28 abr 18
tricô e crochê
Eu tricotei: Baby Surprise Jacket
por Andrea

Você sai do tricô mas o tricô não sai de você. No meu caso, já havia algum tempo que não tricotava mais. Seja por dores no punho ou minha rotina como mãe, me faltava reservar tempo para as agulhas. O último tricô mais sério foi um casaquinho para minha filha recém-nascida, três anos atrás. Mas eu tinha que mudar isso, a saudade dos aumentos e diminuições já estava batendo. Vinha procurando um projeto rápido e estimulante, que me fizesse voltar a curtir o tricô em todo o seu potencial. Será que ele existia? Eis que  um dia uma amiga querida me lembrou do famoso Baby Surprise Jacket, uma receita que estava na milha lista de ‘projetos de tricô a fazer na vida’ eu eu tinha esquecido completamente. Um design clássico e atemporal, da mestra absoluta do tricô Elisabeth Zimmerman, de quem sou fã de carteirinha –  recomendo muito os livros dela para quem topar o desafio de ler tricô em inglês. Os projetos são clássicos, de uma construção simples e genial. Já li o  Knitting without tears e o Knitters Almanac.  Os livros são meio prosa com receita, com jeitinho de livro antigo.

Mas provavelmente o projeto mis surpreendente que já fiz da Zimmerman é o tema deste post, o Baby Surprise Jacket.  

Como o nome já diz, é um casaquinho ‘surpresa’, que você vai tricotando, tricotando como uma peça só, até arremataru m objeto meio disforme. Mas, ledo engano, uma dobra aqui e outra acolá, eis que surge o casaquinho de bebe mais fofo do mundo!

Este post não tem receita, apenas algumas dicas que podem ajudar quem quiser se aventurar neste projeto. E como notas a serem revisitadas por mim daqui a alguns anos.

Para um casaquinho de bebe tamanho P usei exatamente dois novelos de 50g de lã Sidney Cervinia, um amarelo e outro laranja). Foi a primeira vez que usei este fio, um ótimo custo beneficio e qualidade. Trata-se de um fio italiano 100% lã que é macio ao toque e desliza super bem na agulha. Comprei pessoalmente na Novelaria, mas tem online também.

Usei duas agulhas número 5 com o cabo de nylon flexível de 40 cm. São as agulhas de tricô circular, usadas separadas. O efeito é o mesmo da agulha reta, porém muito mais práticos de manusear.

O primeiro desafio é ler a receita. A receita que você compra aqui é SUPER detalhada, com muitas fotos e variações. Se por um lado isso é ótimo por outro, confunde bastante. Existe uma página com a receita original da E. Zimmerman e outra adaptada, carreira a carreira – mas só tem para um tamanho que não foi o escolhido por mim. Então, lá fui eu seguir a receita da Zimmerman, que é mais vaga (o estilo dela de escrever receitas daria um post a parte). Quando ficava perdida, ia conferir a página da receita carreira a carreira. No final usei um misto das duas e mesmo assim apanhei um pouco.

Sugiro estudar bem a receita decidir qual o tamanho e modelo e traçar um plano antes de começar a tricotar.

A parte mais complicada para mim foi posicionar as diminuições que dobradas, irão formar os tubos das mangas. Desmanchei seis vezes, no mínimo. O segredo era colocar o marcador FIXO no ponto DO MEIO do grupo três pontos nos quais serão trabalhadas as diminuições. Demorei um bom tempo para descobrir isso pois as pontas começavam a ficar diferentes de cada lado.

Depois que acertei isso, o projeto deslanchou.  O mais impressionante é a transformação de uma peça meio esquisita e cheia de pontas em um casaquinho. Fiz um video da transformação:

A post shared by Andrea Onishi (@deaonishi) on

As únicas costuras que devem ser feitas são na parte superior das mangas – repare que ainda estão abertas no video.

Esta marca diagonal são os aumentos que, dobrados estrategicamente formam a manga. Elas ficam posicionadas no verso do casaquinho. Achei bem difícil visualizar quando tricotava, mas ao dobrar tudo fez sentido.

As laçadas que formam as cinco casas de botões estão indicadas na receita original dos dois lados. Não entendi até agora necessidade de casas dos dois lados então transgredi e fiz apenas de um lado #rebelde.

Não é uma construção genial? Gostei muito de trabalhar com duas cores e confesso que o posicionamento da listra e troca de cores foi meio no chutômetro.

Éu sou fã deste tipo de construção, sem emendas, e feitos em uma peça só. A maioria dos designs da E. Zimmerman são assim, inteligentes. Ela já pensava em otimizar a vida em 1965, ano em que criou este casaquinho. E colocou na receita original MUITAS variações, a mesma peça com gola, com capuz e até para adultos – confesso que o modelo não me agrada tanto para adultos mas para crianças é só amor.

Se gostei de fazer? Amei. Tanto que já encomendei lã para a minha segunda Baby Surprise! Admito que estou meio viciada. E ao mesmo tempo muito feliz por ter terminado este projeto e empolgada para voltar de vez para o tricô – minha primeira paixão no mundo craft.

E vocês o que andam tricotando? Se animaram a tricotar um casaquinho surpresa?

08 dez 16
tricô e crochê
Faça você mesmo: Estrela de crochê
por Andrea


Ligando o mode oi dezembro e logo mais tchau 2016. Confesso que não consegui fazer a metade dos projetos crafts que gostaria de ter feito neste ano. Tamo junto? Mas tudo bem, no ano que vem corremos atrás do prejuízo, né? Com mil novos planos sempre.

A parte legal desa época é que minha filha está pela primeira vez entendendo que o Natal é uma data diferente, especial. Já reconhece quando passamos na rua por uma árvore toda enfeitada. Fica eufórica, grita bóoooi (bola) e Papayeeeeel (Papai Noel). Mas ainda estou pensando se vamos ou não montar uma pequena árvore de Natal na sala – nosso espaço é reduzido e os enfeites seriam destruídos na primeira hora. Sei que tenho que decidir logo antes que seja tarde demais. Enquanto decido, comecei a fazer alguns enfeites natalinos que, senão forem para a árvore podem adornar algum outro cantinho da casa. Pesquisei algumas ideias por aí e decidi pelas clássicas estrelas de crochê! Tem muita receita gratuita na web. Testei algumas mas não pirei em nenhuma, resolvi inventar a minha –  um mix de todas.

Enfeites de crochê são um ótimo pretexto para usar sobra de lãs e linhas antes que o ano acabe! Aliás, tá na hora de marikondizar e fazer a organização de final de ano (já fica o tema para um próximo post hehe). Para as minhas usei sobras de fios de algodão natural mais grosso que sobraram de outros projetos, alguns tingidos e outros na cor natural. Também tentei usar linha fina – um pouco mais grossa que o fio Mercer Croche. Ficou uma estrela menor e mais delicada!

Vamos a receita, passo-a-passo. Esta é para fios mais grossos, no final anotarei a variação para fio fino.

star1

Faça um nó de correr e depois 5 correntinhas. Feche o anel com ponto baixíssimo.

star2

Carreira 1: Passando por dentro do anel, faça 5 ‘puff stitches’ com 3 laçadas (não consegui achar o equivalente a este ponto em português, se souber me avise!).  Este video mostra como deve ser feito. Feche a carreira com um ponto baixíssimo.

star3

Carreira 2: ‘Ande’ dando 1 ponto baixíssimo até o espaço entre o primeiro e segundo ‘puff stitch’. Trabalhe a seguinte sequência *(2 pontos altos, 1 correntinha, 2 pontos altos e 1 correntinha).

star4

Repita a sequência * mais 4 vezes, sempre no meios dos ‘puff stitches’. Feche a carreira dando 1 ponto baixíssimo.

star5

Carreira 3: A partir de agora a estrela começa a se formar.

‘ Ande’ com 1 ponto baixíssimo até a correntinha da carreira anterior. Neste espaço da correntinha trabalhe a seguinte sequência (2 pontos altos, 1 ponto alto duplo, 3 correntinhas, 1 ponto alto duplo, 2 pontos altos) finalize a pétala com um ponto baixo, pasando a agulha por dentro da próxima correntinha da carreira anterior.

Repita a sequência por mais quatro vezes até formar as cinco pontas da estrela.

img_9463

Feche a carreira com 1 ponto baixíssimo.  Corte o fio e esconda a ponta na parte de trás da trama.

Nesta hora, na real, a estrela estará mais parecida com uma flor!

blocando

Para deixar a estrela bem pontudinha, vamos blocar! Calma, te explico o paranauê!

Basta molhar as peças com água e retirar o excesso com uma toalha. Depois, estique as estrelas em uma superfície plana, puxe as pontas com ajuda de alfinetes e deixe secar por um dia. Eu usei  como base uma folha de isopor mas poderia ser uma toalha dobrada em várias camadas.

tamanhos

Note que dependendo as espessura da linha/lã e número da agulha a sua estrela pode variar de tamanho.

Variação da receita com linha fina e agulha idem

Carreira 1: Passando por dentro do anel, faça 5 ‘puff stitches’ com 4 laçadas

Carreira 2: ‘Ande’ dando 1 ponto baixíssimo até o espaço entre o primeiro e segundo ‘puff stitch’. Trabalhe a seguinte sequência *(3 pontos altos, 1 correntinha, 3 pontos altos e 1 correntinha).

*****************

A primeira estrela pode levar mais tempo mas depois fica bem mais fácil. Capaz até de você memorizar a receita. Fazendo uma por dia até o Natal dá para deixar a árvore bem estrelada :).

20 nov 16
tricô e crochê
DIY: Cesta retangular em malha
por Andrea


cesta-retangular3

O craft da vez aqui em casa, é sem dúvida, o crochê. Cheguei a conclusão que, especialmente aquele feito com fio de malha, é o craft amigo da mãe que vive ocupada. Dá para fazer em qualquer lugar, um pouquinho de cada vez. Não exige agulhas pequenas e nem sequer afiadas, não faz muita bagunça (\o/) nem sujeira pela casa. As vezes encontro minha filha se divertindo a beça na sala, desenrolando o tubo de malha mas isso, perto de outras coisas (alô fiapos e alfinetes de costura, melecas de pintura e afins), é fichinha.

E pelo visto muita gente, com filhos ou não, também aderiu a febre do fio de malha. A ponto de esgotar aquele armarinho que vivia estocado. Mas nem tudo é cor-de rosa- no mundo do trapilho. Achar o fio de malha certo para o seu projeto pode virar uma novela. Como muita gente já aprendeu na prática os fios de malha, independente da marca, variam loucamente. Ora aparecem finos, ora grossos, com muita ou nenhuma elasticidade. Muitas vezes já encontrei variações de espessura no mesmo rolo. Imagina você crochetando toda faceira e de repente o fio engrossa, vira fita, e depois afina, vira um espaguete. Por isso, separei algumas dicas que podem ajudar as novatas na hora de escolher e comprar este fio delicioso e temperamental. Vambora!

Tudo o que você precisa saber pare comprar fios de malha mas ninguém te explicou:

  1. Preste muita atenção na elasticidade e espessura do fio. Especialmente se for crochetar com cores diversas em uma peça só, tente achar todas elas em fios da mesma espessura  e elasticidade.
  2. É sempre mais fácil crochetar com fios que tenham um pouco de elasticidade. Nem sempre é possível abrir a embalagem então olhe o ‘brilho’do fio. Geralmente os fios mais brilhosos são mais elásticos que os fios opacos.
  3. Prefira comprar pessoalmente do que pela Internet, assim você evita chutes e consegue avaliar pessoalmente se espessura da malha é a mais adequada.
  4. Se o fio veio muito fino, divida o cone em 2 e use dois fios juntos ( ou até três, dependendo do efeito que quiser).
  5. Se gostou de uma determinada cor ou estampa de malha leve na hora. Se possível, leve um rolo de 500g a mais para garantir que não vai faltar para acabar seu projeto!  Como os fios são feitos com sobras de indústria pode ser que aquela cor que você amou nunca mais volte a ser vendida.
  6. Veja se o armarinho aceita trocar tubos de malha fechados por outras cores, caso sobrem.
  7.  Tenha agulhas de tamanhos variados sempre a mão e teste sempre para ver o tamanho que melhor se adapta ao seu fio. As mais usadas na malha são as de número 7 a 10.
  8. As agulhas de metal são mais econômicas porém pesadas, cansam mais, principalmente as mais grossas. As de madeira/bambu são mais gostosas e leves, porém caras. Um meio termo são as de plástico (gostei muito da marca Tulip), são as minhas atuais favoritas.

Aprendi tudo isso por tentativa e erro por isso achei válido botar na roda e avisar quem está começando. Poupa bastante tempo e dinheiro.

Mas agora vem que temos uma receita nova! Desta vez desenvolvi um cestinho bicolor com fundo retangular e alças. O ideal é usar um fio grosso para produzir uma cesta maior. Ou use dois fios finos juntos. E viajar nas combinações de cores a vontade.

 

Cachepo de malha com fundo retangular

(diâmetro do fundo = 15X18, aproximadamente, usando fio de malha grossa)

Materiais
– Fio de malha em duas cores (300 g cor principal e 100g cor secundária).
– Agulha de crochê #9 ou #10 ( cheque qual delas deixa o seu ponto menos ‘esburacado’)
– Marcador
Corr.: Correntinha / P.b: Ponto baixo / P.bx: ponto baixíssimo

Usando a malha na cor principal
Faça um nó de correr e 10 corr. (não conte a primeira correntinha, a do nó)
Carreira 1: 1 corr., 10 p.b.c (10). Vire.
Carreiras de 2 a 10: Idem carreira 1.

Carreira 11: Fazer o contorno do retângulo em p.b, trabalhando sendo 2 p.b. em cada uma das quatro quinas. Nas duas laterais faça mesmo, tomando cuidado para fazer o mesmo numero de p.b dos dois lados.  Colocar o marcador para sinalizar o início da carreira (42).
Carreira 12: 1 corr, p.b. em cada ponto da carreira anterior, pegando no meio do ponto, para levantar as laterais. Repetir até o final da carreira e fechar com 1 p.bx. (42)
Carreiras 13 a 16: Idem carreira 11.(42)
Cortar o fio com 5 cm  e escondê-lo na parte interna do cesto.

Usando malha na cor secundária
Carreira 17 (ALÇAS): 4 p.b.c. em cada ponto da carreira anterior. Pular 4 pontos e fazer 4 correntinhas, 4.pb.c, 9 p.b.c, Pular 4 pontos e fazer 4 corr, 9 p.b.c. Fechar a carreira com 1 p.bx. (42)

Carreira 18: 1 corr., p.b.c em cada um dos pontos da carreira anterior. Fechar a carreira com 1 p.bx. (42)
Cortar o fio com 5 cm  e escondê-lo na parte interna do cesto.

A pedidos, algumas fotos do cesto com detalhes importantes para quem tentar fazer.

img_9429

Este é o fundo. Repare na linha de ‘borda’ (carreira 12), onde o p.b é feito inserindo a agulha no meio do ponto da carreira anterior.

Participação especial de um remendo de linha branca no meio do fio de malha rosa #crochedemalhadavidareal.

img_9435

Uma das alças laterais (carreira 17), que ficam centralizadas na lateral maior do cesto. A mesma alça se repete do lado oposto. A última carreira é feita apenas de p.b. Quando chegar na alça passe a agulha por baixo dela ao fazer cada um das 4 corr.  – isso deixa a alça mais grossa e reforçada.

*******************

Varie à vontade em tamanho e cores. Muita gente segue exatamente o mesmo número de pontos e acaba com um cesto de fundo quadrado, dependendo do tamanho do p.b e espessura da linha/agulha, tá ? O tamanho final sempre varia um tanto em se tratando de crochê de malha. Como podem ver, esta técnica tem muitas variantes (e algumas surpresas) mas não deixa de ser bem divertida.

Não esqueça de, se testar a receita, voltar para me contar como ficou :).

27 out 16
casa crafttricô e crochê
Faça-você-mesmo: Cesto multiuso de raposa
por Andrea

raposa_abre

Aqui em casa nos policiamos não acumular brinquedos em excesso. Na linha do menos é mais, tanto para frear o consumismo e manter o espaço mais limpo e organizado, preferimos ter menos brinquedos, priorizando aqueles que sejam bons e interessantes. Mas não tem jeito, por menos que tenhamos, na hora de guardá-los parece que se multiplicam e sempre faltam recipiente! Já fiz dois cestos de malha simples que são ótimos, e estão em uso constante na organização. Mas, recentemente, começamos a querer mais um. E já que precisamos de um cesto novo que seja de raposa!

Não achei uma receita pronta do jeito que queria então adaptei um cestinho pequeno do canal do Pra Gente Miúda. Fiz vária alterações na receita, principalmente no tamanho geral e nas orelhas, que transformei em alças funcionais – super necessárias no caso de um cesto grande que eventualmente será ser carregado pela casa.

O pulo do gato (ou da raposa) deste projeto é trabalhar com 3 cores de malha para criar o desenho da cara de raposa. Isso é feito com a técnica do fio conduzido. Melhor do que eu tentar explicar com fotos é ver  este video aqui que mostra direitinho como é a ‘mágica’. Não recomendo o fio conduzido para iniciantes  ( a não ser os muito ousados) mas quem já tem uma certa habilidade no crochê vai tirar de letra o troca troca de cores.

Atenção para a espessura do fio de malha. Infelizmente ela costuma variar bastante de lote para lote. Todas as três cores de fio de malha utilizadas para fazer este cesto devem ser grossas, para dar bastante estrutura. Caso seja necessário, utilize dois fios juntos – foi o que tive que fazer com o fio creme.

Cesta multiuso raposa
(diâmetro do fundo = 27cm, aproximadamente)

Materiais
– Fio de malha em duas cores (1 kg branco/ creme e 500g laranja e 2 m preto).
– Agulha de crochê #10
– Marcador ou alfinete

Corr.: Correntinha
P.b: ponto baixo centrado ( pegando por baixo do ponto)
P.bx: ponto baixíssimo
p.a: ponto alto
Sempre fechar a carreira com com um p. baixíssimo e 1 corr.

Com malha na cor branca
Centro/início: Faça um ‘anel mágico ‘para ser o centro do fundo.
Carreira 1: 6 p.b passando por dentro do anel mágico (6)
(Para fechar ao final de cada carreira, fazer um p.bx seguido de uma corr.)
Carreira 2: (2 p.b passando por dentro de cada ponto da carreira anterior). Repetir até o final da carreira. (12)
Carreira 3: *(1 p.b no ponto da carreira anterior, 2 p.b juntos no próximo ponto). Repetir até o final da carreira. (18)
Carreira 4: (1 p.b em cada um dos 2 pontos da carreira anterior, 2 p.b juntos no próximo ponto). Repetir até o final da carreira. (24)
Carreira 5: (1 p.b em cada um dos 3 pontos da carreira anterior, 2 p.b juntos no próximo ponto). Repetir até o final da carreira. (30)
Carreira 6: (1 p.b em cada um dos 4 pontos da carreira anterior, 2 p.b juntos no próximo ponto). Repetir até o final da carreira. (36)
Carreira 7: (1 p.b em cada um dos 5 pontos da carreira anterior, 2 p.b juntos no próximo ponto). Repetir até o final da carreira. (42)

Carreira 8: 1 p.b. em cada um dos pontos da carreira anterior, pegando no meio do ponto pra formar a borda do fundo. (42)
Carreira 9 e 10 : 1 p.b em cada um dos pontos da carreira anterior. (42)

Usando o fio de cor branca e laranja (técnica do fio conduzido)
Divida o cesto em duas partes e coloque um marcador no meio, deixando 21 pontos de cada lado.

NARIZ Carreira 11: 4 p.b em laranja colocar um marcador. Continuar em p.b em branco até um ponto antes da metade com o marcador. Nariz: Fazer 2 p. a. duplo puxando o fio duas carreiras abaixo da carreira atual (para deixar o ponto alongado). Continuar com p. b. em branco e até 4 pontos antes do final da carreira. Finalizar com 4 pontos baixos laranja (42).

Carreiras 12: 5 p.b em laranja. P.b em branco até 2 pontos antes da metade com o marcador. Trabalhar 4 p.b em laranja. Continuar com ponto baixo branco até 5 pontos antes do final da carreira. Finalizar com 5 pontos baixos em laranja (42).

Carreiras 13: 6 p.b em laranja. P.b em branco até 3 pontos antes da metade com o marcador. Trabalhar 6 p.b em laranja. Continuar com p. b. branco até 6 pontos antes do final da carreira. Finalizar com 6 pontos baixos na cor laranja (42).

Carreiras 14: 7 p.b em laranja. P.b em branco até 4 pontos antes da metade. Trabalhar 8 p.b em laranja . Continuar com p. b. branco até 7 pontos antes do final da carreira. Finalizar com 7 p.b. na cor laranja (42).

OLHOS Carreiras 15: 8 p.b em laranja. p.b em branco até 5 pontos antes da metade. Olhos: Com o fio preto, fazer 2 p. a. duplo puxando o fio duas carreiras abaixo da carreira atual (para deixar o ponto alongado) e entrando no mesmo fio – não aumentar o numero de pontos. Trabalhar 10 p.b em laranja. Continuar com p. b. até 8 pontos antes do final da carreira. Finalizar com 8 p.b. na cor laranja (42).

Carreiras 16: 9 p.b em laranja. P.b em branco até 6 pontos antes da metade. Trabalhar 12 p.b em laranja . Continuar com p. b. branco até 9 pontos antes do final da carreira. Finalizar com 9 p.b. na cor laranja (42).

Carreiras 17: 10 p.b em laranja. P.b em branco até 7 pontos antes da metade. Trabalhar 14 p.b em laranja. Continuar com p.b. até 10 pontos antes do final da carreira. Finalizar com 10 p. b. na cor laranja (42).

Carreiras 18: 11 p.b em laranja. P.b em branco até 8 pontos antes da metade. Trabalhar 16 p.b em laranja. Continuar com p.b. até 11 pontos antes do final da carreira. Finalizar com 11 p. b. na cor laranja (42).

ALÇAS Carreira 19: Usando somente o fio laranja a partir de agora. 6 p.b em laranja, 6 corr., 18 p.b, 6 corr., 6 p.b (42).

Alças e arremate
Carreira 20: p.baixissimo nos primeiros 6 pontos. Para fazer as alças em formato de orelha, trabalha envolvendo a corr. da carreira anterior: 3 p. b. 1 p. a., 1 corr 1 ponto alto duplo corr, 1 p.a., 3 p. b.. Trabalhar em p.baixissimo nos próximos 18 pontos. Trabalhar mais uma orelha na corretinha da carreira anterior, seguindo a receita acima. Trabalhar 6 p.baixissimos e fechar a carreira (54).

Corte o fio e arremate, escondendo as pontas por dentro da trama.

raposa2

Vejam como ficam as alças que fazem o papel de orelha! A construção as deixa levemente pontudas, embora não tenha ficado tão evidente na foto #falhou.

raposa1

O cesto foi sucesso por aqui. Ficou bem espaçoso, cabe bem um monte de livros pequenos ou brinquedos.

A receita é bem versátil e pode para ser adaptada ao gosto do mini freguês, que pode encomendar outro bicho. Espero que se animem em fazer suas raposinhas ou de repente uma fauna… Curtiram a ideia da raposa? Quais outros animais vocês fariam?