20 nov 14
casa craftreciclagem
Ímãs de geladeira com tampinhas
por Claudia

Ímãs de geladeira

Eu sou daquelas que gostos dos pequenos detalhes. Alguém vai tomar refrigerante ou cerveja e eu fico prestando atenção no rótulo e nas tampinhas. Ainda mais agora, com essa explosão de cervejas artesanais e em pequena escala! Até para se diferenciar, as micro cervejarias investem em ilustrações e uma linguagem visual mais moderninhas e atuais.

Tudo isso pra dizer que na minha última viagem, um grupo de amigos resolveu experimentar várias cervejas (eu não curto) e eu fiquei colecionando as tampinhas. Trouxe pra casa de “souvenir” e fiquei pensando o que poderia fazer com elas.

Resolvi improvisar e fazer ímãs de geladeira com os materiais que tinha aqui em casa. Querem ver como resolvi?

Separei as coisas antes de começar:
– tampinhas
– EVA grosso
– ímãs
– tesoura
– cola

Ímãs de geladeira

Usei o EVA como “recheio” para a tampinha. Para isso, marquei com caneta o diâmetro e cortei com a tesoura no tamanho certo.

Ímãs de geladeira

Fiz essa base para colar o ímã, que era muito pequeno. Eu tinha duas opções: colar o ímã por fora ou por dentro.

Ímãs de geladeira

Particularmente, acho mais legal deixar o ímã embutido. Neste caso, precisa cortar o EVA para encaixar o ímã no espaço.

Uma dica? Dobrar o EVA e dar picotes com a tesoura no lugar marcado, é bem mais fácil!

Apesar de o EVA ter ficado bem justo e encaixado dentro da tampinha, achei mais seguro colar pra garantir que depois de um tempo não vai se soltar ou cair.

Ímãs de geladeira

E voilá… Simples assim. Fiz vários e já coloquei na geladeira!

Ímãs de geladeira

Depois é só usar para prender listas de compras, fotos, recados, etc.

Ímãs de geladeira

E já que estamos falando de ímãs de geladeira, deixo um bônus neste post. A ideia vi na casa da Renata Ueda, da Tupã Brasil, que inventou esse método simples e genial de deixar a caneta na geladeira. É pra nunca mais perder!

Ímãs de geladeira

Execução express: você só precisa colocar um ímã desses de bolinha dentro do tubo da caneta. Tire a ponta de plástico da parte de cima e coloque a bolinha perto da carga. Se o ímã for daqueles poderosos (tem que ser!), vai aguentar o peso e sua caneta ficará suspensa!

06 out 14
outras técnicasreciclagem
Porta-coisas de bastidor
por Andrea

bonifrati_porta_coisas_bastidor_00

Fotos e projeto por Oliver Thi, da Bonifrati

Olá pessoal! Com o dia das crianças se aproximando os Bonifrati pensaram num projeto DIY bem legal que os pequenos podem fazer juntamente com seus pais. Sem muitas complicações e um encaixe aqui e outro acolá fazemos um porta-coisas que vai deixar a bagunça criativa bem mais organizada. Vamos lá?

Você vai precisar de:
* Folha de cortiça
* Bastidor
* 2 miolos do rolo de papel (1 menor, de papel higiênico e outro maior, de papel toalha)
* Tesoura
* Cola quente

boni_1

1. Corte os rolos de papel higiênico em tamanhos diferentes: um maior para o lápis e o menor para o giz de cera.
2. Utilize o bastidor como molde e risque dois círculos na folha de cortiça, recortando em seguida.
3. Recorte também duas tiras de cortiça no comprimento dos rolos, e encape-os, fixando com a cola quente.

boni_2

4. Cole um dos círculos na base do bastidor.
5. Coloque os dois rolos sobre o outro círculo, risque sua volta para demarcar o local a ser cortado para encaixar os rolos na base e recorte.

boni_3

6. Em seguida fixe os rolos com cola quente . Seu Porta-Coisas de Bastidor está pronto!

bonifrati_porta_coisas_bastidor_12

 

Para encerrar um poeminha:

“Escrevo um recadinho
Trecho de música
Um aviso:
É pra hoje, é pra já!

Quantas coisas acontecendo
As ideias vão se perdendo
Mas eu não deixo nada escapar

É só fixar um papelzinho
No mural e eu to tranquilo

Cadê a caneta?
Não tem problema!
Está no rolinho, a vermelha
Vejo o giz de cera ao lado
Escolho o verde azulado
De criatividade eu me invado
Que vontade de desenhar!”

Outras ideias que os Bonifrati mostraram aqui no Superziper:

– Pipa de papel

- Pipa de tecido, tipo almofada fofinha

- Árvore mural, de rolhas

- Dedoches divertidos

Espero que gostem destas ideias! Um feliz dia das crianças grandes e pequenas.

Beijos Oliver Thi, da Bonifrati 

01 out 14
costurareciclagem
Transformação: casaquinho de veludo
por Claudia

Casaquinho de veludo

Em um passeio por uma feirinha de usados organizada por uma escola nos Estados Unidos – que aqui eles chamam de flea market – comprei um vestido rosa de veludo por uma pechincha.

Bati o olho e vi que tinha potencial para virar outra coisa. Ele não tinha nascido para ser um vestido – apesar de ter certeza de que ele fazia parte do figurino de alguma peça de teatro. Porque como roupa não consegui encaixar ele em nenhuma fase da moda. E nem consigo imaginar alguém usando ele no dia a dia, muito menos em uma festa.

Mas curti a cor e adorei os botõezinhos. O tecido estava bom, inteiro e sem manchas. Apostei na transformação, achei que daria uma peça única.

Pois bem, vejam o antes e o depois.

Casaquinho de veludo

Não é uma transformação radical, mas o fato de ‘perder’ a saia e poder ser usado aberto dá bem mais possibilidades de uso.

Apesar de que nunca iria usá-lo como vestido, precisei de coragem para cortar o veludo com a tesoura. Uma coisa é desmanchar costuras existentes. Outra é passar a tesoura em uma parte intocada do tecido. Sempre me dá um nervoso, medo de me arrepender.

Mas fui em frente. E também precisei abrir uns pedaços já costurados para fazer um melhor acabamento.

Casaquinho de veludo

Com ele aberto ao meio, era hora de decidir o corte da horizontal.

Depois dobrei o tecido para simular a parte de cima sem a saia, para decidir até onde eu iria o babado. Testei a dobra com o vestido apoiado na mesa e também no próprio corpo.

Marquei a linha de corte com um lápis escolar e, de novo, tesoura em ação.

Casaquinho de veludo

Como estou viajando, usei o que eu tinha no meu kit de costura de viagem (esse amarelinho eu comprei na Daiso) e mais algumas comprinhas que fiz na própria feira – linha em um tom de rosa aproximado e um pacotinho de viés de renda.

Casaquinho de veludo

Passei o tecido com ferro para marcar a dobra e, com muita paciência, costurei à mão toda a barra. Usei o viés para evitar que o veludo desfie. Fiz tudo com ponto invisível, uma trabalheira.

Casaquinho de veludo

Mas valeu a pena! Gostei muito do resultado, a ponto de ter me permitido aparecer de corpo inteiro para as fotos, coisa que raramente faço…

Casaquinho de veludo

Fica aí a inspiração. Nem sempre vestidos precisam continuar sendo o que eram originalmente. Se o tecido é bom, porque não repensar?

Casaquinho de veludo

04 set 14
casa craftreciclagem
DIY: abajur de roupa nova
por Claudia

Renovação: abajur

Estes dias estava lendo a edição número 4 (2007) da revista Make americana, aquela de robôs, engenhocas eletro-eletrônicas e outras coisas geeks do tipo. Logo nas primeiras páginas, havia um ‘Crafter’s Manifesto‘ escrito por uma estudante finlandesa que adorava fazer coisas manuais e também filosofar sobre o assunto. Ela chegou em uma lista de ‘mandamentos’ e um deles chamou minha atenção:

“The things people make they usually want to keep and update. Crafting is not against consumption. It is against throwing things away / As coisas que as pessoas fazem normalmente são mantidas e atualizadas. Fazer crafts não é ser contra o consumo. É ser contra jogar coisas fora”

Nem vou filosofar sobre o assunto, mas na prática foi o que fiz com este abajur que era muito querido, utilizado e quebrou. Resolvi tirar a chave de fenda da caixa de ferramentas e partir para uma renovação. Querem ver?

Esta era a base original, que comprei na Tok & Stok e durou uns bons anos. Mas era de gesso. E um dia caiu e quebrou. O lado positivo de ele ter quebrado dessa forma foi que eu pude ver como era por dentro, super simples, nada do outro mundo. E isso me incentivou a destruir essa base por completo e trocar por uma nova!

Renovação: abajur

Fiz uma cirurgia de abajur. Desmontei tudo para ver se o paciente estava em ordem. Vejam o que encontrei:

Renovação: abajur

1. o soquete estava preso em um tubo metálico. Tudo funcionando aqui, não tinha nada para mexer
2. esta ‘porca’ plástica serve para prender a cúpula, tudo ok também
3. a porca e a aruela delimitam a altura da peça e são rosqueadas na base deste tubo (1), que é como um parafuso gigante e oco
4. a tomada eu já tinha trocado faz um tempo para o novo modelo brasileiro, só precisei desparafusar para soltar o fio
5. chave de fenda: a única ferramenta que usei para desmontar o abajur original
6. interruptor do abajur: consegui soltar, mas o mecanismo para prender o fio não estava muito bom…

Ou seja, com tudo em ordem, só precisava de uma nova base. Usei uma peça de madeira antiga, que era usada em uma tecelagem – ela tinha praticamente mesma altura do abajur! Eu achei isso no bairro do Bom Retiro, jogado em um canto, em uma loja de retalhos de confecções. Comprei dois – um dei pra Andrea, que usou como porta-pulseiras e o meu ficou de enfeite… até esse dia.

Renovação: abajur

Só precisei ajustar um pouco a altura. O bom é que por ser uma peça industrial, já tinha um furo no meio – exatamente como eu precisava para passar a fiação e apoiar o soquete. Serrei a madeira na mão, com uma serrinha, e depois usei o Dremel no acabamento.

Renovação: abajur

Depois foi só montar tudo de novo… Passar o fio, ajustar a porca e a aruela para marcar a altura, e parafusar as partes elétricas. A única coisa a mais que fiz foi substituir o interruptor. Diferentemente do plug da tomada, que prendia o fio com parafusinho (mais seguro), o do interruptor era muito frágil. Achei mais seguro trocar.

Renovação: abajur

Praticamente terminei tudo em meia hora – o mais trabalhoso e demorado foi serrar a madeira. Já estreei a noite para ler meus livros de cabeceira.

Renovação: abajur

A cúpula eu também troquei – usei uma branca básica, comprada em uma das lojas da Rua da Consolação. Já vi tantos PAPs para enfeitar cúpula que talvez eu resolva fazer alguma coisa com ela. Mas por enquanto assim está ótimo, tudo funcionando, tudo iluminado!

Página 1 de 1912345...Última