16 jul 07
outros bla bla blastricô e crochê
Quando o rock encontra o crochê e o tricô
por Claudia

No quesito música, tem gente que ama a Björk Guomundsdótti, assim como tem gente que a odeia. Mas uma coisa ninguém pode negar – ela é sempre über criativa, ela inova, ela é a artista mais ousada da atualidade no quesito visual. O último CD dela, o Volta, não é exceção – quando vi a capa pela primeira vez na Internet há alguns meses atrás fiquei um pouquinho mais fã. Me digam que outra artista pop teria o dom de fazer uma foto de capa tão absurdamente craft como esta ?

crochet freeform

É uma mistureba de cores berrantes com formas malucas e cara pintada, tudo pegando fogo. Mas o destaque da capa na minha opinião é a roupa feita de crochê, ou para ser mais exata, freefrom crochet (já ouvi traduzirem como “crochê maluco” em português)- que como o próprio nome diz, é um crochê que é feito anárquicamente, sem seguir receita e portanto pode resultar em formas orgânicas imprevisíveis. Você fica livre para criar roupas e objetos nas formas que você bem entender e se quiser até misturar crochê com tricô. O freeform tá aí pra acabar com a idéia que crochê é sinônimo de toalhinha de mesa da vovó. Será que esta moda chega aqui ?

Quem está por trás da criação da capa é a Icelandic Love Corporation que além de roupas em crochê freeform faz também fotos, instalações e performances. Islandeses loucos ! O CD Volta já saiuno Brasil. Eu confesso que não ouvi ainda . Mas se tem um CD que eu compraria só pela capa, com certeza seria este.

Ah, parece que ela vem este ano para o Tim festival. Só espero que o figurino do show seja no mesmo nível !

O tricô

Imaginem a seguinte história: um segurança gigante feito de tricô que anda pelas ruas de Nova York como se fosse o King Kong. Ele caminha furioso em direção ao prédio do estúdio Capitol Records, onde uma banda de garotos está gravando uma música. O gigante escala o prédio, com a mão quebra uma das janelas dos últimos andares, e tenta raptar o vocalista. Mas eis que alguém muito sagaz puxa um fio da mão do gigante (que, lembre-se, era feito de tricô), prende a pontinha ao gravador, e o monstro vai se debatendo e se desfazendo aos poucos. Só que ele é forte e consegue, mesmo assim, machucar o mocinho (não vou entrar em detalhes, porque é tão surreal que chega a ser engraçado e vocês merecem a surpresa).

Loucura? Esquisitisse? Pelo contrário! Essa é uma descrição resumida do videoclipe de 3 min. da música “Walkie Talkie Man” (2004), da banda neozeolandesa Steriogram, dirigido por nosso queridinho Michel Gondry (sim, já escrevemos sobre ele).

O que isso tem a ver com o Superziper? Tudo! O cenário, as roupas, os objetos, os intrumentos, o estúdio (enfim, quase tudo) é tricotado. E tem lã pra tudo quanto é lado. O clipe mais crafty da história. Você tem que ver.

Aqui tem um vídeo com o making-of. A designer de produção e tricoteira, Lauri Faggioni aparece no vídeo, tricotando no chão :-)

_________
Nota: na pesquisa de links para esse post, acabei encontrando três coisas legais:
1. o novo videozinho do Michael Gondry no YouTube, chamado “Will it De Blend?“. Hehehe, ele cismou com a técnica de filmar cenas em rewind.
2. o perfil da trcioteira e designer Lauri Faggioni na revista House & Garden (clique aqui para ver a página escaneada). Ela tem uma história de vida bem legal!
3. os indicados, pela mesma revista, como Tastemakers de 2007 . São mais de 60 nomes, em 17 categorias. O brasileiro Hugo França aparece como destaque em móveis/decoração. E aqui tem a foto de todos os Tastemakers juntos – o ambiente da foto ficou tão inspirador, dá vontade de entrar nessa sala e sair produzindo alguma coisa :-D

13 jun 07
outros bla bla blastricô e crochê
Karma instantâneo !
por Andrea

Uma amiga (mais fã dos Beatles/Lennon do que eu) mandou um link para este vídeo e eu não podia deixar de compartilhá-lo aqui. Não apenas porque a música Instant Karma é ótima mas porque este vídeo conta com uma participação muito peculiar da Yoko Ono. Ela não canta uma palavra nem toca nenhum instrumento, apenas fica sentada num banquinho, impassível, tricotando *de olhos fechados*. Fala-se muito mal da Yoko, que ela separou os Beatles e coisa e tal, mas eu acho que isso não confere. Os Beatles acabaram porque era hora de acabar. E eu que já gostava da Yoko Ono, agora que descobri este vídeo, tenho um motivo a mais para gostar.
E não para por aí. Por coincidência no feriado da sermana passada fui ver Rockers, a exposição das fotos do Bob Gruen que está no MAB- FAAP, e uma das fotos que me chamou mais atenção é justamente esta, com o John Lennon trabalhando no estúdio e a Yoko jogada no sofá, de pijama, toda concentrada, tricotando alguma coisa. Me identifiquei imediatamente.

E vocês conhecem algum famoso(a) que tricota ?

PS: Um outro elemento legal presente neste vídeo é o piano do John Lennon. Prestem atenção, parece que foi customizado. Os anos 70 foram definitavemente crafty!

06 jun 07
tricô e crochê
Cachecol Ondulado
por Andrea


Eu sempre tive um pouco de preconceito em relação ao crochê para roupas masculinas e resolvi fazer este cachecol para tentar superar isso. Isso sem contrar que com o frio que está fazendo não tem coisa melhor que ganhar um cachecol handmade -ouvi dizer que os cachecóis deste tipo até esquentam mais :-).

Cachecol ondulado

A idéia é usar camadas do ponto ondulado/ “riple”, que já apareceu aqui no blog no meu post sobre mantas, para fazer as listras. Preste atenção na hora de escolher as cores que podem ser coordenadas ou contrastantes. Um novelo de lã de 50g é suficiente para fazer 2 ondas, então se for fazer 8 ondas use 4 novelos de 50 g de cores diferentes.
O modelo é muito fácil, baseado em ponto alto. Se você é crocheteira experiente dá pra fazer este cachecol em uma noite, assistindo tv. Se for iniciante sugiro fazer com calma, começe agora que dá tempo de acabar e antes da terça-feira.

Cachecol ondulado

CACHECOL DE CROCHÊ ONDULADO

Materiais:
– 4 novelos de 50g de lã de cores diferentes (pode ser tipo família, mollet, nina, sedificada ou similar)
– Agulha de crochê 0.4 mm
– Tesoura
Instruções:
Base: Faça 292 correntinhas (sim, 292 ! cachecol masculinho não pode ser curto).
Carreira (todas são iguais) : Fazer 3 corr. para virar, 1 p.a. na 4a correntinha, 2 pajts na prox. correntinha, * 1 p.a. em cada uma das prox 5 correntinhas, 2 p.a na prox correntinha, 2.p.a na prox correntinha **, repetir de * a ** até sobrarem 8 corretinhas. Finalizar com 1 p.a. em cada uma das prox 5 correntinhas, 2 pajts. na próxima corr., 1 p.a. na última corr. , virar.
Fazer 2 carreiras com cada uma das cores, totalizando 8 carreiras. Arrematar.
p.a = ponto alto
pajts = ponto alto junto ou diminuição, veja como fazer aqui em inglês e em vídeo
DICAS:
– Iniciante no crochê e sem ninguém para mostrar os pontos ? No stress, aprenda os pontos básicos aqui.
– Você controla largura do cachecol, adicionando mais ou menos camadas de ondas.
– Na hora de comprar lã para cachecol atenção extra com a textura. Se vai ser usada no pescoço tem que ser bem macia e não pode pinicar. A textura das lãs acrílicas variam muito entre sí e até mesmo de um lote pra outro. Eu acho a família mais “dura” que a Mollet, que é mais dura que a Nina.

29 maio 07
casa craftreciclagemtricô e crochê
Frio chama manta de crochê !
por Andrea

ripple

Então agora não tem mais desculpa, né ? Já é outono, esfriou um bocado então está na hora de pegar de novo as agulhas de tricô e crochê para botar os projetos parados em andamento. Assim quando o inverno chegar mesmo a gente vai ter coisas novas, bonitas e quentinhas pra usar.

 

A minha dica para quem faz crochê é a “manta de crochê ondulada”. O que adorei nesta manta é que tem aquele jeitinho antigo coisa da vovó pero no mucho. E serve tanto para as iniciantes quanto para as experientes.
Dá para fazer uma manta destas ficar bem sofisticada ou até um colcha com sobras de lã tipo Família (olha a reciclagem de materiais, mais uma vez!) , mas o truque não é usar qualquer cor que você tiver por aí e sim planejar antes o mapa de cores e repetições que você quer na sua manta. Já estou na terceira cor da minha e ainda falta muito pela frente, mas este projeto apesar de ser meio repetitivo, não enjôa. Acho que é porque crocheta-se relativamente rápido, com agulha 4 mm.

Ripple Afghan

Se empolgou? Olha aqui algumas dicas quentes pra quem quiser se aventurar:

– Estou usando este modelo aqui e mudando de cor a cada 2 carreiras. Dá uma manta de solteiro. Se quiser de casal, faça com o dobro de pontos.
– Quer tentar outros modelos ? É só googlar ripple afghan pattern
– Um grupo do flickr dedicado a estas mantinhas coloridas, tem este modelo e outros. Vejam as cores e se inspirem !
– Para quem tem espírito de equipe, o blog Ripple Along, onde um monte de gente crocheta a mesma manta juntos, tira dúvidas e mostra!
– Como falei antes, para a sua manta ficar legal você vai ter que antes de tudo bolar um combinação de cores que funcione bem em conjunto. Pegue todas as sobras de lã que você já tem e use este programinha mágico que gera listras. Basta você clicar nas cores que quer compor, indicar o número de camadas de cor e voilá: ele gera para você um gráfico da cores da sua manta.

* * * * * * * * * *
Também no Superziper: Faça você mesma um chocolate quente denso, de tomar de colherzinha. Pra conseguir essa consistência, o segredo é um só: usar maizena. Confira duas receitas sem erro! E mais… confira um índice com tudo que já publicamos.