29 jul 09
tricô e crochê
Zipervídeo: Como trocar a cor da linha no crochê
por Claudia

Crochê: como trocar a cor da linha

Atendendo a inúmeros pedidos de vocês, continuamos a série do crochê, agora é a vez do vídeo que ensina a trocar a cor da linha em uma peça. Aliás, desta vez vocês estão ganhando um vídeo dois-em-um, porque essa mesma técnica vale para você aprender o macete de ‘esconder’ a pontinha da linha na própria peçaà medida que se vai crochetando. Serve pra dar para dar um acabamento legal, sem pontas sobrando.

A gente espera que, depois dessa aula, você consiga se virar muito bem, seja em uma situação ou na outra. Vamos ao vídeo:

Com mais este vídeo com conhecimentos básicos, você vai ver que as possibilidades de projeto agora se multiplicam em progressão geométrica. Sabendo fazer os círculos, quadrados e troca de cor que a gente mostrou aqui já dá para fazer várias peças. Então agora é com você.

Quer idéias? Que tal
* Um cup-cozy listrado, à la marinheiro
* Uma toalhinha com sobras de linha
* Um jogo de porta-copos coloridos, como o da foto acima

Se ficar com dúvida lembre-se que o Youtube é seu amigo na hora do apuro craft. Não sabe como fazer um certo ponto ? Procura por lá que você vai achar uma lista enorme de vídeos e tutoriais de crochê, tanto em Inglês como em Português.

Com o vídeo de hoje se encerra a nossa série de crochê básico. Esperamos que vocês tenham curtido e que ajudado você a conseguir dar aquele pontapé incial na técnica. E se tiver alguma dúvida é so gritar daí que a gente tenta ajudar daqui.

Nos próximos meses estamos pensando em produzir vídeos de tricô básico para iniciantes. Esperamos que vocês embarquem nessa também !

****************
Também no Superziper: Quem disse que a cor rosa é pras meninas e o azul é pros meninos? Essa história de preferência de cores é antiga e tem até cientista questionando. Veja o que a gente escreveu sobre o assunto aqui.

27 jul 09
outros bla bla blastricô e crochê
Diga aí: Como você tricota ?
por Andrea

Trico estilo InglesTrico estilo Alemão/Continental
Não tem jeito, eu sou meio nerd. Nerd no sentido de ser meio obsessiva em querer ter conhecimento profundo (e muitas vezes beirando o inútil) sobre algo. Sempre tive esta tendência mas confesso que depois que entrei de cabeça no Ravelry minha nerdice pelo tricô aumentou. Desde então duas obsessões têm tomado o meu tempo livre: conseguir tricotar no estilo Alemão e decobrir qual o estilo favorito das tricoteiras Brasileiras.

Explico primeiro sobre o estilo. Eu tricoto Inglês, deixo o fio na mão direita e vou laçando por cima da agulha para fazer o ponto (olha a garota da primeira foto aí em cima e finja que sou eu, tá ?). Pra mim sempre foi o método mais natural e o que sempre usei, sem questionar muito. Sabia que existia um outro método, o de ‘pegar’ o fio com a agulha pois minha tia só tricota assim e eu babo ao ver como como ela tricota rápido e como os pontos ficam super uniformes. Será virtuose pessoal ou o estilo também ajuda?

Aqui vão as diferenças entre os dois estilos:

* Tricô Inglês: O fio fica na sua mão direita e você vai ‘jogando’ ele por cima da agulha pra fazer os pontos. O movimento fica praticamente todo na direita. Algumas tricoteiras seguram a agulha direita por baixo da axila e este estilo é uma varição chamada Tricô Irlandês (obrigada a Lara que me ensinou)

* Tricô Alemão (ou Continental): O fio fica tensionado na sua mão esquerda e com ajuda da agulha direita você vai ‘pegando’ o fio para fazer os pontos. Os movimentos são mais sutis porém precisos. Algumas pessoas passam o fio em volta do pescoço para conseguir tensão. Dizem por aí que é o método preferido das canhotas e também que é o mais rápido.

Agora sobre o método preferido das tricoteiras Brasileiras. Eu e Claúdia estamos planejando fazer uma série de vídeos para iniciantes no tricô, mostrando os pontos básicos. Mas fiquei na dúvida sobre qual estilo ensinar para quem nunca fez tricô na vida. O mais popular por aqui ? Fiz um enquete rápida via twitter e a maioria lá disse que tricota com a linha na mão direita, estilo Inglês. Como não sou boba nem nada também fui consultar a Solange do Mon Tricot, tricoteira master, e ela disse que usa um estilo híbrido, mas que segura o fio na mão direita mesmo. Ufa! E ela ainda opinou que não é o estilo que influencia na rapidez e sim o tipo de agulha (as mais ligeirinhas são as de metal).

Para os vídeos, acho que o mais sensato seria ensinar o estilo mais popular aqui no Brasil. Então opine:

Como você tricota ?
Inglês, alimentando o fio com a mão direita (foto à esquerda)
Alemão/Continental, alimentando o fio com a mão esquerda (foto à direita)
De ambos os jeitos
Tenho um estilo híbrido, só meu
pollcode.com free polls

Mesmo assim, eu fiquei com vontade de conseguir tricotar nos dois estilos. Deve ser porque sou nerd. Queria um desafio. Estou praticando o tricô Alemão e este vídeo aqui em particular me animou pois mostra um jeito mais simples (?) de fazer o ponto tricô, com o fio na mão esquerda. Confesso que estou indo bem devagar, catando muito milho. Até consigo encarar um ponto barra mas na hora de fazer ‘lace’ o bicho pega e a produtividade vai pro fundo do poço. Bom, acho que ainda é muito cedo ainda pra dar algum veredito ou virar speed knitter então vou continuar praticando.

Ah, última coisa. Também queria saber se vocês acham que existe mesmo um método mais rápido/ bonito/ legal ou isso tudo é balela. Ouvi dizer que as speed knitters americanas preferem sempre o método Alemão, com o fio na mão esquerda. Enfim, tricotar mais rápido é importante ou o legal mesmo é fazer o seu tricozinho devagar e sempre, curtindo cada ponto ? Dizem também que é bom poder varia os estilos para prevenir uma LER a longo prazo. O que vocês acham ? Soltem o verbo e vamos tricotar nos comentários.

EDIT: Quando achei que já tinha visto de tudo a Solange deixou um link para este vídeo de Tricô Irish Cottage nos comentários. Fiquei de boca aberta com a rapidez que esta moça tricota e o jeito que ela segura a agulha apoiada entre o polegar e o indicador. E ela faz parecer tão fácil e natural que até me empolguei em tentar. Quem sabe é minha chance de virar speed knitter, hehe.
*************
Também no Superziper: A Golona de Tricô da semana passada está fazendo sucesso! Olha a Golona da Ladokinha em tons pastéis fofos. A Véia da Teia também não podia ficar de fora e fez a dela, pra ajudar a enfretar o frio de Bombinhas. Se você também fez a sua, já sabe, manda o link que a gente quer ver.
24 jul 09
reciclagem
Todo mundo quer ser verde
por Claudia

Mochilas recicladas da Ruffles

A foto desta mochila eu tirei essa semana no Walmart que fica perto de casa. Ela diz alguma coisa para você? Se você faz crafts – e é da turma que quer fazer disso um negócio – a palavra *oportunidade* deveria aparecer escancarada na sua frente. Bem, pelo menos apareceu pra mim. Hoje todo mundo quer ser verde, inclusive as empresas que se ligaram que estamos todos cada vez mais em busca de um consumo sustentável, querendo saber de onde as coisas vem e para onde vão.

Se as grandes empresas não conseguem seus “certificados de origem” é melhor ser pelo menos ser eco-friendly e trabalhar com o “certificado de destino” (inventei agora essa palavra). Nesta onda verde, reciclagem e reaproveitamento são as palavras da moda. Muito teórico ? Olha tudo isso que eu falei escancarado na nova campanha da batata Ruffles. Batata frita virou eco.

Carteira reciclada da Ruffles Ruffles (Terracycle e Solidarium)

É logico que para quem acompanha os sites de fora, essa idéia de fazer moda com embalagens não é nenhuma novidade e faz desta campanha da Ruffles ficar com uma cara de dejá-vu.

Em 2005 já tinha crafter em Portugal fazendo carteiras com tetrapack. Já vi também feita com saco de arroz (foto abaixo). E até bolsa e vestido já fizeram com caixinha de suco.

Já que as grandes empresas querem fazer parte desse mundo mais verde e sustentável eu acho que muita terceirização e até quarteirização vai rolar na produção. As agências de promoção e publicidade que atendem têm que ir atrás de idéias e gente para concretizar tudo isso. Se você topar entrar nesta onda, embarcar no mercado de produtos promocionais craft, pensei em algumas coisas que você já pode ir fazendo:

* Deixar seus produtos organizados em um site. Presença online é fundamental.
* Ter uma estrutura de produção “a postos” para acionar, caso receba um grande pedido.
* Montar um projetinho vendendo sua idéia, com detalhes sobre os materiais utilizados.
* Ficar atento para oportunidades como essa, buscando saber mais sobre as empresas envolvidas. Por exemplo, as mochilas da Ruffles são uma parceria com a Terracycle e Solidarium.

Imagino que se a Elma Chips e o Walmart estão de olho nisso, é porque o mercado está bem aquecido. E, apesar da crise, em dezembro as empresas sempre investem em brindes. Se você é empreendedora e tem boas idéias talvez possa pegar uma carona nisso.

Display feito com garrafas Pet Display de material reciclado

(Estas últimas fotos são um exemplo mais industrial e menos craft : displays de gôndola feitos com garrafas Pet. Tá vendo como ser verde está virando mainstream? )

É claro que entrar no mercado promocional não é tarefa pra todo mundo. Mas se você realmente quer montar um pequeno craft business é legal pelo menos saber que existe este nicho para explorar todas as possibilidades, certo ?

*********************
Também no Superziper: Se o craft começa a tomar rumos de negócio na sua vida, é hora de ler as dicas que a Cris Paz deixou para os leitores e leitoras do Superziper. Ela deu algumas dicas sobre como tornar seu hobby em um negócio, baseado na própria experiência.

22 jul 09
tricô e crochê
Gola de tricô em ponto arroz
por Andrea

Golona ponto arroz

Vocês lembram daquelas lãs que eu reciclei semanas atrás, né ? Fiquei um bom tempo pensando sobre o que fazer com elas. Tinha que ser algo econômico pois a minha bolinha de lã reciclada não era lá muito grande. Sendo assim, depois andar pelo Ravelry à procura de idéias, resolvi usar a lã mais grossa, mesclada de branco e azul, pra fazer esta golona de tricô da foto acima. E não é que deu certo? E veio a calhar com a semana fria que estamos enfrentando aqui em São Paulo. Brrrrr.

Esta gola é um projeto com gratificação instantânea. Dá pra fazer numa noite e no dia seguinte sair usando. Um incentivo pra quem tem vontade de fazer tricô mas acha que é muito difícil ou então não tem paciência pra fazer um suéter inteiro.

Vou tentar explicar como fiz a gola. Nem chamaria isso de receita pois é bem simples e rápida. É basicamente um grande retângulo tricotado em ponto arroz, com agulhas grossas. O legal do ponto arroz é que ele não tem direito ou avesso, ou seja, os dois lados da peça ficam iguais.

A lã que eu usei foi esta aqui, reciclada de um cachecol antigo. Fio super grosso (similar a espessura do Fio Paratapet) misto de lã de ovelha e acrílico. É uma lã um tanto densa, acho que usei mais ou menos 200 g dela.

Golona ponto arroz Golona ponto arroz

Golona de tricô do Superziper

Materiais:
* Aproximadamente 200 g de lã grossa
* Agulha de tricô número 9
* Agulha de crochê número 4 (para fazer o gancho de botão, se não tiver uma, faça com um pedaço do fio mesmo)
* 3 botões de madeira 2,5 cm de diâmetro
* Linha de bordado (para pregar os botões)
* Agulha de bordado (para pregar os botões)

1. Montei 24 pontos numa agulha de tricô 9 . Notem que para o ponto pipoca dar certo o número de pontos montados na agulha têm de ser sempre par.

2. Tricotei em ponto arroz simples ou ponto pipoca (1ª carreira: 1t, 1m 2ª carreira: 1m, 1t) até o retângulo total atingir 60 cm. Arrematei com mate simples.

Caso você tenha um ponto mais apertado ou mais frouxo que o meu, não tem problema. Basta aumentar o número de pontos até o retângulo total fique com 60 X 25 cm.

3. Com ajuda da agulha de crochê fiz um ganchinho para botão, usando ponto corretinha e preguei em uma das pontas da gola.

4. Na outra extremidade da gola, costurei 3 botões de madeira, usando linha de bordado. Deixei aproximadamente 1,5 cm de margem entre o botão e o final da peça.

*************

Como vocês podem ver, a execusão da gola é simplérrima. Acho que o grande truque é dar um caimento ‘pesado’ usando lã grossa e agulhas idem. Outras opções de fios ? De cabeça lembro destas quatro:

* Ponto Alto, da Aslan: Tem cores bonitas e é bem macia ao toque. Mas neste caso eu usaria agulha 10 e diminuiria o número de pontos montandos na agulha para 22 ou 20.

* Paratapet, da Pinguin : Tem a espessura similar a esta lã reciclada que usei. Pode pinicar um pouco por ser lã pura para tapeçaria. Se você tem pele sensível, melhor evitar.

* Usar dois fios mais finos juntos.

* Usar lã reciclada de outras peças, como eu fiz.

Golona ponto arroz

A idéia de colocar 3 botões é para variar nos ‘abotoamentos’. Na foto acima eu abotoei no botão do meio e a aba caída ficou maior. Dá pra criar looks abotoando de maneiras diferentes.

Testei usando a golona direto esta semana. Passou no teste ! Ela esquentou muito bem o meu pescoço. Virei fã assumida das golas porque não deixam aquele volume feio na frente da roupa, como fazem os cachecóis. A gola encaixam debaixo do casaco e esquentam sem criar volumes inconvenientes. Não são apenas moda, são bem funcionais!

Por último, pra quem estiver curiosa de onde veio a idéia para esta gola. Me inspirei nas revistas de trico e crochê japonesas. Sempre que folheio livros de craft lá na Liberdade fico impressionada com o estilo minimalista /fofo de alguns projetos. Coisas que me fazer falar “Ai mas é tão mega simples como é que não pensei em fazer isso antes ?”. Pronto, taí a minha tentativa, espero que gostem.

Ah, obrigada a todas as meninas do twitter que opinaram sobre a minha gola. Estava em dúvida se deveria mostrar aqui no blog mas vocês me convenceram. E como sei que tem muita crocheteira de mão cheia que lê o blog, se conseguirem fazer a gola em crochê me avisem por favor, adoraria ver o resultado!

***************
Também no Superziper: Ainda no espírito da campanha Inverno Reciclado, mostramos como reaproveitar o fio de peças de tricô antigas. A lã da minha golona veio de um cachecol que estava encostado no meu armário.

Página 1 de 41234