07 jun 15
craft touroutros bla bla blas
Bastidores de uma produção de luxo
por Claudia

Festival des Métiers

Termina hoje, domingo, dia 8 de junho, uma exposição sensacional na FAAP. “Festival des Métiers” traz para o museu a simulação do ambiente de trabalho de alguns dos artesãos da grife de luxo Hermès. Ficou apenas 10 dias em cartaz em São Paulo, imagino que seja por causa da logística e também pela agenda apertada – a exposição vem rodando o mundo há 5 anos.

Festival des Métiers

Tive a oportunidade de visitá-la ontem e fiquei muito contente com a oportunidade de ver oito artesãos profissionais trabalhando ao vivo para os visitantes. Costureira, estampador, desenhista, pintora, joalheiro, marroquineiro… Todos estavam lá com suas ferramentas e equipamentos para mostrar os bastidores da produção da famosa maison francesa.

Festival des Métiers

Apesar da dica ser imperdível, restam poucas horas (e provavelmente muita fila) para que alguém que esteja lendo este post consiga se deslocar e chegar a tempo até lá e conferir.

Assim que decidi mostrar aqui no Superziper um outro lado da exposição: o das ferramentas!

Festival des Métiers

Enquanto todos os visitantes fotografavam tudo (principalmente o processo de estamparia em seda – o espaço mais concorrido), mudei meu olhar e passei a registrar momentos dos artesãos trabalhando com suas ferramentas e equipamentos.

E captei detalhes que talvez passavam desapercebidos, mas que para nós crafteiros soam como boas dicas. Porque não aprender e se inspirar com eles também?

DICA 1: Esteirinha de bambu
Adaptada para guardar (e transportar) uma infinidade de tipos e tamanhos de pincéis
Festival des Métiers

DICA 2: Pedaço de cortiça
Bem grosso, usado para espetar agulhas e ferramentas
Festival des Métiers

DICA 3: Alicate protegido
Pedaço de couro cobrindo a ponta da ferramenta, para dobrar e manipular peças sem deixar marcas. Reparem também no bloco de cera de abelha, usado para deixar o fio de costura mais firme e fácil de deslizar.
Festival des Métiers

DICA 4: Molde finalizado em acetato
O contorno do produto final em transparência é usado para o controle de qualidade da produção
Festival des Métiers

DICA 5: Bandeja de materiais
Apenas o suficiente fica na mesa de trabalho, e dentro de uma caixinha pequena, principalmente para quem trabalha com nanquim. Sem riscos! Reparem também no bloco de lixa, usado para afinar a ponta do lápis.
Festival des Métiers

DICA 6: Peso de papel
Um pedaço de metal é usado para segurar o papel na mesa de luz. Útil e necessário.
Festival des Métiers

DICA 7: Caixa com divisórias
Cada item no seu lugar: pregos, parafusos e metais do artesão que produzia selas de montaria.
Festival des Métiers

DICA 8: Ferramentas e peças pequenas
Massinha verde usada para segurar pequenas chaves de fenda em uso pela relojoeira. As peças diminutas ficam em tampinhas de plástico transparente para não se perderem na bancada.
Festival des Métiers

DICA 9: Diagrama de trabalho
Esquema de cores e peças impresso e pendurado com ímã na estrutura de metal. Fica bem posicionado na frente dos olhos para orientar e conduzir o trabalho de quem mexe com jóias e bijoux.
Festival des Métiers

DICA 10: Escova de dentes
Antes de jogar a sua fora, reaproveite. Aqui, a cabeça era usada para limpar e tirar sujeirinhas.
Festival des Métiers

DICA 11: Palito com ponta de borracha
Parecia um palito manicure, mas com uma ponteira de borracha. Ferramenta bem específica para a limpeza dos excessos na pintura de porcelana.
Festival des Métiers

DICA 12: Vidros e garrafas
Potes de geléia, garrafas de suco e outros vidros usados para armazenar quantidades menores de material de pintura.
Festival des Métiers

Muito legal ver no museu um ambiente de criação e trabalho manual. A matéria-prima com certeza é diferente, o produto final também. Mas no meio do caminho são profissionais que as vezes usam os mesmos truques na produção do que nós :)

Festival des Métiers

Para quem quer saber mais:
. Vídeo sobre a mostra na Vogue
. Galeria de fotos no Glamurama
. Matéria na Folha de S.Paulo
. Documentário ‘Hearts and Crafts’ de 2011 (áudio em francês com legendas em inglês)

28 abr 15
craft touroutros bla bla blas
Um coworking para geeks e fazedores
por Claudia

Visita ao Hacker Dojo

Espaços de coworking agora estão na moda aqui no Brasil. Para quem não sabe, são locais de trabalho coletivo, com recursos compartilhados, para serem alugados por profissionais independentes. Imagine um escritório que pode ser usado por várias pessoas, de qualquer empresa ou área de atuação, que já vem pronto para sentar e usar. Tem mesa, impressora, conexão de internet, etc e mais pessoas na mesma situação, que usam este espaço comum para trocar ideias e sair do isolamento de trabalhar sozinho em casa.

Pois bem, na minha viagem pelo Vale do Silício, conheci o Hacker Dojo, que basicamente é o coworking dos geeks e fazedores. Segundo um dos frequentadores, não há nada parecido no mundo, pelo menos em tamanho (um galpão de 1500 metros quadrados) e no funcionamento 24/7 (nunca fecha! ok, talvez no Natal).

A foto de abertura deste post já mostra um pouco do clima. Na recepção, além do neon Android, um computador para você registrar sua presença de forma self-service, sem a necessidade de uma recepcionista ou alguém controlando. Digitando seu email você era bem-vindo! E como guest (convidada), o meu caso, tinha direito a até 7 visitas sem custo.

Aqui uma vista da entrada, bem normal, não prometia muita coisa. Mas a escolha do lugar diz tudo. O Hacker Dojo está no miolo do Vale do Silício, na cidade de Mountain View, Califórnia, que é onde está a sede do Google. Essa região é um pólo de empresas de tecnologias estabelecidas, startups e pessoas interessadas em fazer negócios e conexões. Na pausa para o café, eu conheci gente interessante e com ideias muito diferentes! O poster mostra bem a quantidade de empresas que estão por lá…

Visita ao Hacker Dojo

Esta é uma visão geral do espaço. Não tinha muita frescura em decoração e estilo, exceto pelo ‘lustre’ no teto feito com macarrão de piscina :) As mesas não combinavam entre si, as cadeiras eram diferentes e bem normalzonas. Nada de design, o povo lá mesmo queria era trabalhar!

Não haviam lugares marcados. Como eles dizem, vale o esquema “first come, first serve” – ou seja, quem chegar primeiro tem direito a escolher primeiro.

Visita ao Hacker Dojo

Os recursos e facilidades são aqueles mesmos que a gente vê em filmes ou na imprensa sobre os escritórios do Google e empresas a fim:

1) lazer: os tradicionais mesa de bilhar, ping pong, etc
2) biblioteca: para uso geral, com livros de vários temas (adoro prateleiras com bilhetes e anotações a mão!) e empréstimo sem controle, só na confiança
3) mural de recados: vagas de emprego, oportunidades, negócios…
4) caixa eletrônico: mas não era do comum esse era especial para comprar e vender Bitcoins

Não tirei foto, mas também por lá havia bicicletário, salas para eventos, copa, cozinha, etc. Aliás, sempre alguém no fim do dia preparava pipoca, nham!

Visita ao Hacker Dojo

Alguns dos cartazes que fotografei:
1) frase inspiracional: “Feito é melhor do que perfeito”. Pelo jeito, o problema da enrolação (a famosa procrastinação) é uma característica da humanidade, mesmo entre os geeks do Vale do Silício. Ufa, hahaha
2) food trucks: programação de quem tinha visita programada ao estacionamento e faziam a alegria da galera. Reparem no horário de almoço… bem gringo!
3) classificado: o Tom estava vendendo um Google Glass. Pelo jeito, já era um brinquedo ultrapassado ;-)

Visita ao Hacker Dojo

Descobri este lugar através do meu irmão. Em geral, eu levava meu laptop e ficava nas mesas comunitárias. Mas eis que um dia descobri um cantinho sensacional: o laboratório aberto de engenharia e robótica. Vejam só!

Visita ao Hacker Dojo

Era assim, aberto, sem paredes, no meio de todo mundo. Robôs e protótipos espalhados pelo chão, projetos em andamento. Um clima muito relax. Esta foi uma das engenhocas que encontrei por lá!

Visita ao Hacker Dojo

E não era o único :-D Mais robôs pelo caminho…

Visita ao Hacker Dojo

Uma foto das bancadas do laboratório. Quando passei por lá, não tinha nenhum gênio trabalhando no momento.

Visita ao Hacker Dojo

Reparem que nas mesas e prateleiras haviam coisas enigmáticas. Pelo menos eu não sei como funcionam ou para quê servem. Bem, a lupa sim…

Visita ao Hacker Dojo

Mais um do que estava disponível para ‘brincar’.

Visita ao Hacker Dojo

E a baguncinha, claro! Presente em todos os ambientes criativos, haha.

Visita ao Hacker Dojo

Mas eu pirei com as gavetas! Mega organizadas, etiquetadas…

Visita ao Hacker Dojo

Não resisti e fui xeretar. LED e outras cositas más!

Visita ao Hacker Dojo

A gaveta dos alicates, estiletes e cortadores de fios gerou uma certa identificação. Com isso eu sabia mexer!

Visita ao Hacker Dojo

Nunca imaginei que existisse um lugar assim. Foi uma visita fantástica. Recomendo a quem estiver por lá, vale a pena passar um dia ou pelo menos umas horas trabalhando.

Se alguém se interessar:
Hacker Dojo
599 Fairchild Dr, Mountain View, CA 94043, United States
Telefone: +1 559-827-8282
Site: www.hackerdojo.com

——

E quem curtiu o Hacker Dojo e está pela Califórnia, vale a pena conhecer também o Maker Place de San Diego. Como membro, a pessoa tem direito a utilizar máquinas que dificilmente você teria em casa, como CNC, tornos, impressora 3D, cortadores de metais, equipamentos para madeira, couro, plástico e até materiais de silk screen, máquinas de costura, bordado e afins. Muito útil para quem precisa desenvolver protótipos por conta própria e criar à vontade sem ter que investir na compra de máquinas super poderosas!

26 mar 15
craft tour
Uma visita à The Makery
por Claudia

Makery, Los Altos (CA)

No mesmo dia em que visitei a loja de lãs especiais Uncommon Threads, em Los Altos, Califórnia, descobri por acaso em uma rua por perto a The Makery. Que feliz coincidência! Depois de passear por entre novelos e agulhas de tricô, cheguei no paraíso para fazedores, crafteiras e criativos!

A fachada degradê já chamou minha atenção. O lado de dentro prometia…

Makery, Los Altos (CA)

Com tantas cores e atrativos, nem parei para ver a vitrine. Fui direto para a loja, ver o que eles tinham em estoque.

Makery, Los Altos (CA)

O espaço interno é maior do que eu imaginava. Esta é a visão geral da primeira sala. Prateleiras, armários, mesas, nichos. Os objetos à venda estavam dispostos de um jeito convidativo, pedindo para ser manuseados e observados. Paredes e móveis brancos dão destaque às cores e variedade de produtos.

The Makery, Los Altos (CA)

Aqui um pouco do que encontrei por lá: best sellers e itens desejados nas redes sociais e círculos criativos. Carimbos moderinhos, o famoso bakers’ twine (barbante bicolor de amarrar), flores em feltro e enfeites para festinhas e comemorações.

Makery, Los Altos (CA)

Encontrei também muitos kits de faça-você-mesmo (como essa guirlanda de corações em feltro) e caixas com materiais variados. Essa caixa de costura estilosa é da Merchant & Mills. Produtos bem selecionados e interessantes, mas vou ser sincera… caros!

Makery, Los Altos (CA)

Alguns dos objetos à venda ou que eram parte da decoração são perfeitos para fazer em casa. Tirei estas fotos para não me esquecer. Quero fazer: vaso-copo de cimento, diamantes de canudos coloridos para pendurar, quadro de pregos e linhas (já fizemos algo parecido no quarto de costura da Mega Artesanal) e globo terrestre pintado de tinta preta!

Makery, Los Altos (CA)

O passeio pela loja segue e vou descobrindo novos ambientes. Estas fotos em tons de arco-íris são da seção de armarinho e tecidos! Comprei um dedal de madeira – esse foi um achado acessível.

Makery, Los Altos (CA)

Um pouco mais pra frente, em outra sala, descubro um FELT BAR. O que dizer? Sem palavras…

Makery, Los Altos (CA)

Lã feltrada em bolinhas de todas as cores, em novelo e até na decoração… Amei este porta-copos!

Makery, Los Altos (CA)

E o famoso tapete de pompons, vi um ao vivo! Maravilhoso…

Makery, Los Altos (CA)

A loja também tinha algumas roupas que na verdade eram souvenires da Califórnia. Ao invés de camisetas e moletons com as estampas batidas de sempre, eles criaram estampas moderninhas, em cores inusitadas e tecidos de algodão orgânico, sustentável, etc e tal ;)

Makery, Los Altos (CA)

Mas eu pirei mesmo na parte de livros. Nunca vi uma seleção craft tão completa, atual e tentadora!

Makery, Los Altos (CA)

Tirei fotos de algumas das capas só para vocês sentirem o drama…

Livros, The Makery

Ah sim… e mais pra frente, havia uma sala pronta para receber cursos, eventos e festas. A bandeira “Makers Gonna Make” foi muito bem sacada.

Makery, Los Altos (CA)

As fotos a seguir mostram um pouco da decoração do lugar. Muitas guirlandas, pompons e bandeirolas.

Makery, Los Altos (CA)

Também enfeites de papel pendurados na parede, em cordões e no teto.

Makery, Los Altos (CA)

Outro clássico do mundo craft são as lousas e tags com textos escritos à mão.

Makery, Los Altos (CA)

E, como não poderia faltar, na Makery tinha um exemplo de guerrilha urbana em tricô!

Makery, Los Altos (CA)

Se você achou que era pouco, descobri que no mesmo imóvel funciona uma “loja-irmã” chamada The Botanist. Como o próprio nome diz: vasos, plantas e decorações.

Makery, Los Altos (CA)

Muita coisa vintage, achados, vidros, antiguidades, etc Tudo bem exposto e decorado de uma forma que dava até pena de comprar para não desmanchar a produção, rs

Makery, Los Altos (CA)

Se curtiu o passeio virtual, vale a pena seguir a The Makery no Facebook, Instagram e Pinterest!

Acho que esta foi a loja mais fotogênica que já visitei até hoje. Cada cantinho foi pensado para ser fotografado ;) Tudo muito bonito, de bom gosto e alinhado com as tendências atuais.

Makery, Los Altos (CA)

Mas tanta perfeição tem limite… O que achei de pontos fracos? Como falei, os preços. Infelizmente, salgados demais para o meu bolso. A localização também pode ser um problema. A loja não está em uma cidade turística. San Francisco é a maior por perto. Mas fica “longe” de Los Altos – não justifica o deslocamento para quem tem poucos dias de férias. E, por último, a própria perfeição do lugar me incomodou um pouco. A visita foi uma experiência interessante, claro, tanto é que rendeu fotos lindas, inspiração, ideias e este post. Mas no fundo acho que ainda prefiro minhas explorações aos antigos armarinhos de bairro, daqueles com um toque de poeira e ligeiramente bagunçados!

Makery e Satura Cakes

05 mar 15
craft tour
Visitamos a Uncommon Threads, em Los Altos (CA)
por Claudia

Uncommon Threads: Superziper visitou!

Ano passado, estive em San Francisco e na região do Vale do Silício (Califórnia, Estados Unidos). Em uma segunda-feira que tinha livre, decidi participar de um encontro de tricoteiras. Cheguei até elas pelo Meet up, um site que divulga eventos em comunidades locais. O legal é que qualquer um pode organizar um encontro e qualquer um pode encontrá-lo, buscando pelo tema, proximodade do local e data. Foi assim que descobri que um grupo de mulheres se reunia toda segunda-feira para tricotar em um café de Mountain View. Decidi dar um pulo, mesmo sem ter o que tricotar. E no meio das conversas, fui descobrindo os melhores endereços para visitar na região. Saí de lá com uma lista de vários lugares interessantes :) A Uncommon Threads, na cidadezinha de Los Altos, era uma unanimidade entre as tricoteiras. Detalhe que Los Altos está bem no meio do Vale do Silício, entre o Google, Facebook, Apple, Yahoo e toda a sorte de empresas de tecnologia…

Então lá fui eu… Já chegando, a entrada prometia boas surpresas!

Uncommon Threads: Superziper visitou!

Observei as novidades na vitrine e deu pra sacar que a dica das minhas colegas tricoteiras era quente mesmo! É o tipo de lugar que eu gosto de visitar :) Na foto abaixo, detalhe para o logotipo da loja, os patinhos cenográficos, os tons de pipoca e o cartaz com as palavras mágicas: “wool for sale”!

Uncommon Threads: Superziper visitou!

Uma primeira visão: pé direito alto, móveis e estrutura em madeira branca, prateleiras a vista, tudo organizado para facilitar o “self-service”…

Uncommon Threads: Superziper visitou!

Praticamente lãs para todos os lados, da entrada ao fundo da loja, confirmando o nome da loja “lãs não convencionais” :)

Uncommon Threads: Superziper visitou!

Foi lá que eu vi a famosa lã japonesa Noro. Claro, em várias cores, gramaturas, etc. Variedade e qualidade pareciam ser o lema da loja.

Uncommon Threads: Superziper visitou!

Fotografei mais alguns novelos que me chamaram a atenção. Na foto: 1) delicadas lãs de baby mohair 2) lã mais grossa de merino, do Uruguai 3) lã de alpada vinda diretamente do Peru e 4) lã composta de mohair, bambu e fios metálicos

Uncommon Threads: Superziper visitou!

Pra variar, em uma loja como essas é muito fácil ficar perdida se você não tiver nenhum projeto em mente. São tantas lãs raras e difíceis de se encontrar no dia-a-dia que dá vontade de levar tudo. Mas por isso que existem projetos prontos espalhados pela loja. Servem de inspiração para quem está aberto para ideias! Eu acabei levando uma lã bem grossa, verde bandeira, vinda da Turquia. Vou fazer mais uma maxi-gola para o próximo inverno.

Uncommon Threads: Superziper visitou!

Nos fundos, há uma área com livros e revistas especializados (que tentação!) e um mesão de madeira comunitário – usado em cursos, aulas e palestras :)

Uncommon Threads: Superziper visitou!

Detalhe para o lindo estojinho azul de madeira para guardar agulhas de tricô que encontrei por lá – mas infelizmente não estava à venda!

Uncommon Threads: Superziper visitou!

A Uncommon Threads tem também uma seçãozinha de acessórios. Na foto abaixo, os botões da loja – escolhidos a dedo para complementar casacos e puloveres (destaque para motivos infantis). E ao lado, uma parede de miudezas, agulhas de madeira de todos os tamanhos e produtos da Clover. Acabei comprando fazedores de pompom de três tamanhos: pequeno, médio e gigante!

Uncommon Threads: Superziper visitou!

Além da boa seleção de produtos, o atendimento era impecável. Nada como estar em um lugar onde você pode tirar dúvidas com quem sabe e entende das técnicas. Repare no detalhe da plaquinha escrita à mão embaixo destes novelos de merino: ali consta o básico (gramatura, metros/ jardas, composição da fibra) mas também um comentário da equipe, sugerindo projetos e recomendações de uso. Muito amor!

Uncommon Threads: Superziper visitou!

O fato da loja ser pequena e acolhedora também é um diferencial, principalmente nos EUA onde as pessoas acabam comprando materiais em mega stores, do tamanho de hipermercados. Não vou mentir sobre os preços, um pouco salgados, mas justos. Vamos lembrar que a lojinha é uma butique – e não um feirão ou a internet :-) O ambiente e a experiência custa. Vai de cada um pesquisar e saber o que cabe no bolso.

Uncommon Threads: Superziper visitou!

E, pra terminar o dia em alto astral, fiz uma parada acertada no café Satura, que estava lá por perto no centrinho de Los Altos. Sentei em uma mesinha ao ar livre para esperar o sol forte baixar. Pedi um um chocolate quente com chantilly e um doce para acompanhar. Que aliás, foi muito difícil de escolher… É só olhar as fotos do site para entender porque eu paralisei na frente de tantas opções do balcão. Este mousse de chocolate estava perfeito – não muito doce, bem no estilo japonês!

Uncommon Threads: Superziper visitou!

Como chegar lá?

Uncommon Threads
293 State Street Los Altos, CA. 94022

Los Altos é um bom lugar para conhecer se você estiver por perto de Stanford, Mountain View, Sunnyvale, Cupertino. Não vale a pena o deslocamento para quem está em uma viagem curta ou centralizada em San Francisco. Eu estava em uma cidade praticamente vizinha, então consegui ir de bike. Mas esta região pede um carro. Poucos são os que se aventuram no transporte público. Leva-se uns 40 ou 50 minutos andando do centrinho de Los Altos até a estação de trem mais próxima (San Antonio). Se alguém planejar visitar, sugiro pesquisar no Google Maps as distâncias, direções, horários, etc.

Também em Los Altos, conheci a loja Makery. Mas isso fica de assunto para um próximo post, vocês vão gostar!

Página 1 de 2612345...Última