23 jun 14
nhacoutras técnicas
Faça você mesmo: Rótulos personalizados
por Andrea

rotulo_fita_adesiva_abre

Psiu, vou te contar um segredo incrível. Sabe aqueles rótulos adesivos transparentes que têm mil utilidades? Então, dá para fazê-los em casa e on demand, usando o seu próprio desenho ou foto. Etiquetas personalizadas a toque de caixa, para usar não só em potes de vidro mas aonde você quiser.

Tudo começou no final de semana quando fiz um patezinho de cenoura caseiro que faz o maior sucesso na família. Fiz uma quantidade grande de patê para presentear e, como apresentação é tudo e muito mais, caprichei na embalagem – coloquei as porções em potes de vidro e fiz o rótulo usando a técnica que vou mostrar hoje neste post. Imagino os rótulos similares em potes de geléia caseira, açúcar aromatizado, mix de capuccino, biscoitos e  outros mimos que adoramos dar e ganhar. Ideal para você que tem uma produção pequena e quer etiquetas de baixíssimo custo, feitas em casa mas com um visual profissional.

Vou mostrar agora para vocês como fazer os rótulos. E como sei que muita gente vai pedir, dou a receita do patê do final do post ;).

rotulo_fita_adesiva-1

Tudo o que você precisa é: foto/texto/desenho impresso a laser, fita adesiva transparente larga, tesoura e água. Sim, você leu direito, é só isso.

Atenção: Não funciona com impressos em jato de tinta, só motivos impressos a laser, colorido ou p&b.

rotulo_fita_adesiva_2

Para começar, imprima numa folha A4 o motivo escolhido. No meu caso queria fazer duas etiquetas, uma para indicar o sabor do patê e outra para a lista de ingredientes. Cole a fita adesiva por cima, prestando atenção para não deixar rugas.

rotulo_fita_adesiva_3

Aproveite para reforçar a colagem passando o cabo da tesoura por cima do motivo já adesivado com a fita.

rotulo_fita_adesiva_4

Recorte o motivo. Nesta hora lembre-se que a parte em branco (sem tinta) irá sair e tudo o que restará será a parte impressa, no meu caso, as áreas em preto das letras.

rotulo_fita_adesiva_5

Mergulhe o rótulo na água e deixe repousar por alguns segundos. A parte onde o papel está colado começará a amolecer. Esfregue com o dedo até retirar toda a parte branca do papel.

rotulo_fita_adesiva_6

Como em um ‘passe de mágica’ o motivo ficará ‘impresso’ na fita transparente. Não acredita?  Muito fácil para ser verdade? Teste em casa e me conte!

Seque delicadamente com uma toalha e use o rótulo que você mesmo fez!

rotulo_fita_adesiva_10

A fita adesiva continua um pouco aderente mesmo depois de molhada e seca. Mas depende do quanto você esfregou o papel e da qualidade da fita. Caso queira uma fita bem colante, sugiro passar uma camada de cola em spray no verso.

Para usar os rótulos em vidro, o pouco de cola que fica é suficiente. A etiqueta fica no lugar e é reposicioada facilmente. Perfeito!

rotulo_fita_adesiva_7

Claro que a técnica da fita transparente personalizada vai muito além dos rótulos de patê. Você pode usar fotos impressas para decorar envelopes, embalagens e até usar em projetos de scrapbooking.

rotulo_fita_adesiva_8

Usado a técnica, transformei fotos de moldes de chapéus antigos em etiquetas transparentes para decorar envelopes lisos. Aproveitei a largura da fita para criar tiras estampadas.

IMG_8079

E agora, a receita do patê de cenoura. Uma delícia, vegano e sem glúten, aqui em casa é o favorito há décadas. Fica uma delícia no pão, como dip de legumes (alô festa!) a até como molho de massas.

Patê de cenoura

- 3 cenouras médias ou 2 grandes

- 1 pimentão vermelho médio

- 1 cebola pequena

- 1 dente de alho

- orégano e sal a gosto

- 1/4 de xícara de vinagre ( usei de maçã mas pode substituir por outro)

- 1/2 xícara de azeite

Pique os legumes e bata tudo no liqüidificador até virar um creme. Passe para uma panela e cozinhe em fogo baixo por aproximadamente 30 minutos, ou até o creme apurar e ficar com consistência de pasta. Ajuste o sal, acrescente mais azeite e está pronto! Guarde em potes de vidro bem fechados na geladeira.

Pronto para explorar as possibilidades desta técnica da fita adesiva estampada?

Estou curiossíssima para saber que usos você dará para seus rótulos.

20 jun 14
nhac
Pão com requeijão na chapa feito em casa
por Claudia

Pão chapado em casa

Pão com manteiga na chapa no café da manhã sempre foi um clássico das padarias de São Paulo. Faz uns anos, as padarias acrescentaram a opção com requeijão. Mas nos últimos meses surgiu uma coisa nova, o pão com requeijão chapado. A diferença é que no simples o requeijão é colocado depois que o pão sai da chapa. E no chapado o requeijão vai direto na chapa. Resultado: uma casquinha queimada e por baixo o requeijão quente!

Eu descobri por acaso, quando pedi um pão normal na chapa e veio “isso”. Ia devolver, mas resolvi experimentar… e gamei! Já provei em algumas padarias e o resultado sempre é bom.

Conversei com o chapeiro da padaria mais perto daqui e ele comentou que vem fazendo há uns dois ou três meses. O pessoal estava pedindo. Ele não conhecia, fez uns testes e começou a servir, incluindo no cardápio. Mas deu uma reclamada que nesse preparo gasta muito mais requeijão.

O nome – pão com requeijão chapado – ainda não é consenso. Se não entendem quando eu peço um na padoca, explico que é “aquele de ponta cabeça, que fica com uma casquinha”.

Daí que minha amiga Renata Ueda, da Tupã, resolveu fazer em casa e descobriu que dá certo, sim! Vamos às dicas.

Pão chapado em casa

A principal é que uma chapa comum não funciona, mesmo muito quente. Só deu certo quando ela usou uma frigideira com uma boa proteção antiaderente.

Pão chapado em casa

Outra coisa é caprichar no requeijão. E dar uma alisada pra ficar uma camada grossa mas uniforme.

Pão chapado em casa

Deixe a frigideira bem quente antes de colocar o pão francês virado pra baixo. Pode fazer mais de um ao mesmo tempo se couber na sua frigideira. E fique de olho nas borbulhas – elas vão começar a escurecer. Com uma espátula, acompanhe se a casca está se soltando – ela precisa queimar e formar uma película para você tirar o pão sem que ela se desmanche. Melhor deixar mais tempo do que menos. Se sair amolecido, volte para a frigideira e deixe queimar mais.

Pão chapado em casa

Quando estiver do seu gosto, é só tirar, servir e comer quentinho. Vale dizer que o requeijão do meio fica bem quente e queima a língua, hehe.

Pão chapado em casa

Ah… a gente fez só com requeijão. Mas é possível colocar manteiga antes pro miolo ficar mais úmido. Vai de cada um. Agora que está friozinho, dá mais vontade de comer esse pão. Experimente!

04 jun 13
nhac
Antepasto de berinjela delícia!
por Claudia

Antepasto de berinjela

Esta receita, de antepasto de berinjela, é um clássico recente em casa. Clássico porque sempre repito para servir em jantares e festinhas. Mas é recente porque (assumo!) eu demorei muito na minha vida para começar a comer legumes e verduras. Na época da faculdade, quando conheci a Andrea, eu era daquelas que separava a cebola do feijão ou do macarrão. Salada nem pensar. E berinjela então, nunca! Mas um dia eu mudei e me apaixonei muito por todas essas comidas que nunca tinham sido provadas*. Meu antepasto está aí para provar, é uma delícia e acaba rapidinho, não dura mais do que três dias na geladeira :)

Vamos ao modo de preparo? Sugiro pular a quantidade dos ingredientes porque é tudo na base do QB, como dizem os portugueses (Quanto Basta).

Antepasto de berinjela

Eu uso os meus ingredientes favoritos: berinjela (claro!), tomate, cebola e alho. Não coloco nem pimentão e nem uva passa!

Primeiro eu cortei tudo: a cebola em rodelas, o tomate e a berinjela em tiras finas, o alho em pedacinhos pequenos. Aí na foto tem duas berinjelas, mas foram umas 8 – comprei uma bacia na feira e usei todas! Já que é pra fazer, melhor fazer tudo de uma vez e depois distribuir pra família.

Recomendo cozinhar a berinjela em água fervente pra dar uma amolecida, depois é só coar.

Passei para uma assadeira grande untada com azeite. Por cima da berinjela, joguei os complementos e os temperos (sal, pimenta e muito azeite).

Antepasto de berinjela

Leve para o forno pré-aquecido. Eu coloco um timer e volto de meia em meia hora para dar uma mexida na assadeira e ver se está tudo sob controle. O tempo de forno varia conforme o gosto. Eu gosto de deixar até tudo começar a caramelizar, quando as cebolas estão douradas e algumas começando a ficar crocantes. Dessa vez, deve ter levado umas 2h30 em fogo a 200 C. Mas, de novo, tudo depende das preferências e também do humor do forno (o meu é velhinho, não é muito estável ;-)

Antepasto de berinjela

Para servir, recomendo torradinhas com cream cheese. Fiz torradas de pão sírio, bem fininhas. Ficou uma delícia! Vai bem como entrada ou antepasto desde um jantar especial até um almoço em família.

Minha ideia era mostrar essa receita como uma dica pro Dia dos Namorados que está quase chegando. Pra enfeitar, no prato eu colocaria um ovo cozido em forma de coração. Minha versão – que não deu muito certo – está aí na foto. E olha que eu insisti… mas de três tentativas, só uma deu certo, então desencanei de publicar aqui #fail. Pra quem quiser tentar, aqui vai o link!

Voltem pra contar se fizeram, quero saber o que acharam do antepasto e pra quem serviram :)

—–

* Falando em sabores nunca dantes provados, assistam esse vídeo que mostra a reação de crianças provando, pela primeira vez, comidas como azeitonas, picles, limão e iogurte :)

10 out 12
nhac
Dia das Crianças: sanduíche de brigadeiro
por Claudia

1-sanduiche-de-brigadeiro

Há uns bons anos desisti de comer biscoitos recheados, desses de supermercado, o recheio já não é mais o de antigamente. E isso não é saudosismo meu, mas mudança de fórmula mesmo. Daí que tive a ideia de fazer o meu próprio biscoito recheado, usando bolacha Maizena e recheio de brigadeiro. Que tal experimentar essa receita agora para o Dia das Crianças? Rende um bom lanchinho!

Eu fiz assim:

1. preparei minha receita clássica de brigadeiro, usando uma lata de leite condensado, uma colher de sopa de manteiga e quatro colheres de sopa de chocolate em pó

2. levei ao fogo em uma panela misturando bem e pare ANTES do ponto de brigadeiro. Não pode ficar no ponto porque senão depois fica meio “chiclete”, eu prefiro uma consistência mais mole

2-contagem-biscoitos

3. contei o número de bolachas do pacote de Maizena, vieram 41, ou seja rendeu 20 sanduichinhos

4. empilhei metade das bolachas e deixei reservado no canto para usar como ‘tampa’

3-espalhe-brigadeiro

5. com uma faquinha, espalhei o recheio na base. Eu não esperei esfriar, talvez devesse!

6. se quiser, dá para ‘mergulhar’ o sanduíche em um pote com chocolate granulado (ou outros confeitos) para enfeitar. Testei com apenas um, os demais deixei in natura mesmo

4-biscoito-armazenagem

7. fechei os sanduíches e guardei em um pote hermético para comer no dia seguinte. Deste jeito fica super prático para transportar :-)

O veredito? Ficou uma delícia! Levei no trabalho no dia seguinte, para dividir com o pessoal. Mas 24 horas depois a bolacha deu uma amolecida. Como disse uma amiga, ficou com gosto de pavê. Eu queria mesmo que tivesse ficado crocante, mas não rolou. Acho que tem a ver com o fato de ter colocado o recheio quente… Quem sabe na próxima experiência. Vou repetir e recomendo. É mais fácil do que enrolar e fica bem gostoso.

5-biscoito-maizena-brigadeiro

 

UPDATE!

A Pati Piva nos escreveu (sim, aquela por trás dos doces incríveis) contando que é fã do blog :D e não só explicou porque a bolacha amolece como também deu dicas ótimas para evitar o amolecimento.

“Os biscoitos ficaram moles porque no brigadeiro tem água e pela osmose natural, ocorre troca de água entre o brigadeiro e as bolachinhas, pois existe uma tendência natural de a quantidade de água se igualar entre os dois meios. Você pode usar o recheio meio quente se quiser, mas é melhor deixar esfriar antes. Porém mesmo com o recheio já frio isto iria acontecer. Uma solução seria passar um pouco de chocolate ou de chocolate hidrogenado por dentro das bolachas antes de passar o brigadeiro nelas, e passar o brigadeiro somente na região protegida pelo chocolate. Ou ainda, banhar totalmente as bolachas em chocolate antes de recheá-las. O chocolate vai criar uma barreira contra a passagem da água e as bolachas vão ficar crocantes.

Mas atenção: Continue guardando as bolachas em recipiente hermético para protegê-las da umidade do ar, principalmente se optar por não banhá-las totalmente no chocolate. Chocolate tradicional é bem mais gostoso que chocolate hidrogenado, porém se for usar chocolate tradicional, não esqueça de temperá-lo antes de banhar as bolachas pois senão ficarão manchadas após a secagem do banho. Quem achar isso muito difícil pode optar pelo hidrogenado.

Um beijo carinhoso e boa sorte! Pati “

Página 1 de 1312345...Última