11 jul 14
casa craftoutras técnicas
Decoração com fita isolante
por Claudia

Decor com fita isolante

A sugestão de projeto pra este fim de semana é decorar usando fita isolante – ou qualquer outra fita adesiva que você tenha em casa, como washi tape, decotape ou até durex colorido! Basta ter uma ideia na cabeça para sair desenhando pelas paredes.

Decor com fita isolante

Eu usei uma fita bem fininha preta que comprei nos EUA – era o que eu tinha por aqui. Essa fita originalmente servia para demarcar linhas e colunas em lousa ou quadro-branco, bem coisa de escritório. Mas com essa nova moda de triângulos e objetos geométricos, o pessoal acabou adotando o produto para decorar paredes mesmo. Parênteses: quem frequenta loja de R$1,99 talvez já tenha reparado que existem umas parecidas, mas bem mais finas do que essa, que são usadas para decorar unhas – talvez funcione também.

Decor com fita isolante

O primeiro passo é escolher o desenho que vai fazer. Eu procurei na internet por “barquinho de papel contorno” e salvei a imagem. Passei o modelo apoiando o papel direto na tela do laptop e contornando com canetinha. O legal dessa técnica é que você pode usar o zoom até conseguir o tamanho que você quer que fique o resultado final!

Decor com fita isolante

Escolha o lugar onde vai aplicar e posicione o desenho. Eu usei a ponta da tesoura para marcar a parede nos pontos onde a fita deveria ser colada. Não precisa passar tudo – apenas os pontos de início e fim da fita.

Vá colando a fita e cortando no tamanho certo. Exige paciência e vários cola/descolas até ficar bonitinho.

No meu caso, como apliquei o barquinho em cima da porta, ainda tive de fazer tudo isso em cima de uma escada!

Decor com fita isolante

Mas compensa o esforço. É um projeto rápido, fácil e barato de se fazer.

Depois ainda fiz mais um diamante pro meu quarto de costura…

Decor com fita isolante

…e uma “ilusão de ótica” que ficou em cima do interruptor.

Pesquisando no pinterest e google images vocês vão achar bastante referência – desde linhas aleatórios até formas geométricas perfeitas, de desenhos pequenos como os meus até uns gigantescos que ocupam a parede toda. Vale tudo!

Decor com fita isolante

Coloquei o desenho original pra vocês verem como o resultado final fica com um acabamento bem mais legal que o esboço!

Aproveitem a ideia e saiam desenhando :)

PS: pra quem precisa de inspiração, já divido o que tenho em mente para continuar com este projeto. Estou pensando em fazer a baleia de origami (só o contorno) para colocar no banheiro – e tem mais desenhos de origami neste link!

04 jul 14
costura
Primeiras costurices: Bolsinha com zíper
por Andrea

bolsinha_abre

Você desejou, pesquisou muito por aí, até que  finalmente a sua primeira máquina de costura chegou! Liga, testa, aprende a fazer pontos aqui e acolá, vem aquela vontade de começar a costurar enlouquecidamente, certo? Mas por experiência própria, escolher o projeto errado pode ser meio frustrante para a costureira novata. Mas estamos aqui justamente para te ajudar :). Hoje vamos começar um série de posts com projetos bem basiquinhos e bacanas para quem é iniciante na costura.

A pedida de hoje é costurar uma bolsinha com zíper e forro, projeto que tem alguns fundamentos legais (zíper, construção, acabamentos, etc) e é ao mesmo tempo super utilitário na sua vida. Afinal, quem no mundo não curte uma bolsinha porta-tudo? São o BomBril feminino, com mil e uma  funções.

bolsinha1

Separe os materiais:

– Tecido estampado externo (2 retângulos de 17X 15 cm)

– Tecido para forro (2 retângulos de 17X 15 cm)

– Ziper 15 cm (meça apenas o comprimento dos dentes, sem as bordas laterais)

– Alfinetes

– Sapatilha para zíper

– Tesoura

– Tira lateral (opcional)

Obs1: Estas medidas são para uma bolsinha pequena, de tamanho final 15 cm X 15 cm. O tamanho do zíper vai determinar o tamanho da bolsinha! Se quiser uma bolsinha maior, com zíper maior, é só acrescentar 2 cm (1 cm de cada lado à largura do zíper) e a altura que quiser.

bolsinha2

Posicione um retângulo do tecido externo e alinhe a parte superior com o zíper, ambos com o lado direito virados ‘para cima’.

Note que o meu tecido está cortado em viés 45 graus. Não se assuste, não é necessário cortar o tecido desta forma! Usei retalhos de tecido antigo que já vieram cortados maneira. Mantive assim para aproveitá-los.

bolsinha3

Em seguida, posicione por cima deles, um retângulo do tecido de forro com o lado direito para baixo. Alinhe os três muito bem pela parte superior e alfinete, formando um ‘sanduíche’ de tecido/zíper/tecido. Se sobrarem pontas do zíper nas laterais não há problema, elas serão aparadas depois.

peziper

Agora vamos falar coisa boa, vamos falar de de sapatilhas. Vê a diferença da sapatilha de zíper comparada com a sapatilha de uso geral? Elas variam de máquina para máquina. A minha é um Singer Brilliance então a sua pode ser levemente diferente. Mas geralmente a de zíper é mais estreita, justamente para o volume do zíper correr solto pela lateral. É ela que vamos usar! Geralmente ela vem no kit da sua máquina mas você consegue comprá-la avulsa.

bolsinha4

Muita calma na hora de pregar o zíper! Primeiro abra o zíper até a metade. Com a sua sapatilha de zíper, costure em linha reta em cima do sanduíche, deixando uma margem de 0,5 cm paralela aos dentes do zíper. Na hora de passar com a sapatilha ao lado do puxador do zíper, um truque: deixe a agulha no tecido e levante a sapatilha, enfie a mão por dentro e puxe-o para a parte do zíper que você já costurou!

Confissão: Eu não tiro os alfinetes na hora de costurar, por isso gosto de usar estes alfinetes de patchwork que são bem finos e com a cabeça chata. A agulha passa por cima deles na máquina. Pode acontecer de quebrar uma agulha aqui e outra acolá mas isso nunca aconteceu comigo ainda. Gosto de costurar perigosamente ;).

Não esqueça de fazer o retrocesso no começo e no final da costura.

bolsinha5

Após a costura, vire o zíper para fora e cheque se ficou assim: tecido externo, zíper e forro com costura para dentro. É assim que deve ficar o primeiro lado da sua bolsinha. Se chegou aqui já ganha um semi parabéns!

Repita o mesmo sanduíche de tecido externo, zíper e forro do outro lado do zíper. Alfinete tudo no lugar e pregue o zíper a máquina, exatamente como fez do outro lado.

bolsinha7

Depois de costurados os dois lados você terá algo assim, um zíper no meio e dois tecidos presos de cada lado. Repare que as duas costuras ficaram voltadas para o lado de dentro, entre tecido externo e forro.

IMG_8099

Faça um pesponto por cima do tecido na parte externa, bem rente ao zíper (deixe mais ou menos 0,3 cm de distância). Eu alfinetei para manter tudo no lugar na hora do pesponto mas se preferir, passe a ferro para vincar bem. Faça pespontos dos dois lados do zíper.

IMG_8104

Agora abra a bolsinha, juntando as duas partes do forro e as duas partes do tecido externo, tecidos iguais e lado direito com direito. Alinhe muito bem as bordas e alfinete por todas as laterais.

Lembre-se de deixar uma abertura de 8 cm na base do tecido de fundo pois é por ele que a bolsinha será virada.

pendurador

Caso queira colocar uma alcinha na lateral, agora é a hora! Um detalhes opcional que dá uma ‘bossa’ a mais.

Usei uma tira de, mais ou menos 8 cm, dobre e posicione virada para dentro dos dois retângulos de tecido externo. Alfinete para ficar no lugar.

bolsinha9circulo

Usando a sapatilha de uso geral, costure em toda a borda, deixando 0,7 cm da margem. Comece e termine a costura pelo forro e deixando uma fenda aberta sem costura de 8 cm para virar a bolsinha. Na hora de costurar por cima do zíper vá bem devagar, se necessário gire a agulha da máquina manualmente nas partes mais grossas.

Com a tesoura apare todas as sobras. Apare sobras de tecido do ziper, da alcinha de tecido e dos quatro cantos forro e parte externa. Isso vai garantir que a sua bolsinha pronta não fique com volumes nas pontas.

Opcional legal: Depois da costura eu  gosto de passar um ponto tipo ziguezague em todas as  bordas para garantir que o tecido não vai desfie.

bolsinha10

Chegou a hora da virada! Pela abertura que você deixou no forro, vire a bolsinha para o lado direito.

bolsinha11

Alfinete a abertura que ficou no forro e costure por cima a máquina, deixando 03 cm da borda e assim fechando a sua bolsinha.

bolsinha13

Sua bolsinha pronta deve ficar assim. Bonita por dentro e linda por fora :).

bolsinha12

Agora que você já sabe os fundamentos, invente acabamentos e capriche nos detalhes. Puxadores de cordão são úteis e ficam fofos nos zíperes. Usei um pedacinho de sutache grosso com nozinho na ponta, ó.

bolsinha14

Esta é a minha bolinha finalizada! A alcinha e a puxadores dão fofura extra a um projeto que é bem simples.

A primeira bolsinha é sempre a mais demorada. Faça mais uma, depois outra. Depois de três você já estará craque na costura bolseira.

Outras dicas:

1. Atenção na hora de cortar o tecido. Um tecido cortado bem retinho e com precisão facilita (e muito) a costurice.

2. Alfinete, alfinete, alfinete. Nada pior que tecido se mexendo na hora da costura. Use alfinetes de cabeça pequena ou chata. Evite os alfinetes de bolinha na ponta, muito volumosos para costura a máquina.

3. Você pode aplicar uma camada de entretela colante no tecido externo para ficar com uma bolsinha mais estruturada.

4. Use uma camada de manta fina junto com o tecido externo e faça um martelassê para uma bolsa mais fofinha. Não recomendo para iniciantes pois o sanduíche grosso é mais difícil de costurar.

5. Eu usei uma tira pronta para a lateral mas fica muito legal se você fizer uma tira com o próprio tecido. Basta fazer com barra dupla e pespontar por cima.

bolsinha15

Eu não disse que bolsinhas de tecido se multiplicam rapidamente?

Se fizer a sua me conta como foi, ou melhor, me mostra como ficou e cerejas você colocou no seu bolo, ops bolsinha :).

02 jul 14
outros bla bla blas
Mania de mexer nas coisas
por Claudia

Desconstruindo as compras

Ok, vou admitir que tenho mania de mexer nas coisas. Não estou falando de pessoas que mexem nas obras dos museus (bem, isso eu também faço) ou que vêem com as mãos (é, me define). Mas de gente como eu que tem aquela coceira para modificar os originais, mexer no sentido de mudar.

Essa foto é de um lenço/echarpe que comprei há dois dias. Adorei a estampa, pirei com as florzinhas e com as cores fluorescentes. Mas tinha um porém, não gostei dos enfeites que costuraram nas bordas, esses grelôs coloridos – se fosse tudo em uma cor só, tudo laranja, ok, mas esse ‘degradê’ de vermelho para laranja para azul marinho não ornou!

Mas isso não era um problema, era uma solução. Já bati o olho nele pensando em um jeito de ‘consertar’. Simples, só descosturar. Peguei o lenço para ver melhor como estavam as costuras, se daria para mexer nisso sem ter de refazer o acabamento.

Deu certinho, desconstruí o negócio todo em uma noite, sentada no sofá com a ajuda do descosturador. Estão aí todos separados: o lenço, do grelô, da etiqueta (sempre arranco!) e das linhas. E o resultado: agora sim um lenço perfeito!

Decidi escrever sobre esta mania porque não é a primeira vez e nem será a última. Até meus amigos reparam que eu tenho esse olhar da desconstrução. Lembrei de um colar que comprei e virou quatro. Levei pensando no potencial que o original teria ao ser desmontado. Ah sim: e ainda tem os botões que sempre troco, as roupas e sapatos que tinjo, a barra que faço para ajustar o tamanho da calça…

E os exemplos continuam. O engraçado é que ao escrever sobre isso percebo que já é quase um traço de comportamento. Faço isso até em restaurantes. Me vejo conversando com garçons coisas do tipo: “dá para tirar o pepino e colocar croutons no lugar?” ou “olha, posso pedir o este peixe aqui, mas com os acompanhamentos daquele outro?” . Tem uns que riem, outros dizem que vão tentar, mas se não pode, tudo bem, eu entendo. Só descobri que isso era uma particularidade minha quando morei em Londres. Meu amigo fez cara feia ao presenciar uma dessas negociações e disse que não acreditava no que eu estava fazendo. Ele disse brincando que eu corria o risco de ser expulsa e levar uma bronca – menus são como são e não devem ser mudados.

Enfim… Com as roupas e acessórios eu continuo assim, pensando em ajustar aqui, mexer um pouco ali, tirar o bolso, fazer uma pence, colocar uns brilhos e costurar uns apliques, haha.

Só ainda não entendi se isso é criatividade em excesso ou chatice minha!

01 jul 14
outros bla bla blas
Estamparia carimbeira pintando no pedaço
por Andrea

convite_oficina_estamparia2escuro

Curtimos tanto a tarde de estamparia que demos no Ógente que resolvemos repetir a dose! Desta vez levaremos uma versão 2.o da oficina super carimbeira para o Ateliers, o mesmo local querido onde fizemos nosso último encontrinho de tricô.

Todos os materiais inclusos, basta levar um avental, para não correr o risco de carimbar a roupa.

Para saber mais informações e valores escreva para super_ziper@yahoo.com.br.

Vem que vai ser demais!

 

Página 18 de 279Primeira...1617181920...Última