13 set 16
outras técnicasreciclagem
Restauro uma maleta de viagem antiga
por Claudia

mala-restaurada-abre

Neste domingo, dei um pulo na feira do Bixiga. Fui procurar alguém que entendesse de botões e acabei sendo encontrada por esta maletinha antiga. Uma dessas já estava no meu radar, imaginava que seria ótima para guardar novelos, agulhas e material de tricô. O cartaz do preço dizia 10 reais – bom demais pra ser verdade. O ponto é que a parte de dentro estava bem detonada, diferente do exterior que estava mais bem conservado. Levei pra casa com o intuito de restaurar, algo de bom eu conseguiria tirar dela!

mala-antiga-antes-restauro

Nesta foto dá para ver que o tecido estava manchado, sujo e de desfazendo. Optei por arrancar tudo. Como a estrutura estava boa, arrisquei criar um novo revestimento interno. Sem conhecimento, experiência prévia ou pesquisas na internet, fui em frente com o bom senso e os materiais que eu tinha em casa.

materiais-restauro-mala-antiga

• Tecido: eu tinha comprado em uma visita ao Banco de Tecidos. Tive sorte que as cores combinaram com o lado de fora. Além disso este tipo de xadrez combina com uma mala de viagens e o peso do tecido daria um bom acabamento.

• Estrutura: usei papel kraft de alta gramatura para os fundos e EVA para as laterais

• Colas: usei goma arábica para colar o tecido na estrutura e depois essa cola “Shoe Goo” para colar o revestimento na maleta

• Outros: o pincel foi pra espalhar a goma arábica e a fita crepe para reforçar as margens do tecido que dobrei para trás

mala-processo-restauro

O processo foi simples mas levou tempo. Primeiro tirei as medidas do fundo e das laterais. Cortei a cartolina e o EVA com folga de 1 cm por causa das dobras do tecido. Mesmo medindo e testando, deu diferença. Tanto na parte de cima como de baixo faltaram uns 5 cm de contorno. Foi fácil de resolver: cortei e encapei uma plaquinha pequena com o tamanho do buraco e colei. Prendi com pregadores para ajudar a reforçar.

maleta-restaurada-final

Depois de seca, ficou assim – pronta armazenar para novelos e projetos de tricô em andamento. A alça está quase soltando, mas este acerto eu vou deixar para um outro momento, talvez recorrer a ajuda de um sapateiro!

Vale contar que o lado de fora foi limpo primeiro com pano úmido e um pouco de detergente. E depois removedor para as sujeiras e manchas mais difíceis.

Como foi minha primeira vez neste tipo de trabalho, queria saber se mais alguém já fez isso e tem dicas para compartilhar. Deixem comentários abaixo pra todo mundo que passar por aqui aprender mais um pouquinho.

E se alguém conhecer um substituto para a cola “Shoe Goo” seria ótimo! Eu ganhei este tubo de presente e está quase acabando. Tirando o cheio super forte de cola de sapateiro (talvez por conter tolueno na fórmula), ela é excelente e cola muito bem. O que mais eu poderia ter usado?

5 ZigZags
  1. Didi Iashin disse:
    13 de setembro de 2016 às 17:00

    A maleta já é lindinha – e a “reforma” ficou DEZ!!

    Responder
  2. Fernanda Haddad disse:
    13 de setembro de 2016 às 18:32

    Parabens Claudia,
    Este trabalhos de re-uso, re-cyclar e re-formar que voces estao promovendo atualmente e muito legal…”Wabi Sabi” Resgatar do passado, dar o tom do futuro e dar um sentido moderno a palavra “crafts”.

    Responder
  3. Priscila disse:
    14 de setembro de 2016 às 14:57

    Ficou muito charmosa.
    O tecido casou com a malinha, resgatou e manteve o valor retrô da maletinha.
    Amo esses desafios em que não sabemos como trabalhar, está ali pra aprender e com o que temos em casa, sem gastar um tostão! Prova a nossa criatividade! ;)

    Responder
  4. 19 de setembro de 2016 às 10:42

    Oi, Claudia!
    A maleta ficou muito fofa! e combinou muito com o tricô mesmo :)
    Sobre a cola, pensei em cola de sapateiro mesmo, pq pelo que entendi essa Shoe Goo é uma cola de contato…
    A marca que minha mãe usava para colar EVA é a Brascoplast, foi a que apresentou o melhor resultado e manchava menos. O que ela fazia era passar cola em ambas as superfícies a serem coladas e esperar secar um pouco, até a cola perder o brilho e, nesse momento, unir uma parte à outra. Assim não desgruda, então não pode colar errado, haha
    Beijos,
    Cristine

    Responder
  5. Ana disse:
    01 de novembro de 2016 às 10:15

    Essa cola deve ser equivalente a Cascola ( cola de sapateiro ), tem cheio forte mesmo mas cola super bem :)

    Responder
Deixe seu Comentário

«
»