tornou uma tortura medieval. Há um tempo, não se via outra coisa a não ser vestidos de viscolycra, era uma inundação, simplesmente não dava pra querer outro tecido, porque quase não havia… e as calças skinny, aquelas que devem vestir bem só 10% da população… a vendedora fez cara de entojo quando disse que não uso esse modelo. Minhas opções na loja se reduziram a 2 (duas!)calças, não tinha mais nenhuma! Ou seja, se vc não curte a moda do momento, vc vai bater muita perna, um saco! Fora que as coisas de qualidade e diferentes aqui no Brasil ou são caras ou são de crafters (benditos sejam!), o resto é tudo igual. Desculpem se soei genérica ou dramática, mas é q esse assunto consome minha paciência mesmo…
    ah, tb uso muita roupa da minha mãe, q são lindas, bem cortadas e são feitas com tecidos muito melhores do que a média de hoje
    e viva o artesanal!

    Responder
  11. Kyria disse:
    29 de Março de 2009 às 20:03

    Brigadeiro no palito? Hum, deve ser interessante. Bjs.Adoro crafts.

    Responder
  12. Kyria disse:
    29 de Março de 2009 às 20:03

    Brigadeiro no palito? Hum, deve ser interessante. Bjs.Adoro crafts.

    Responder
  13. 30 de Março de 2009 às 11:36

    Não consegui responder, pois todas as alternativas são corretas parar mim! É exclusivo, tem variedade, incentiva os artesãos, apoio ao comércio local, relação direta com o artesão, consumo consciente, além de “nunca encontro o que quero nas lojas tradicionais” e “não gosto de produtos feitos em série, de varejão”.

    Também acho que, geralmente, os produtos artesanais têm mais qualidade, tanto no material quanto no cuidado com o acabamento.

    Responder
  14. 30 de Março de 2009 às 11:36

    Não consegui responder, pois todas as alternativas são corretas parar mim! É exclusivo, tem variedade, incentiva os artesãos, apoio ao comércio local, relação direta com o artesão, consumo consciente, além de “nunca encontro o que quero nas lojas tradicionais” e “não gosto de produtos feitos em série, de varejão”.

    Também acho que, geralmente, os produtos artesanais têm mais qualidade, tanto no material quanto no cuidado com o acabamento.

    Responder
  15. Isabela disse:
    30 de Março de 2009 às 12:51

    Consumo crafts e consumiria ainda mais se houvessem mais espaço para isso!!
    Uma das coisas que a venda de crafts poderia trazer para o Brasil , pensando na própria realidade brasileira, é meios de se pagar com boleto bancário.
    Lan House já tem um preço acessível, mas a grande massa brasileira muitas vezes não tem cartão de crédito. Acho que valeria a pena aumentar as formas de pagamento!

    Responder
  16. Isabela disse:
    30 de Março de 2009 às 12:51

    Consumo crafts e consumiria ainda mais se houvessem mais espaço para isso!!
    Uma das coisas que a venda de crafts poderia trazer para o Brasil , pensando na própria realidade brasileira, é meios de se pagar com boleto bancário.
    Lan House já tem um preço acessível, mas a grande massa brasileira muitas vezes não tem cartão de crédito. Acho que valeria a pena aumentar as formas de pagamento!

    Responder
  17. 01 de Abril de 2009 às 15:56

    acho que comprar crafts tem muitos benefícios, mas sem dúvida tem muito mais problemas…
    de verdade, falo sério! rsrsrsrss
    Problema 1 – é altamente viciante!
    Problema 2 – dá vontade de fazer mais do que se viu
    Problema 3 – as amigas ficam encantadas e passam a comprar mais, o que gera um outro problema (4) – a gente volta a comprar mais
    o lado legal dos problemas é que a vida da gente fica LINDA!, tudo colorido, tudo estiloso e cheio de arte!

    Heheeee

    amei a matéria!

    Responder
  18. 01 de Abril de 2009 às 15:56

    acho que comprar crafts tem muitos benefícios, mas sem dúvida tem muito mais problemas…
    de verdade, falo sério! rsrsrsrss
    Problema 1 – é altamente viciante!
    Problema 2 – dá vontade de fazer mais do que se viu
    Problema 3 – as amigas ficam encantadas e passam a comprar mais, o que gera um outro problema (4) – a gente volta a comprar mais
    o lado legal dos problemas é que a vida da gente fica LINDA!, tudo colorido, tudo estiloso e cheio de arte!

    Heheeee

    amei a matéria!

    Responder
  19. Claudia disse:
    04 de Abril de 2009 às 00:56

    A melhor coisa de posts como esses é ver que ele rende uma participação de alto nível nos comentários. A gente adora! Vou continuar…

    Gisele, quando inclui essa alternativa do consumismo, achei que ela tinha uma cara bem americana. Eles consomem demais – a imprensa só fala disso, tem aqueles casos aberrantes de pessoas com mais de 7 cartões de crédito, etceterá. Daí acho que deve ter uma parcela dos consumidores de crafts que realmente se sentem menos culpados ao consumir. Enfim, pelos resultados do blog, essa opção teve só 1% dos votos até agora. Agora, manda pra gente uma foto do casaquinho vermelho? Se faz sucesso no elevador, a gente que saber mais!

    Lana, que sua bolsa dure muitos anos… Crafters costumam prezar pela qualidade, tanto na execução quanto da escolha da matéria-prima.

    Emy, viva o artesanal, viva! Na mesma sessão de tortura medieval, é dureza:
    – aguentar vendedoras querendo ser amigas, perguntar o nome e já chamar por apelido
    – não poder circular em uma loja a vontade sem ter que dar satisfação a cada 5 minutos
    – ver roupas sem etiqueta de preço e ter que ir atrás pra descobrir quanto custa

    Doris, imaginei que mais gente passaria por isso. Mas pelo menos uminha vai ter certa vantagem ;-)

    Isabela, espero que o tempo faça as coisas ficarem cada vez mais práticas, fáceis e acessíveis. Além das formas de pagamento, precisamos também mais formas (e alternativas) de envio pelo correio.

    Ana Maria já posso fazer uma nova enquete sobre os problemas de consumir crafts. Você me deu as respostas prontinhas :-)

    Beijos ^__^

    Responder
  20. Claudia disse:
    04 de Abril de 2009 às 00:56

    A melhor coisa de posts como esses é ver que ele rende uma participação de alto nível nos comentários. A gente adora! Vou continuar…

    Gisele, quando inclui essa alternativa do consumismo, achei que ela tinha uma cara bem americana. Eles consomem demais – a imprensa só fala disso, tem aqueles casos aberrantes de pessoas com mais de 7 cartões de crédito, etceterá. Daí acho que deve ter uma parcela dos consumidores de crafts que realmente se sentem menos culpados ao consumir. Enfim, pelos resultados do blog, essa opção teve só 1% dos votos até agora. Agora, manda pra gente uma foto do casaquinho vermelho? Se faz sucesso no elevador, a gente que saber mais!

    Lana, que sua bolsa dure muitos anos… Crafters costumam prezar pela qualidade, tanto na execução quanto da escolha da matéria-prima.

    Emy, viva o artesanal, viva! Na mesma sessão de tortura medieval, é dureza:
    – aguentar vendedoras querendo ser amigas, perguntar o nome e já chamar por apelido
    – não poder circular em uma loja a vontade sem ter que dar satisfação a cada 5 minutos
    – ver roupas sem etiqueta de preço e ter que ir atrás pra descobrir quanto custa

    Doris, imaginei que mais gente passaria por isso. Mas pelo menos uminha vai ter certa vantagem ;-)

    Isabela, espero que o tempo faça as coisas ficarem cada vez mais práticas, fáceis e acessíveis. Além das formas de pagamento, precisamos também mais formas (e alternativas) de envio pelo correio.

    Ana Maria já posso fazer uma nova enquete sobre os problemas de consumir crafts. Você me deu as respostas prontinhas :-)

    Beijos ^__^

    Responder
Deixe seu Comentário

«
»