26 nov 09
tricô e crochê
Confissões de uma iniciante na arte do crochê
por Claudia
Projetinhos de crochê

Decidi escrever este post, e dividir minhas desaventuras no crochê, para mostrar que ninguém nasce sabendo e que todo mundo se atrapalha no começo. Esta foto mostra os três primeiros projetos que fiz. Apesar de ter editado os vídeos e filmado a Andrea para a série Aprenda Crochê com o Superziper, eu mesma ainda não tinha me empenhado muito na técnica. Está certo que fiz muitos quilometros de ponto correntinha – esse era fácil, mas vou confessar que eu tive um pouco de preguiça de pular para o próximo nível, os pontos baixo e alto. Mas neste fim de semana que passou, por motivos de força maior tive de ficar em casa, e acabei naquelas de pegar lã, agulha e notebook (para fazer vendo os vídeos) e comecei a praticar. Vejam os resultados.

Aprendendo crochê Quadrado (?) de crochê
Este quadrado (?) branco foi a minha primeira lição. Ele ficou tão torto, mas tão torto, que tive de costurar um pedaço de tecido por trás para dar um formato. Acho que dá para perceber que os pontos estão bem irregulares, os buracos me denunciam. Ao terminar, meu nível de felicidade era 10 – afinal, uau, consegui fazer alguma coisa em crochê. E isso em menos de uma hora. E aprendendo sozinha, apertando o botão de backwards do Youtube várias vezes.
O quadrado laranja foi a segunda peça. E tanto nessa como na outra pratiquei o ponto alto – achei que era mais fácil. Aqui os buracos continuam, mas o formato quadrado pelo menos está mais evidente. Me perdi um pouco, mas completei bem a lição. Ao terminar, felicidade 8, empolgação 10. Gente, eu estou conseguindo!
Começando a fazer crochê Pulseira de crochê
E mais um quadrado de novo. Aqui comecei a praticar o ponto baixo. Fiquei bem feliz com o resultado. Gostei da combinação do ponto e do tipo de lã que usei, o efeito final ficou legal. É claro que dá para melhorar, mas para o primeiro dia está bom demais. Felicidade 9, empolgação ainda 10. Bem animada.
Quarto projeto? Comecei a “soltar” a imaginação. Vejam que criativa, com uma tirinha de correntinha e pontos altos eu consegui fazer uma pulseira. Ficou maior do que deveria, então improvisei com um botão para fechar. É claro que não vou usar isso. Mas pelo menos aqui já comecei a dar utilidade para a técnica recém aprendida. Felicidade 8, empolgação 9 e muito cansaço mental.
Terminei o dia me inscrevendo no Ravelry, me inspirando com fotos dos grupos de crochê do Flickr e fazendo uma listinha mental de próximos projetos. Agora não vejo a hora de chegar o fim de semana para eu comprar umas lãs legais e voltar a crochetar.
Minha mensagem para quem nunca tentou: aceitar que não dá para acertar de primeira, nem de segunda ou terceira. Tem que insistir que alguma hora sai. Mas precisa treinar até se sentir a vontade, até sair no piloto automático. Eu ainda seguro a agulha de um jeito meio esquisito, mas senti que os pontos estão deslizando com mais facilidade. Não achei ainda o jeito certo de segurar a linha com a mão esquerda, mas já está melhor do que no começo. Minha meta agora é conseguir crochetar e ver TV ao mesmo tempo. Eu chego lá…
**********************
Também no Superziper: Projetos de crochê é o que não falta por aqui. Vou reler os seguintes posts: flor de crochê ensinada pela Carola do Pintinho Coloridinho, roupa de crochê para copos e xícaras e, o mais desafiador de todos (que já fiz umas quatro tentativas e ainda nada), os famosos quadrados da vovó.
41 ZigZags
  1. Cin disse:
    26 de novembro de 2009 às 12:01

    Gente, me identifiquei com este post! :D

    Desde pequena, faço tricô, mas o crochê tem sido um desafio! Acho que minha mente cartesiana não consegue apreender o conceito hahah! Ganhei várias revistas japonesas dos anos 70 maravilhosas, que têm receitas pra coisas lindinhas, mas sempre que tento fazer crochê, "engulo" pontos, me perco toda!

    Beijos e boa sorte! Você está beeeem melhor do que eu! ;)

    Responder
  2. harihara disse:
    26 de novembro de 2009 às 12:23

    Gente, me identifiquei com este post! :D (2)

    minha tia começou a me ensinar crochê há pouco tempo e ainda não consegui encontrar um meio legal de segurar a linha na mão esquerda, tem hora que começa a me dar aflição, mas vou tentando …. quero pelo menos conseguir fazer cachecóis para minhas Blythes rsss =)

    Responder
  3. 26 de novembro de 2009 às 12:53

    iauhaiuhsa eu nao tenhu talento para istooo..muitas veses tentei aprender…mas nao flui ehehe bjos

    Responder
  4. Anonymous disse:
    26 de novembro de 2009 às 13:11

    Cláudia, há aproximadamente um mês comecei a fazer os arquifamosos quadradinhos (granny squares). Embora eu já tivesse leve noção de alguns pontos, penei um pouco. Mas valeu a pena. Estou orgulhosa com a manta que estou fazendo para minha cama. Não desista! Beijo! Maria

    Responder
  5. Alessandra disse:
    26 de novembro de 2009 às 13:25

    Aprendi a fazer crochê aos oito anos com uma amiga da mamãe que fazia coisas lindas para vender.

    Eu usava linha de algodão e o exercício era refazer os pontos ensinados até ficarem "legais".rs. Quase 30 anos depois, eu continuo fazendo crochê qdo estou estressada. Mas faço coisas pequenas e dou de presente para amigas e filhas de amigas.

    Tente com linha de algodão, é mais fácil para começar.

    Responder
  6. 26 de novembro de 2009 às 13:42

    Eu comecei a fazer crochê com 15 anos. Achava lindo e ngm queria me ensinar, então pedi pra mãe de um amigo me ensinar. Naquele ano, fiz biquini, bolsa, blusa… Acho que a prática leva à perfeição, pq agora com 25 faço coisas bem maiores, heheh Acho que agora vou me arriscar no tricô, já que a sogra é mt boa nisso! beijão

    Responder
  7. Nena disse:
    26 de novembro de 2009 às 13:48

    Olá!
    Que bela postagem…esta menina vai longe!!!
    Um beijo,Nena

    Responder
  8. Sonia disse:
    26 de novembro de 2009 às 13:54

    tem a certeza de que este post não foi escrito por mim?????eu vi umas 30vezes o video sobre o quadrado da vóvo e tava como tu -fiz vários …aind anão tá perfeito mas já fiz uns 6 para montar uam colcha.

    Responder
  9. 26 de novembro de 2009 às 13:54

    Que legal esse post, Cláudia!
    É sempre bom lembrarmos que, apesar dos desafios do começo, a gente pega o jeito logo com persistência.
    Eu acho costura um trabalho lindo, mas ainda não perdi o medo de começar…rsrs… Quem sabe em breve?
    Eu aprendi crochê com a minha mãe lá pelos 8 anos eu acho… Quando somos crianças, a gente tem menos auto-censura e aprendemos mais rápido.
    Beijos,
    Vanessa

    Responder
  10. Rossy Dias disse:
    26 de novembro de 2009 às 15:24

    Olá adorei este post, pois também estou começando com crochê, eja fiz ater um tapete meio torto é claro, mas vamos chegar lá claúdia.
    bjos

    Responder
  11. ligadona disse:
    26 de novembro de 2009 às 19:56

    Minha avó sabia fazer crochê..Teve uma vez que ela tentou me ensinar mas não deu certo..Eu fiz tudo da pior maneira possível! kkkkkkkkk..Agora não tenho mais avó e quero aprender a costurar..
    Bjs!!
    =1

    Responder
  12. 26 de novembro de 2009 às 22:37

    é isso, tem que insistir.
    Desmancha, faz, desmancha, faz de novo….vê o video, volta, vê de novo…é assim que a gente aprende.

    Abraços!!!!

    Responder
  13. Anonymous disse:
    27 de novembro de 2009 às 00:11

    Oi Cláudia, esse post mexeu comigo, pq o que vc passou em um dia, eu levei mais de vinte anos !!! Mas chegou uma hora que eu deslanchei …rsrsrsrsrsrs e eu amo fazer crochê !!! Vc vai adorar quando conseguir pensar na vida e crochetar kkkkk é melhor ainda que assistir televisão !!! Bjossssssssss

    Responder
  14. 27 de novembro de 2009 às 00:38

    Adoro fazer crochê. Acho que existes projetos de crochê que são maravilhosos.

    Bjs,
    Marcia Quadrado

    Responder
  15. 27 de novembro de 2009 às 00:38

    parabéns! Eu sei como é dificil porque eu já passei por isso…

    Tenho muito mais facilidade em crochê do que eu tricô e olha que eu sou canhota e aprendi de uma destra (minha mãe)

    Responder
  16. Rosana disse:
    27 de novembro de 2009 às 10:38

    Eu aprendi quando pequena , para deixar minha mãe sossegada ( é a versão dela…) E ainda peno um pouco porque deixei de lado durante muito tempo..
    beijos e continue!

    Responder
  17. Léa S. disse:
    27 de novembro de 2009 às 11:42

    Interessante essa sua luta com a agulha do crochê. Eu sou péssima para trabalhos manuais mas aprendi crochê com certa facilidade (ok, eu tinha uns 10 anos) e hoje tenho total conforto com a agulha. Já o tricô… Zeus! Assiti mil vezes os vídeos do Superziper, procurei outros tantos no Youtube e até agora nenhum avanço.

    Mas insista mesmo. Aproveita tua sócia mega-prendada para umas aulinhas particulares. Crochê é super divertido depois que você pega o ritmo. Beijo.

    Responder
  18. ale disse:
    27 de novembro de 2009 às 12:10

    claudia,

    obrigada por dividir sua experiência com a gente! serve de incentivo pra muitas meninas por aqui, como eu, que desistiram porque os pontos não ficaram legais de prima. vou tentar de novo!

    Responder
  19. Claudia disse:
    27 de novembro de 2009 às 12:25

    nossa, eu realmente nao estou sozinha! adorei as mensagens de todos. tentei mandar meu agradecimento ontem mesmo pelo celular, mas nao deu certo. logo mais volto para escrever mais. beijos

    Responder
  20. lansucci disse:
    27 de novembro de 2009 às 15:52

    Ah!Menina! Não desista. O importante é seguir em frente. Crochê é uma delícia e rende muito mais que tricô.
    Devagar se vai ao longe. Parabéns!Lan Succi

    Responder
  21. 27 de novembro de 2009 às 17:14

    Aaah, que bom que não sou a única que tenta aprender as coisas sozinha. Meus feitos de crochê ainda saem um tanto tortos, mas ainda não desisti!
    Depois sempre corro pra mostrar pra minha madrinha q é uma super crafteira dessa área e ela me dá uns toques pra melhorar =)

    Responder
  22. catarinanl disse:
    28 de novembro de 2009 às 14:11

    Claudia para mim foi ao contrário.. A minha mãe sempre fez tricot e em pequena aprendi com ela, mas sempre achei dificil. De umas vezes para as outras esquecia-me de como fazer os pontos ( e isso até hoje não mudou) enganava-me muitas vezes e tinha que desfazer tudo e recomeçar. Quando vocês fizeram os videos de crochê decidi experimentar e fiquei contente, achei bastante mais facil de que tricot, os pontos são fáceis (pelo menos os mais básicos, como o ponto alto e o baixo) e tem uma grande vantagem, é bastante mais rápido do que o tricot. Não sei se é por só trabalhar com uma agulha mas eu faço muito mais rápido croché do que tricot. Ainda não domino bem a técnica, até porque não tenho praticado muito, mas consegui fazer peças muito mais depressa do que no tricot.

    Beijinho e bom fim de semana

    Responder
  23. Anonymous disse:
    28 de novembro de 2009 às 18:45

    Oi Claudia….
    É a primeira vez que comento por aqui, então, em primeiro lugar, parabéns pelo site. Adoro ver as novidades.
    Aprendi o básico do tricô e do crochê por volta dos 12/13 anos. Passei anos sem pegar nas agulhas, mas de uns tempos prá cá, voltei com força total e agora, já faço trabalhos de crochê um pouco mais elaborados, não perco mais pontos e nem deixo buracos, mas ainda estou há anos luz de entender gráficos com facilidade. Olhometro então, nem pensar. Meu tricô continua no básico do básico, mas já faço cachecóis maravilhosos e sem perder um ponto sequer.
    Se vc pesquisou crochê no you tube, deve ter conhecido os vídeos da prof. Elaine. Se não conhece, precisa conhecer: http://www.elainecroche.blogspot.com
    Dá uma olhada no blog dela. Acho que não há melhor aula de crochê na internet. De quebra, ela ensina a fazer o quadradinho básico, um pouco menos elaborado que o granny square, mas excelente para praticar.
    Boa sorte

    Sandra Morelli
    Jaguariúna – SP
    sandramorelli@gmail.com

    Responder
  24. Mary disse:
    28 de novembro de 2009 às 21:07

    Também sofro com o crochê, mas acho que o truque é pensar como sendo pura matemática. Uma amiga minha engenheira fervorosa é a "bam-bam-bam" em crochê, e tenho aprendido muito com ela!

    Responder
  25. Drianis disse:
    29 de novembro de 2009 às 14:08

    Me identifiquei com o post, mas ao contrário, meu karma é o tricô. Tento de tuuudo e não consigo me ajeitar com aquelas 2 agulhonas gigantes q insistem em bater no braço da poltrona… E tb já passei horas indo e voltando em vídeos do youtube!

    Agora estou fazendo um cachecol (da Sonserina, lembra?) e depois de meses, parece q está saindo.

    E é isso aí, tentar, tentar e não desistir, pq é a prática q vai trazer um resultado bacana.

    PS: Confesso que quando vi a foto da pulseirinha com botão, pensei "WTF???" XD

    Responder
  26. Fabi disse:
    29 de novembro de 2009 às 19:21

    Claudia…eu achei que voce leva jeito para o croche…é só treinar…aprendi croche pela internet… sou canhotíssima…sofri…adaptei e deu certo…faço bichinhos de croche para dar de presente!!!

    Responder
  27. Karlla disse:
    29 de novembro de 2009 às 19:28

    Querida blogueira
    Por que você está aprendendo crochê com o seu notebook? A coisa mais linda das técnicas de artesanato é que todo mundo pode fazer (com atrapalhos no começo, como você mesma escreveu) e todo mundo pode ensinar. Tenho certeza de que a sua tia, a senhora que trabalha no escritório do seu dentista, a sua cabelereira, a sua vizinha, alguma colega sua do mundo craft ADORARIAM lhe ensinar. O valor desses artesanatos é aproximar as pessoas, as gerações…
    Por que você está aprendendo sozinha?

    Beijossss!!!
    Karlla

    Responder
  28. Fabi disse:
    29 de novembro de 2009 às 21:58

    Olha, admiro quem faz crochê porque eu já tentei algumas vezes e simplesmente nao sai.

    Trico entao, desisti porque nao consigo sair do estágio cachecol com ponto meia.

    Uma vergonha!

    Responder
  29. 30 de novembro de 2009 às 18:22

    Olá gente,

    Nossa, como eu gosto do blog de vocês!!!
    Me inspira tanta coisa boa, e a cada post fico me roendo de vontade de criar algo… Sou ainda iniciante de tricô e esse post mudou a minha visão do crochê que sempre achei difícil, e só sei fazer correntinha…rs E no tricô só me aventuro a fazer gorro e cachecol.
    Eu não faço idéia de como usar agulha circular se puderem fazer um post sobre isso seria muuuuuito legal!!! ;)rsrs

    É isso, e parabéns pelo blog!!!

    Beijos

    Responder
  30. Tatiana disse:
    01 de dezembro de 2009 às 22:20

    Isso aconteceu comigo há alguns anos, com o crochê. Tentei um poncho pra minha filha e ficou uma meleca. Insisti e, quando me dei conta, já tinha automatizado, a ponto de olhar um trabalho e conseguir fazer igual. Agora venci a barreira do tricô. Ainda sou básica, mas já consigo identificar meus erros e refazer, o que considero um grande avanço no trabalho manual. Vale a pena insistir. O prazer é enorme, não é?

    Responder
  31. Claudia disse:
    05 de dezembro de 2009 às 10:02

    Gente, continuo impressionada com a receptividade ao assunto. Com certeza absoluta não somos poucas… Unidas venceremos o crochê (e o tricô para as mais corajosas)

    *Cin* se as revistas japonesas já são O máximo, imagino as dos anos 70!

    *harihara* a linha vai escorregando, né? pra mim vai bem nos primeiros pontos, mas depois começa a soltar. acho que com o tempo a gente acha o nosso jeito.

    *talvez você tropece nisso* força pra você, não desiste não!

    *maria* vou chegar também nos granny squares. fazendo uns 2 por fim de semana, 1 ano talvez?

    *alessandra* hoje mesmo vou comprar mais linha na lojinha do bairro. algodão tá na lista!

    *bianca* pra mim quem faz biquini já é master!

    *nena* obrigada pelo incentivo!

    *sonia* chegaremos lá!!

    *vanessa* se você já aprendeu um dia, é meio cmainho andado. será que não é que nem bicicleta? experimenta de novo…

    *rossy* que legal, tapete é um bom projeto pra iniciantes!

    *ligadona* já viu nossos vídeos de crochê? fizemos vários… tenta!

    *anônimo* como minha TV vive desprogramada, bem capaz que o dia que eu deslanchar terei que crochetar pensando na vida :-)

    *marcia quadrado* eu até me cadastrei no ravelry. tem MUITOS projetos mesmo….

    *mariana* e as agulhas para canhotas são especiais ou são as mesmas?

    *rosana* vou lembrar disso no dia que eu tiver filhos, rs!

    *léa* eu aproveito mesmo, hoje vou eonctrá-la, vou deixar linha e a agulha na bolsa pra tirar minha dúvida do começo do granny squares!

    *ale* era essa a ideia. que bom que você se animou!!

    *lan* obrigada! vou continuar…

    *camilabi* aproveita mesmo sua madrinha! além de dar dicas, serve de incentivo.

    *catarinanl* minha vó me ensinou tricô quando eu era pequena, mas não durou muito tempo. 30 anos depois, achei o crochê mais prático. com uma agulha, você começa a ver o resultado rapidinho. no tricô me cansava a ideia de ver a carreira mudando de uma agulha pra outra e nada….. é que minha vó só fazia suéteres, talvez se ela tivesse me ensinado a fazer peças pequenas… enfim, por enquanto estou bem feliz com o crochê!

    *sandra* conheço sim o site da elaine, ela é beeem avançada. um dia quem sabe. por enquanto me divirto com círculos e quadrados :-) obrigada pela dica!

    *mary* matemática? eu chamo de meditação, porque fico repetindo o mesmo mantra a cada ponto. pega o fio, vira, por baixo, volta, etc etc

    *drianis* adorei sua sinceridade, rsrs. nem sei da onde saiu coragem para mostrar a foto da pulseirinha.
    depois quero ver esse cachecol da sonserina! bjs

    *fabi* vou continuar. um dia chego nos bichinhos. o bom é que eles são feitos sempre do mesmo ponto, né?

    *karlla* adoraria aprender com alguém. na verdade, a andrea já me ensinou e durante vários dias preparamos juntas os vídeos que postamos aqui no blog, fora as horas gastas em edição. mas no dia a dia corrido de quem trabalha em uma cidade como SP, nem sempre os horários batem, daí tem que apelar para o micro mesmo! acho que um não exclui o outro, são complementares.

    *fabi* não desiste, volta lá que uma hora sai…

    *daniela* era esse o propósito… decidi expor meus pequenos desastres pra ver se mais gente se animava :-)

    *tatiana* também acho. realmente só o tempo (e a persistência) fazem melhorar!

    beijos a todos. mega obrigada pelos incentivos. hoje é sábado, vou correr para a lojinha que fica aqui perto para comprar uns novelos novos!

    。◠‿◠。 claudia!

    Responder
  32. Irene disse:
    23 de outubro de 2010 às 10:53

    Comigo aconteceu “quase” a mesma coisa …tomei a iniciativa agora no mes de setembro e aprendi que só podemos dar um passo a frente se levarmos a nossa perna para esse fim..já fiz 5 tapetes e estou começando o 6º…parado ninguem faz nada…nem mesmo croche que se pode fazer sentada…rsss….bjsss

    Responder
  33. katia luciana disse:
    13 de dezembro de 2010 às 07:00

    .Olá meninas do super ziper,gostaria de agradecer imensamente vcs .pois graças a vcs estou começando a fazer meus primeiros pontos em crochê.Eu comprei linha e agulha a uma semana atras e até ontem não tinha conseguido nada até ver o video de vcs no youtube .td de bom muito obrigado e continuem assim parabens pelo site maravilhoso .que Deus as abençoe .

    Responder
  34. 27 de junho de 2011 às 13:13

    Claudia querida,
    resolvi que ia aprender croche de qualquer maneira.
    Meu sonho é fazer uma manta para minha princesa ;)

    Já pedi para varias pessoas me ajudarem, mas a com a correria do dia a dia ninguem mais tem tempo para dedicar ao outro. AINDA BEM QUE EXISTE O SUPERZIPER!!!
    Já comprei lá e agulha, agora chegou a hora de sentar na frente do notebook e junto com os videos treinar os pontos.
    Vcs são o MAXIMO!!!
    Só mesmo vcs para nos ensinar tão didaticamente a fazer croche…
    Em breve mostro os primeiros resultados.
    Beijinhos,

    Responder
  35. Eloyza disse:
    11 de setembro de 2011 às 00:05

    Nao consigo fazer nada de croche. Fica tao torto sempre, que desisto. Beijos

    Responder
  36. 29 de setembro de 2011 às 14:42

    Puxa Cláudia tb estou aprendendo a fazer crochê, hoje vai ser meu primeiro dia, não quero nem ver, inclusivo amei o vídeo de pontos básicos até indiquei no meu blog, ficou excelente!
    Bjks

    Responder
  37. Marcia disse:
    01 de julho de 2012 às 02:24

    Olá meninas…
    Gostaria de uma ajuda. Adoro crochê, mas não consigo deslanchar com peças quadradas, retangulares. Elas sempre ficam tortas, curvas para ser mais exata, de modo que as primeiras carreiras vão ficando maiores em relação as próximas, a peça vai ficando em “U”, o pior de tudo é que conto e sempre todas as carreiras tem o mesmo número de pontos, o que estou fazendo de errado?
    Obrigada!

    Responder
  38. 12 de fevereiro de 2013 às 01:18

    amei o post! me chamou a atenção, tenho 15 anos, e hoje tava vasculhando umas gavetas por aí para achar o porta talheres antigo da cozinha pra fazer um porta colar (daqueles grandes sabe) daí achei minha agulha de crochê/tricô lá, nossa, que emoção! lembrei de quando eu fazia, aprendi sozinha, sozinha mesmo! com uns 7,8 anos, encomodei meu pai pra comprar lã, e agulhas, e começei kkk, digo, eu tinha 6,7 anos, por que não tinha internet ainda, obvio kkkk e era esse dilema ao aprender novos pontos com minha vó que descobriu que eu curtia tricotar ! kkk

    Responder
  39. Vânia Maria Gabriel de Souza disse:
    09 de junho de 2013 às 15:35

    Olá, acabei de ler seu post, fiquei mais animada ainda em aprender crochetar. Quando pequena minha mãe me colocou numa lojinha de fios para aprender, mas eu penei tanto que traumatizei. Agora quero aprender fazer uma coberta para o inverno com os quadrados da vovó! Vou pesquisar tipo de agulha e lã e amanhã vou dar uma passeada na 25 de Março! Beijos!

    Responder
    • Claudia disse:
      09 de junho de 2013 às 16:47

      Que legal, aproveita a boa onda :) Compre os materiais e não desista! Bjs

      Responder
  40. Giselle disse:
    06 de maio de 2017 às 07:22

    Comecei a fazer crochê, mas ainda não conseguir aprender as técnicas e deixo a linha afolgada.

    Responder
Deixe seu Comentário

«
»