06 maio 10
outros bla bla blas
Uma história de linha e agulha
por Claudia

A história de hoje é da minha mãe, justamente ela que sempre repete que nunca ganha nada em prêmios e sorteios. Mas com o Dia das Mães chegando, lembrei de uma competição muito importante que ela ganhou quando era bem pequena… A história é curta, mas bonitinha.

Minha mãe (Rio, anos 60)

Minha mãe nasceu em Buenos Aires e, depois de uma breve passagem pelo Uruguai, a família se mudou para o Rio de Janeiro, lá pela década de 60. Com 9 anos teve que recomeçar a escola mais uma vez, pela terceira vez, sem amigos e sem conhecer ninguém. Essa foto aí de cima é da escola do Rio – olha minha mãe de cabelo penteado de lado e óculos branco de gatinho ♥.

Bom, imaginem que ela não falava nada de português – que difícil que devia ser ! Apesar de ser muito esforçada na gramática, acho que o destino resolveu dar uma mãozinha de um outro jeito.

Um dia a professora avisa que o tema da aula ia ser costura. Um estresse a menos, porque disso ela entendia e já estava bem familiarizada. O avô costureiro já tinha ensinado desde pequena a costurar e mexer com tecidos, linhas e agulhas.

Linha e agulha

Então, começando do beabá, a primeira lição que a professora passou foi de como passar a linha pelo buraco da agulha. Parece tão óbvio, né? Mas é assim que se começa. Antes de dar os primeiros pontos tem que saber colocar linha e dar nó. No fim da aula, a professora achou que deveria testar os conhecimentos e lançou um desafio: o aluno que fosse mais rápido nessa lição ganhava um prêmio. E, em um tempo recorde, minha mãe levantou a mão correndo, feliz, para dizer que tinha conseguido passar a linha primeiro, antes de todos da classe :-)

Mais importante que o prêmio, nesse dia ela voltou pra casa orgulhosa, confiante e se sentindo bem-vinda em um novo país.

Eu queria escrever com mais detalhes, mas optei por simplificar e contar à minha maneira. Se eu ligasse para perguntar coisas, estragaria a surpresa. Manhê, espero você que goste! Feliz dia das Mães ^___^

*****************
Também no Superziper: Vocês já ouviram a história da vida e carreira de Margarete Steiff? Ela nasceu em 1847 e abriu na Alemanha uma fábrica de pelúcias. Carinhosamente, apelidamos ela de a primeira crafter de sucesso. Vale a pena conferir.

29 ZigZags
  1. Alexandra disse:
    06 de Maio de 2010 às 01:01

    Que bonitinho… Adorei!

    Responder
  2. So artes disse:
    06 de Maio de 2010 às 01:15

    Que lindinha a sua mae e sei bem o sufoco que ela deve ter passado!
    beijinhos
    So

    Responder
  3. 06 de Maio de 2010 às 07:40

    Que lindo, me emocionei com a história!
    Helena

    Responder
  4. 06 de Maio de 2010 às 08:22

    Amei a histórinha. Ficou do tamanho ideal, nem grande e nem pequena, pois pequena não esclarece e grande cansa.
    Então ser crafterira é de família!
    Bjkas e um ótimo dia para vc.

    Responder
  5. Renata disse:
    06 de Maio de 2010 às 08:57

    Bom dia Cláudia… esse momento da sua mãe foi maravilhoso!!! A felicidade na pequena coisa, pequeno gesto, só que gigante em si!!! Vc, para mim, portanto, descreveu como eu vejo felicidade!!! Aproveitando o ensejo, adoro o blog de vocês!!! Grande bj e inspiração às superzipeiras ;)

    Responder
  6. Gabi disse:
    06 de Maio de 2010 às 09:03

    E eu aqui, lendo a história estou sorrindo com ela :)

    Meus olhos marejam e imagino a carinha dela levantando a mão e contando que acabou. As carinhas de assombro dos coleguinhas e a de espanto da professora.
    Feliz dia das mamis para a sua mami tb :)

    Responder
  7. Andreia disse:
    06 de Maio de 2010 às 09:31

    Uma singela e linda homenagem. Afinal essas são as melhores.
    Beijo,

    Andreia
    http://universoemcores.blogspot.com

    Responder
  8. Adri disse:
    06 de Maio de 2010 às 09:37

    é de emocionar… sua mãe vai ficar feliz com esse seu presente!

    Responder
  9. Cynara disse:
    06 de Maio de 2010 às 11:31

    Isto sim é que é um presente! :)

    Responder
  10. BRANCA disse:
    06 de Maio de 2010 às 13:17

    Oi Cláudia,
    Que interessante esta história. Aliás, como professora eu sou a favor das artes manuais no currículo escolar, como antigamente. Hoje os produtos industrializados acabaram com a habilidade manual da nova geração. Uma pena!
    Beijos para você e sua mãe!

    Responder
  11. Sonia disse:
    06 de Maio de 2010 às 14:01

    Linda história que vc contou de forma tão delicada… parabéns
    bjs prá vc e sua mãe
    Sônia

    Responder
  12. Graça Souza disse:
    06 de Maio de 2010 às 15:29

    OI
    Tbm participei de uma turma de colégio assim de fardinha de saia e blusinha engomada…era muito fofo. Mas a historinha é demais mas dever ter um fundamento e tanto pra ela, e ao que parece ela superou né? ufa! ainda bem.
    Bjs a todas e feliz Dia das Mães tbm.

    Responder
  13. 06 de Maio de 2010 às 16:10

    Que foooooooooofo!!! Amei!
    Adorei a foto da turma.
    Bjs…

    Responder
  14. Regina Schultz disse:
    06 de Maio de 2010 às 17:19

    Adorei a história. Me fez lembrar minha infância, parecida com a da sua mãe.

    Responder
  15. mArCeLe disse:
    06 de Maio de 2010 às 18:58

    Que gracinha a história dela… =)

    Responder
  16. fifi disse:
    06 de Maio de 2010 às 21:55

    Meninas, essa foto é igualzinha a que eu tenho dos meus 9 anos
    Doces lembranças de tempos que passaram

    Responder
  17. eveline disse:
    06 de Maio de 2010 às 22:32

    Que lindo! ;~)

    Responder
  18. Lili disse:
    06 de Maio de 2010 às 23:45

    Cla,

    que surpresa agradável e emocionante ver a linda homenagem que vc. me deu neste Dia das Mães!

    Ao ver a foto e ler a história que vc. tão bem contou, sinto a mesma emoção daquele dia quando ganhei o concurso na escola.

    Mas o meu melhor presente é vc.e fico feliz em ver que vc. e a Andrea do Superziper, fazem tantas pessoas felizes realizando tantas coisas criativas e bonitas.

    A todas as crafiteiras e a mãe da Andrea do Superziper, um SUPER DIAS DAS MÃES.

    Bjs. para todas,

    assinado: mãe da Claudia – fã nº1 do Superziper

    Responder
  19. 06 de Maio de 2010 às 23:58

    Ahh que lindo!! Adorei a história e me emocionei mais ainda pq meu filho também nasceu em Buenos Aires e se algum dia tivermos que nos mudar, ele vai passar pela mesma sensação!!
    adoro o superziper,
    bjos
    dani

    Responder
  20. Camile disse:
    07 de Maio de 2010 às 00:40

    Oi, estou passando para divulgar essa promoção que também vai ajudar o bebê Theo, dá uma olhadinha e se puder, divulgue!
    http://coisinhasdetecido.blogspot.com/2010/05/mega-corrente-de-ajuda-para-o-theo.html

    Beijocas

    Responder
  21. 07 de Maio de 2010 às 09:57

    Gracinha, hein? Emocionante.
    Eu também aprendi a bordar, costurar, inventar, com minha mãe e minha avó.
    Orgulho crafter na família toda! :)

    beijos beijos

    Responder
  22. 07 de Maio de 2010 às 13:26

    aaaaaaaaaaaiii que chaaaarme…
    adoreei !
    nossa o coletinho é um arrasoo !
    parabens..
    to seguindo ok ?

    Responder
  23. 07 de Maio de 2010 às 17:13

    Muito fofa a vitória da sua mãe!
    E ela de óculos gatinho está uma graça sem igual.
    Parabéns pela delicadeza e sensibilidade desse post.

    Responder
  24. Donadan disse:
    09 de Maio de 2010 às 10:11

    Que lindo, me emocionei.Hj em dia seria impossivel levar linha e agulha pra sala de aula. Com crianças agitadas, eu imagino q se furariam e ameaçariam colegas, não sei… Mas, esse da foto de sua mãe era um Rio de um outro tempo… como na música Giz de Renato Russo.

    Responder
  25. 11 de Maio de 2010 às 07:08

    Olá
    Gosto mto do vosso blog, tem coisas mto interessantes. Continuem assim e muuito obrigada!
    Bjos
    Mércia

    Responder
  26. ricardo disse:
    04 de novembro de 2011 às 11:57

    lida a historia

    Responder
  27. ricardo disse:
    04 de novembro de 2011 às 11:58

    a dorooooo essa historia nunca vi emqual

    Responder
  28. celeste disse:
    20 de dezembro de 2011 às 12:33

    Linda história e homenagem
    Parabéns!

    Quando vi a foto levei um susto pois tenho uma igual,do meu tempo do primário no Rio de Janeiro tb.
    abrs

    Responder
  29. Adelaide Santiago disse:
    31 de Maio de 2013 às 09:42

    TUDO QUE ENVOLVE COSTURA EU AMO. A HISTÓRIA DA SUA MÃE É MUITO SINGELA. BJS.

    Responder
Deixe seu Comentário

«
»