04 fev 15
outros bla bla blas
Link love da água
por Claudia

Mad men, cena do picnic

Na série de TV Mad Men, que se passa nos anos 60, tem um episódio, que para mim, tem um dos momentos mais marcantes. Em “The Golden Violin” (episódio 7, temporada 2) Don Drapper, o personagem principal, compra um carro novo de luxo e leva a família para fazer um piquenique no parque. Na hora de ir embora, ele faz questão de que as crianças entrem com as mãos limpas no carro, mas logo em seguida Betty, sua esposa, recolhe a toalha, chacoalhando a sujeira e deixando todo o lixo sobre a grama. A cena dura cerca de um minuto e me deixou de queixo caído! Foi filmada com este intuito. A família feliz vai embora e a câmera segue focando o lixaral que ficou no parque. Como assim eles largavam tudo emporcalhado? Pelo jeito, nem passava pela cabeça que deveriam recolher as latinhas e os descartáveis. Ninguém dormia com consciência pesada por deixar este rastro de sujeira no parque.


Voltando para os dias de hoje, penso que se no futuro, em 2050, existir uma série sobre os anos 2000, a reação será a mesma de choque total se os espectadores vissem o personagem principal usando água limpa para lavar e empurrar folhas da calçada! Ou tomar um banho demorado. Ou escovar os dentes com a água correndo loucamente. Vocês entenderam do que estou falando, né? Nem preciso continuar com os exemplos… Estamos em 2015 e, para muita gente, a ficha da crise da água ainda não caiu.

Acho que nós, crafteiros e crafteiras, por colocarmos a mão na massa, temos mais facilidade de dar o “primeiro” passo. Podemos adotar gambiarras. Podemos construir engenhocas (tipo esse chuveiro caseiro feito com galão de água). Podemos mudar o comportamento em casa. E assim servir de influenciadores para a nossa pequena comunidade, seja a família, os amigos, os colegas de escola…

O Link Love é uma seção do Superziper que divulga coisas legais que vimos na internet. Então aproveitei para separei cinco links de pessoas que admiro e que já vêm fazendo tanta coisa pela água há um bom tempo. Sugiro a leitura e espero que muito dela se aproveite!

1. Economize água na cozinha, por Neide Rigo, do blog Come-se: este texto foi escrito há um ano, em 7 de fevereiro de 2014, e conta várias coisas que podemos fazer para economizar. A Neide dá dicas de como lavar louça com três bacias (vou adotar já!) e como cuidar do quintal e jardim (só varrer, não podar, reutilizar água da chuva, etc). Ela sabe do que fala, escreve como uma amiga, merece ser lida. Bons comentários dos leitores também, não pule esta parte! Uma continuação foi escrita em setembro e têm mais sabedorias, para quem se interessar.

2. Reuso de águas cinzas, por Carol Daemon: o blog é sobre sustentabilidade e neste texto a Carol ensina um passo a passo de como fazer em casa um balde-cisterna para recolher água da máquina de lavar roupa. Essa água, que normalmente seria jogada fora, desta forma pode ser reutilizada para faxina, na descarga, etc. Clique também nos posts relacionados e vai descobrir muita coisa interessante e útil. Sugiro ler também uma notícia sobre um zelador de um prédio em SP que instalou reservatórios para recolher a água descartada pelas máquinas de lavar dos apartamentos.

3. Casa limpa com vinagre, bicarbonato de sódio e óleo de eucalipto, por Giuliana Capello, do blog Gaiatos e Gaianos: já falamos aqui no Superziper sobre como fazer um limpador multiuso natural, mas este texto-depoimento da Giuliana complementa o assunto ainda mais. Por morar em uma ecovila, ela e os outros moradores têm o dever de tratar o próprio esgoto e, por isso, minimizam o uso de produtos químicos. A maneira como dispensam os resíduos afeta diretamente da qualidade das fontes de água.

4. Água, tem mas acabou, do UOL: o Tab é como aqueles cadernos especiais de jornal, cobrindo um assunto específico, mas em versão digital. Na edição #16, o tema é a crise da água. A página tem algo de interativo e ajuda a entender o problema com a ajuda de infográficos, mapas e vídeos. Bom pare entender o que está acontecendo em SP.

5. Construção de cisterna (vídeo), por Casa Tomada: o pessoal já está colocando a mão na massa e fazendo cisternas pra aproveitar a água da chuva. O vídeo é um convite e inspirador. Mas sugiro procurar no Google Images por Rain barrel. O termo em inglês pode ser traduzido literalmente como barril para recolher água de chuva. É impressionante a quantidade de projetos, modelos, formatos e instruções para você fazer o seu, simples ou complexo, de forma doméstica. Em português, a busca por imagens de cisterna também funciona, mas em inglês achei que há mais conteúdo. O que vale é fazer, não importa a fonte.

Também convido a que usem o espaço de comentários deste texto como um espaço de trocas de ideias e soluções. Estou lendo muito sobre este assunto e adoraria ouvir mais recomendações de vocês – tanto do que fazem como do que estão lendo…


UPDATE com novos links:

. Tumblr boletim da Falta de Água em SP (atualização semanal)
. Manual de Sobrevivência para a Crise, da Aliança pela Água

10 ZigZags
  1. Edlena disse:
    05 de Fevereiro de 2015 às 10:39

    Moro em Fortaleza (que ainda não se encontra em crise hídrica, mas que sofre com um calor cada vez mais insuportável) em um condomínio de 15 casas onde em 90% delas os moradores optaram por eliminar parte do jardim para obter mais uma vaga de garagem.Meu jardim é uma selva, e eu adoro. Deixei espécies nativas se desenvolverem, justamente as mais resistentes, que necessitam de menos água. Grama, já ouvi falar que é antiecologica (tenho um pouquinho) e estou estudando opções de cobertura vegetal mais adequada. As plantas altas proporcionam sombra para refrescar a casa certas horas do dia e abrigo para pássaros. Muito me incomoda a visão de vizinhos que lavam varandas com mangueiras como se não houvesse amanhã…. Aqui em casa só se varre e passa pano úmido. Estou prestes a adquirir a bombona para aproveitamento da água da máquina de lavar.Precisando aprender mais sobre tudo isso, pois o clima do mundo está louco e atividades ao ar livre viraram sinônimo de tortura pra mim… Grata por partilharem links tão úteis, queridas! Beijos

    Responder
    • Claudia disse:
      06 de Fevereiro de 2015 às 16:02

      Eu acho tão estranho pessoas que acham “chique” cimentar em volta casa. Se você gosta de mato e plantas, vai gostar muito do blog da Neide Rigo, com certeza vai achar muitas informações boas para sua pesquisa do jardim! Obrigada pelo depoimento :)

      Responder
  2. Eliana disse:
    05 de Fevereiro de 2015 às 16:09

    Tenho reaproveitado a água do banho e praticamente não uso mais a descarga.No começo foi estranho,agora já faço automaticamente.É toda uma mudança de hábitos da vida inteira!
    E tenho procurado um tambor para armazenar a água da máquina de lavar direito – meu tanque é pequeno e não dá conta.
    Acho que são hábitos que daqui em diante farão parte do cotidiano de todo mundo,não tem como não fazer.

    Responder
    • Claudia disse:
      06 de Fevereiro de 2015 às 16:03

      Estou armazenando a água da chuva, é impressionante como abre os olhos para perceber que um recurso tão abundante poderia estar sendo melhor aproveitado… Concordo com isso dos hábitos, depois que “pega” não dá para largar mais. Vide o caso do cinto de segurança no carro, etc

      Responder
  3. Patricia Menezes disse:
    05 de Fevereiro de 2015 às 16:35

    Tudo louvável, mas é bem “engraçado” que o termo “crise hídrica” só tenha aparecido agora, depois de atingir o Sudeste do país… Pernambuco vive com racionamento de água há pelo menos 30 anos e isso nunca foi assunto no Jornal Nacional…Em tempo, falo de Pernambuco mais especificamente de Recife e Região Metropolitana porque se for falar sobre seca no sertão teríamos que ir muitos anos – séculos- atrás…

    Responder
    • Claudia disse:
      06 de Fevereiro de 2015 às 16:11

      Oi Patrícia, na verdade o Sudeste tem muito o que aprender com o Nordeste que, como você lembrou, praticamente vive com a seca desde sempre. Nas duas esferas, cidadãos comuns em mudanças no dia-a-dia e especialistas/ profissionais na implementação em soluções de maior escala. Penso que virou notícia agora pela crise ter uma origem diferente. Mas quem sofre com o problema, sofre igual…

      Responder
  4. Maria de Lourdes disse:
    08 de Fevereiro de 2015 às 16:41

    Moro em Curitiba, onde chove muito, embora ultimamente tem feito um calor danado. Para mim é estranho toda esta “onda” sobre aproveitamento da água da máquina de lavar. Minha calçada só é lavada com esta água. E puxo em baldes! Sempre fiz isto. E a sobra ainda vai para as plantas. Coleto água da chuva em baldes também, com a mesma finalidade. Nunca uso mangueiras, acho o cúmulo do desperdício. A troca de experiências na crise é muito benéfica. Sempre há o que aprender. Abraço

    Responder
  5. Eva disse:
    10 de Fevereiro de 2015 às 22:28

    Obrigada por compartilharem informações tão úteis.
    Já recolhia água da máquina de lavar há algum tempo, principalmente depois que substituí o amaciante industrializado pelo vinagre, que não deixa mau cheiro na água quando armazenada de um dia para o outro.
    Também já tinha garrafinhas dentro da caixa de descarga do vaso sanitário – que é antiga e grande.
    Reduzi a reciclagem do papel de pão para utilizá-lo na retirada de gordura de panelas, pratos, assadeiras, etc. Se por um lado há a desvantagem do aumento de resíduo descartado no lixo comum, por outro diminuo o consumo de água e a quantidade de gordura na tubulação e no esgoto.

    Responder
    • Claudia disse:
      05 de Março de 2015 às 23:43

      Oi Eva, essa dica do papel para tirar gordura antes de lavar é muito boa, senti bastante diferença no consumo de água. E sobre o vinagre, qual a quantidade que você coloca para uma lavagem?

      Responder
  6. Lúcia disse:
    22 de Março de 2015 às 16:08

    Eu lembro de uma propaganda que deu na TV, há alguns anos (cerca de uns 5 anos, acredito), quando as pessoas começaram a falar + em poupar água, ai passou um comercial na TV falando que todo mundo podia gastar água, porque a empresa de abastecimento de água estava cuidando para que não faltasse, não sei se mais alguém lembra, mas eu lembro. Isso é mais surreal ainda. Tem a questão financeira envolvida também.

    Responder
Deixe seu Comentário

«
»