21 jul 08
blogueira convidadacostura
DIY: Como fazer matelassê
por Andrea

Matelasse - resultado

Por Elisa Dantas, blogueira conviada especial

Olá, pessoal! Fizemos uma enquete algumas semanas atrás sobre qual passo-a-passo vocês gostariam de ver. Por muito pouco (a disputa foi acirrada!) ganhou uma técnica chamada matelassê, que consiste em agregar textura ao tecido. O exemplo mais comum que todos conhecemos é o edredom. Para que ele fique quentinho e gostoso são aplicados diferentes padrões com costura e uma manta entre o tecido de cima e o forro. Mas nem só de edredom vive o matelassê. Marcas chiques de bolsas usam a técnica para deixá-las cheias de glamour e ultimamente o matelassê vem ganhando espaço em peças de roupa, biquínis e até fachadas de prédios! Vamos aprender a costurar o matelassê (até rimou, hehe)?

Matelassê - materiais

Você vai precisar de:
– Tesoura ou cortador circular (caso use o cortador, separe também a placa de corte e a régua)
– Linha de costura comum ou para pesponto (caso queira que a linha se destaque)
– Agulha para máquina comum (nº14)
– Agulha comprida para costura à mão
– Dois cortes de tecido de qualquer tamanho (um para o direito e outro para o forro), com 5 cm de sobra para cada lado
– Manta acrílica com as mesmas medidas do tecido, com 5 cm de sobra para cada lado
– Barra de quilt. Se a sua máquina não tiver este apetrecho (a maioria não tem!), use:
– Régua
– Giz de alfaiate de cor clara (amarelo ou branco) ou marcador de tecido
DICA: Este tecidinho já costurado é a amostra, que deve ser feita antes de qualquer coisa, para regular qual ponto será mais adequado e para ajustar a tensão da linha. Faça isso montando um sanduíche com tecido+manta+forro com retalhos até encontrar o ajuste ideal na sua máquina.

Matelassê - passo 1 Matelassê - passo 2

1) Vamos começar com o tipo mais simples de matelassê: linhas paralelas e transversais. No lado direito do tecido que ficará à mostra, trace duas linhas transversais no meio com o giz de alfaiate clarinho ou com aqueles marcadores de tecido que saem depois. Use a régua com cuidado, para deixá-las num ângulo de 45º perfeito. Estas serão as linhas-guias do trabalho, se estiverem tortas irão comprometer todo o trabalho final.

2) Decida a distância que suas linhas terão. Eu sigo a seguinte lógica: quanto mais grossa for a manta, maior a distância. Assim seus quadrados (ou losangos) ficarão sempre bem fofinhos! Neste caso dei o espaçamento de 3 cm, pois a manta é fina. Se tiver a barrinha de quilt, siga para o próximo passo! Se não, trace mais linhas, a partir das do meio, com a distância escolhida.

Matelassê - passo 3 Matelassê - passo 4

3) Faça um sanduíche com o tecido de cima, a manta e o forro. Para não errar, lembre-se de que a manta sempre fica em contato com o avesso dos tecidos.

4) À mão, faça alinhavos firmes, porém espaçados nas extremidades, unindo todas as camadas. Não tente usar alfinetes, eles irão mover o tecido e podem até entortar, dependendo da espessura/densidade da manta. Na máquina de costura, insira a agulha no tecido, em uma das extremidades de uma das linhas do meio. Costure, com pontos largos (entre 3 e 5).

Matelassê - passo 5 Matelassê - passo 6

5) Agora o passo é diferente para quem tem ou não a barra de quilt.
· Se tiver: posicione a barra no pequeno “vale” que se formou na costura feita anteriormente. A distância da barra à agulha deve ser a mesma que definimos antes (3cm). Vá fazendo as outras linhas, sempre se guiando pela costura anterior, com a barrinha. Primeiro fazendo todas as linhas de uma direção (aqui começo pelas diagonais) e depois em outra, sempre do meio para fora. Não é necessário fechar a costura (retrocesso).
· Se não tiver: Siga as linhas desenhadas no tecido e vá costurando, uma após a outra, seguindo a mesma direção. Sempre começando do meio para fora.

DICA: Sempre costure do meio para fora em uma direção (como na seta). Somente depois vá para a outra, para evitar que os quadrados fiquem desiguais ou que as costuras “comam” tecido.

Matelassê - passo 7 Matelassê - passo 8

6) Pronto! Veja como ficou lindo nosso matelassê! Entende agora porque deixamos as sobras de 5 cm no tecido? A cada costura ele vai encolhendo um pouquinho, e dependendo da espessura da manta ele encolhe mais ainda! Portanto sempre faça um teste com os materiais que irá usar, deixando bastante margem, principalmente se a peça for grande como uma bolsa ou até mesmo um edredom. Agora é só cortar as sobras e fazer o que quiser com esta peça! Existe uma variedade enorme de produtos interessantes em matelassê. Eu já fiz uma luva de forno e adorei! Crie a sua peça e mostre pra gente no grupo do SuperZiper.

Matelassê - passo 9

DICAS DA ELISA:
*Muita margem de costura! É muito importante que deixe bastante sobra, pois o tecido inevitavelmente irá encolher com a costura (já é possível observar o encolhimento na hora do alinhavo). Use o bom-senso. Se for fazer uma bolsa com manta comum, 5 cm de cada lado já são suficientes. Se for fazer um edredom com uma manta grossa, a margem será maior.
*Teste antes! Faça sempre um teste com a manta, tecido e linha que irá usar, ajustando sua máquina de acordo. Use pontos maiores, pois eles também ficarão um pouco menores do que o normal no final.
*As marcações e a costura são no lado direito. É isso mesmo, não tenha medo, o giz de alfaiate clarinho sai facilmente e hoje em dia existem marcadores de tecido que saem com a água ou até com o contato do ferro quente se você estiver inseguro(a). E inevitavelmente os pontos do avesso não ficarão tão bonitos quanto os do direito… Se você é iniciante, tentar chegar à perfeição logo no começo será frustrante. Vá devagar, “pegue o jeito” até conseguir.
*Não tem uma barra de quilt? Tudo bem! Existem diversas maneiras de se fazer a mesma coisa. Isso vale pra tudo na vida e principalmente na costura. No meu caso, quando eu não tinha a barrinha, traçava as linhas como descrevi acima. A tem um jeito diferente, que é fazer um molde em papel com a medida da distância entre as linhas, para ir usando como guia. Descubra o seu!
*E se a manta vier amassada da loja? Nunca passe-a com o ferro, nem que esteja super-amassada! Tente deixá-la por uns dias embaixo de livros pesados ou passar com um pano grosso por cima, pois ela derrete, como todo material sintético.
*Saia da rotina! Existem diversas padronagens de matelassê. O método não muda, a única coisa a se observar é sempre começar do meio para fora do tecido. Neste site de uma empresa de edredons, há uma variedade grande de modelos. E você também pode criar a sua!
*E o pulo do gato é : Enquanto costura a linha, empurre o tecido na direção de dentro para fora, não deixando nenhuma rugosidade, até apertando um pouquinho a manta. Vá devagar com a máquina e sempre empurre o tecido para fora, assim terá quadradinhos perfeitos, sem rugas!

* * * * * * * * * *
Também no Superziper: Confira a aula passada da Elisa, que mostrou como perder o medo de pregar um zíper e de quebra fazer uma necessárie ou estojo.

10 jun 08
blogueira convidadacostura
Sete mandamentos para um zíper impecável
por Andrea

Dicas da Elisa para pregar um zíper
Por Elisa Dantas, blogueira convidada especial

Já que começamos a falar de zíperes na semana passada, separei mais algumas diquinhas para um zíper bem pregado:

Alinhave: Vai demorar um pouquinho mais, porém é a garantia de que o seu tecido vai permanecer no lugar em qualquer circunstância, além de facilitar muito se você errar a costura definitiva e tiver que fazer tudo denovo. Para as iniciantes, a presença de alfinetes – principalmente aqueles de cabeça grande – pode atrapalhar o processo.
Passe, passe e passe: O zíper costuma vir um pouco amassado da loja, passe-o antes de iniciar o trabalho e após cada costura, pressionando bem. Essa dica vale também para todas as outras etapas da confecção de qualquer peça, mas para o zíper assentar bem é crucial (tomando cuidado com a temperatura, pra não queimar o tecido!).
Pesponte: Mesmo passando bastante, se você não pespontar o seu zíper ele irá se movimentar e poderá afofar o tecido próximo aos dentes, dificultando sua abertura e deixando a peça com ar desleixado. Uma dica: não pesponte muito rente ao cursor (“cabeça”) do zíper, ou ele vai ficar muito duro para abrir.
Vá devagar: Muitas vezes o zíper é o elemento principal de uma peça e se ele não ficar bem-feito todo o seu trabalho será desperdiçado.
Use o pé calcador apropriado: Dá pra costurar com o pé comum da máquina, mas com o específico para zíperes a sua costura sairá sempre retinha, à mesma distância e muito mais rapidamente. Se você tem um de plástico, experimente comprar o de metal, é bem mais resistente e dá mais estabilidade. A diferença de preço é mínima e é fácil de achar.
Não esqueça de abrir o zíper: É chato, ficar abrindo e fechando o zíper no meio da costura, mas é essencial para que os dois lados saiam idênticos, sem aquelas costuras desiguais no meio.
Comece a aprender com tecidos de algodão que desfiem pouco: Sugestões são tricoline, gorgurão, gorgurinho, percal, popeline… Pergunte a um vendedor por tecidos 100% algodão. Você pode colocar um zíper numa malha, o processo é o mesmo, mas é um pouco mais trabalhoso e pode te frustrar num primeiro momento. Para a malha, alinhave com pontos pequenos e use agulhas finas na máquina (nº 11 ou nº 9).

04 jun 08
blogueira convidadacostura
DIY: Perdendo o medo do zíper
por Andrea

estojo
Por Elisa Dantas, blogueira convidada especial

Antes mesmo de usar uma máquina de costura eu já achava que colocar um zíper seria algo muito complexo. Mesmo depois de fazer o curso de costura no Senac onde tinha que costurar diversas coisas, evitava costurar uma peça com zíper ! Sempre inventava substitutos para driblá-lo como o velcro, botões, colchetes, tirinhas de tecido, fechos de ímã… Até que um dia resolvi dar um basta e aprender. Descobri que é bastante simples, mas tem seus segredinhos – como em quase tudo no mundo da costura.
Então vamos lá, como meu primeiro post aqui no Superziper, nada mais apropriado do que mostrar a vocês como pregá-lo!
De quebra a peça com zíper que vou mostrar será aplicado a um estojo/nécessaire. Dá para carregar nossas coisinhas ou até pode virar um ótimo presente pro dia dos namorados, hein!? ;-)

Materiais:

– Um zíper de 18cm (mas pode ser do tamanho que você quiser, tanto faz)
– Dois retângulos de tecido, de 22cm X 10cm (para fazer do seu tamanho, o lado maior medirá o mesmo tamanho do zíper + 4cm. O lado menor do retângulo será a altura da sua bolsinha + 2cm)
– Mais dois retângulos do tamanho dos primeiros, para o forro
– Linha, tesoura, alfinetes, agulha de tricô ou objeto pontiagudo não-cortante
– Um lápis sem estar apontado ou com ponta de borracha
– Pé de zíper (facilmente encontrado em armarinhos a preços módicos)

DICA: Para ter um estojo mais estruturado, coloque entretela termocolante no tecido !

Tutoarial : ziper 1

1) Passe o zíper. Coloque um dos retângulos do forro com o direito para cima.
2) Posicione o zíper em uma das extremidades maiores.

Tutorial: Ziper 2

3) Monte um sanduíche com o forro, zíper e por cima o tecido com o direito para baixo, como na primeira foto. Alfinete. Se não for muito experiente com a máquina, alinhave.
4) Para facilitar a costura, com a unha afiada ou com a ponta do lápis (sem ponta, rsrs), marque bem a linha dos dentes do zíper, por cima do tecido.

ziper3

5) Abra o zíper. Posicione o pé de zíper bem rente a esta linha e costure com calma, até a metade.

6) Deixe a agulha dentro do tecido e levante o pé calcador até o máximo que sua máquina permitir. Segure o direito do tecido para cima para facilitar a ação. Com o lápis, empurre o cursor (“cabeça”) do zíper para o outro lado e continue a costura até o final.
ziper4

7) Passe o tecido e o forro, para que as partes inferiores coincidam.
8) Faça o mesmo com o outro lado do zíper, com os retângulos que sobraram. Passe pressionando bem, para assentar a costura. Só tome cuidado com a temperatura do ferro, para não queimar! Pesponte com a mesma “técnica” do lápis sem ponta.

ziper5

9) Abra o zíper. Pelo-amor-de-deus não se esqueça deste passo, depois você verá o porque! Junte: forro + forro e tecido + tecido.

10) Alfinete e passe uma costura por toda a volta, deixando uma abertura no forro (na foto, é a região entre as setas). Lembre-se que a margem de costura é 1cm! E não costure por cima das peças de metal!
ziper6

11) Corte o excesso de tecido das extremidades, sem cortar a linha!

12) Revire todo o estojinho para fora, pela abertura que deixamos (agora viu o que aconteceria se você deixasse o zíper fechado?). Para ficar bonito, com a ajuda de uma agulha de tricô, pressione bem as extremidades para desamassar as pontas. Passe. Feche a abertura com pontos invisíveis à mão ou com a máquina mesmo, bem rentes. Pronto o zíper está pregado!

Só quero lembrar que existem VÁRIAS formas de se aplicar um zíper, num primeiro momento achei mais legal mostrar a mais simples – e fácil de adaptar para outras peças.

Muito obrigada pelo convite para divulgar um pouquinho do que sei sobre costura e ajudar o pessoal que lê o Superziper neste mundo maravilhoso das linhas e tecidos. Vamos perder o medo, meninas(os)! Costurar é muito fácil, só é preciso ter perserverança e prestar atenção aos pequenos detalhes de cada técnica. Vem mais por aí :)

*************************
Dica da Elisa: Pela net existem vários tutoriais com bolsinhas variadas aplicando esta mesma técnica de zíper, principalmente em fóruns de artesanato como o Craftster e em blogs sobre costura, como o Uhandbag.
Coloque botões, borde, desenhe ou faça apliques de feltro, para deixár a necessaire com a sua cara (ou com a da sua cara-metade!).

04 jun 08
blogueira convidada
Blogueira convidada: Elisa Dantas, da Kawaii
por Andrea


Meu bebê! XD, originally uploaded by ~kawaii.

Nós gostamos tanto da experiência de ter uma blogueira convidada que vamos continuar a chamar crafters talentosas para colaborar com a gente aqui no Superziper. A Cris Paz abriu com “alfinete de ouro” (hehehe) a seção falando de craft business, então assim que o mês acabou, começamos a pensar em quem chamaríamos para ser a próxima. Como desta vez a a gente queria alguém que fosse craque em técnicas de costura, de cara lembramos da querida Elisa Dantas, que vira e mexe dá dicas sensacionais no grupo do Superziper do Flickr. Ela, para nossa felicidade, topou na hora o convite :) Conheçam um pouco mais sobre a super Elisa, que logo deve lançar sua marca de crafts, a Kawaii, que em japonês signfica cute, fofo :)

*********************

Elisa Dantas é a Brasiliense, tem 22 anos e atualmente está morando em São Paulo. Começou a costurar pra valer em 2006. Na verdade, ela aprendeu a costurar sozinha antes, fazendo roupas de boneca à mão, mas só começou a “pilotar” pra valer a máquina de costura após um curso de Costura e Acabamentos no Senac, em 2006. E ela ainda tem grandes projetos pela frente! Quer começar a faculdade de Design Industrial no ano que vem e também lançar oficialmente a Kawaii, a sua marca, que terá uma linha de bolsas e mochilas, aventais vintage e acessórios para casa, tudo handmade.

“Adoro dar um presente e me prejudico muito com isso, porque acabo dando quase todas as peças que faço! Assim, fico sem estoque. Mas com os artigos da Cris Paz e conversando com as meninas do fórum estou tentando mudar isso. Adoro o mundo craft da costura e sempre estou comprando novidades em aviamentos e acessórios. Acho o máximo qualquer invenção que sirva para poupar tempo e trabalho, principalmente se tiver um design bacana.”

Talento ela tem de sobra. Com certeza a gente ainda vai ouvir falar muito da Elisa e da Kawaii pelo mundo craft afora :)

Ela estréia hoje a noite aqui no Superziper com um tutorial super bacana sobre *como colocar um zíper*. Sem querer, até rimou! Não percam !