10 dez 14
inspiração
Crafts de outros tempos
por Claudia

Crafts de outros tempos

Do mesmo jeito que quando a gente viaja, está aprendendo por imersão uma nova cultura do local, eu sinto que folhear e ler livros e revistas antigos é ser transportada para uma outra época, fazer uma viagem no tempo!

Sempre que vejo um livro, revista e até manual de crafts de outros tempos, não resisto e começo a viajar. Fico pensando em quem eram aquelas pessoas. Não apenas olhar as fotos e reparar nas roupas, cabelo e maquiagem. Mas porque aqueles projetos e materiais eram o que as pessoas queriam aprender e fazer.

Separei quatro materiais e fotografei minhas páginas favoritas. Vamos vendê-los agora no bazar Ógente, neste fim de semana (infos aqui). Queria deixar registrado este passado na internet :)

Começando pelo mais antigo!

Crafts de outros tempos

Este é o “Álbum de Crochet da Casa Midões”, de Lisboa, Portugal. Acredito que seja do final dos anos 50. É uma raridade e felizmente está bem conservada, com pouquíssimos amassados e as páginas todas inteiras! Com mais de 100 motivos para inspirar, este era o Pinterest em preto e branco daquela época. Golas, barras para toalhas, centros de mesa, rendas, toalhas. Mas tudo para quem tinha muito tempo e paciência, para crocheteiras avançadas.

Adorei a gola de cerejinha (daria pra usar hoje numa boa!) e as bordas de toalhinhas super delicadas e trabalhadas.

No final, algumas receitas detalhadas:

Crafts de outros tempos

Apenas uns 8 ou 10 projetos ganhavam o luxo de ser traduzidos em receitas e explicações. Pelos pontos já dá para notar a quem a publicação se destinava. Nada de iniciantes, afinal as meninas aprendiam crochê na escola, né? Quando viravam adultas, era este tipo de toalhinha que elas iriam fazer…

Próximo: um livro japonês dos anos 70, já com impressão colorida, tanto na capa como nas páginas internas – um luxo!

Crafts de outros tempos

Este era feito para as sortudas que tinham uma máquina de tricô Memo-Matic da Singer. Ele vinha com cartões perfurados de padrões para repetir em casa. São páginas e mais páginas de desenhos e ideias para criar peças em tricô. No final, ainda tem gráficos no estilo ponto-cruz, de inspiração para criar estampas próprias. Reflexo de uma época em que as pessoas faziam as próprias roupas, mas agora já com a ajuda da tecnologia, que acelerava processos manuais.

Crafts de outros tempos

Sente só a riqueza dos detalhes! Combinações de cores e desenhos. A cada folha, doze referências. E o livro tem mais de 300 páginas. Calcule quantas ideias… Mesmo sem ter uma Memo-Matic, este livro é perfeito para quem precisa de referências e inspiração, muito legal, um achado! Nunca tinha visto nada parecido.

Agora um em português! O Guia de Crochê da Editora Abril, do comecinho dos anos 80:

Crafts de outros tempos

Pequeno e compacto, mostra um novo tempo, onde o crochê já era uma arte específica, que nem todas as meninas dominavam. Editoras precisavam retomar os ensinamentos. A capa já mostra a chegada do conceito “faça-você-mesmo”. É um outro apelo, não?

Este sim ensina o crochê desde o começo, é educativo. O material original pertencia a um guia italiano de 1978 e foi traduzido e editado em português em 1981. Com ele, aprendia-se os pontos básicos, aumentos, diminuições, acabamentos. E depois avançava para pontos diferentes (como esse de cobertorzinho da foto) e, claro, projetos para aplicar o conhecimento. Roupas, acessórios, centros de mesa, toaljas, colchas e objetos. Adorei o pegador em forma de tomate – uma das recomendações de trabalhos fáceis e ideias práticas.

Em detalhe, duas sacolas de compras que deixam qualquer ecobag no chinelo :)

Crafts de outros tempos

Por último, os fascículos vendidos em banca “Lãs e Linhas”, selecionados pela Agulhas de Ouro, da Editora Abril.

Crafts de outros tempos

Estes já estão mais próximos do que temos hoje em dia. Bem, mas os tipos de fios usados, as cores, as roupas, os cabelos e as maquiagens denunciam a época, hehe.

A folha da revista, dobrada ao meio, virava uma maxificha – com foto de inspiração na frente e detalhes da receita no verso.

Crafts de outros tempos

Aqui, as instruções são bem mais detalhadas, constam medidas em centímetros de todas as partes. É um novo estilo e uma nova linguagem.

O legal é que com o lote de 32 números que conseguimos, vieram algumas partes da revista, com mais projetos. Vejam que interessante o texto, reflete bem isso…

Crafts de outros tempos

Reproduzo aqui: “Artisticamente tricotadas, as aplicações e a toalha de mesa trazem um sopro de nostalgia. Lembram os tempos da vovó, quando os trabalhos eram feitos pacientemente com linhas e agulhas muito finas”.

Isso me lembra o filme “Meia-noite em Paris”, do Woody Allen, só que ao contrário. Em cada volta ao passado, os personagens já achavam que estavam vivendo no máximo da loucura e da velocidade. Nesta revista, nos anos 80, estes projetos já eram velhos temas da vovó…

E para mostrar que a moda vai e volta, deixo para acabar, uma página com um tapete cheio de grafismos inspirado na arte mexicana, lindo!

Crafts de outros tempos

04 dez 14
costuranhac
Ecobag de tule para frutas e legumes
por Claudia

Ecobag de tule

Vi esta ideia em um mercadinho quando estava viajando nos Estados Unidos. A senhora da minha frente na fila do caixa levava seus legumes e frutas para pesar em saquinhos de tule. Que genial! Pedi para tirar foto para me lembrar e depois fazer em casa. Chamei este saquinho de ecobag 2.0! É mais uma maneira de evitar saquinhos plásticos, principalmente aqueles que a gente usa para separar as compras que serão pesadas.

Para fazer, você vai precisar de:

– meio metro de tule
– tesoura
– barbante
– alfinete de segurança para passar o fio

Este tule eu comprei na Rua da Graça, no Bom Retiro, mas você acha em armarinhos e lojas de tecidos.

Ecobag de tule

Modo de fazer:

Eu usei um saquinho de feira como referência de tamanho. Coloquei ele por cima do tule para tirar a medida. Depois, usei uma canetinha para marcar as linhas da costura. Tentei com giz, mas no tule não pega – tem que ser algo mais poroso e com tinta mesmo.

Ecobag de tule

Na máquina de costura, primeiro passe uma costura no que será o passante. Fiz uma dobra de 1,5 cm na horizontal do tule. Usei um ponto mais justo, porque o tule já é furadinho.

Depois, dobre o tecido ao meio e faça uma costura em L para fechar a parte inferior e a lateral do saquinho.

Finalização:
– Amarre o barbante em um alfinete de segurança e passe pela canaleta. Você precisará dar um picote para abrir um buraco. Eu fiz isso na lateral onde todas as costuras se encontram
– Faça o arremate nas bordas e nas linhas e vire o saquinho ao contrário

Ecobag de tule

Com meio metro de tule dá para fazer vários saquinhos. Faça no tamanho das suas compras e da sua família. Eu vou quase que diariamente no sacolão e consigo comprar aos poucos, então foquei nos tamanhos P e M. Mas com uma sobra de tule, fiz um saquinho PP só pra brincar :)

Ecobag de tule

Olha que bonito na prática!

Ecobag de tule

Dá até gosto, né? Depois queremos saber quem adotou… E boas compras!

Ecobag de tule

20 nov 14
casa craftreciclagem
Ímãs de geladeira com tampinhas
por Claudia

Ímãs de geladeira

Eu sou daquelas que gostos dos pequenos detalhes. Alguém vai tomar refrigerante ou cerveja e eu fico prestando atenção no rótulo e nas tampinhas. Ainda mais agora, com essa explosão de cervejas artesanais e em pequena escala! Até para se diferenciar, as micro cervejarias investem em ilustrações e uma linguagem visual mais moderninhas e atuais.

Tudo isso pra dizer que na minha última viagem, um grupo de amigos resolveu experimentar várias cervejas (eu não curto) e eu fiquei colecionando as tampinhas. Trouxe pra casa de “souvenir” e fiquei pensando o que poderia fazer com elas.

Resolvi improvisar e fazer ímãs de geladeira com os materiais que tinha aqui em casa. Querem ver como resolvi?

Separei as coisas antes de começar:
– tampinhas
– EVA grosso
– ímãs
– tesoura
– cola

Ímãs de geladeira

Usei o EVA como “recheio” para a tampinha. Para isso, marquei com caneta o diâmetro e cortei com a tesoura no tamanho certo.

Ímãs de geladeira

Fiz essa base para colar o ímã, que era muito pequeno. Eu tinha duas opções: colar o ímã por fora ou por dentro.

Ímãs de geladeira

Particularmente, acho mais legal deixar o ímã embutido. Neste caso, precisa cortar o EVA para encaixar o ímã no espaço.

Uma dica? Dobrar o EVA e dar picotes com a tesoura no lugar marcado, é bem mais fácil!

Apesar de o EVA ter ficado bem justo e encaixado dentro da tampinha, achei mais seguro colar pra garantir que depois de um tempo não vai se soltar ou cair.

Ímãs de geladeira

E voilá… Simples assim. Fiz vários e já coloquei na geladeira!

Ímãs de geladeira

Depois é só usar para prender listas de compras, fotos, recados, etc.

Ímãs de geladeira

E já que estamos falando de ímãs de geladeira, deixo um bônus neste post. A ideia vi na casa da Renata Ueda, da Tupã Brasil, que inventou esse método simples e genial de deixar a caneta na geladeira. É pra nunca mais perder!

Ímãs de geladeira

Execução express: você só precisa colocar um ímã desses de bolinha dentro do tubo da caneta. Tire a ponta de plástico da parte de cima e coloque a bolinha perto da carga. Se o ímã for daqueles poderosos (tem que ser!), vai aguentar o peso e sua caneta ficará suspensa!

10 nov 14
blogueira convidadacostura
Top sites de moldes de roupas
por Andrea

Top sites de moldes de roupas
© Foto: Vivi Basile | Blusa costurada por Vivi Basile

Como você já deve ter notado, ultimamente estamos muito empolgadas com a ideia de costurar nossas próprias roupas em casa, vestindo literalmente por aí a nossa filosofia DIY! Por isso convidei Vivi Basile e a Katia Linden, amigas crafters que compartilham  desta mesma empolgação ‘costurística’, para falar como começaram e como tomaram as rédeas do seu próprio guarda-roupa. Pedi a elas o mapa da mina dos moldes online, os sites que elas sempre usam e que têm os modelitos mais bacanas e didáticos para quem está começando. Elas aproveitaram para contar as dicas sobre o que encontrar em cada site, quais moldes já baixaram e amaram!

Não tem mais desculpa para não tentar um vestidinho feito por você. Vem ver as super dicas da Vivi e da Kátia!

Blusa Belcara
© Foto: Vivi Basile | Vivi veste blusa Belcara costurada por ela

Costurando com Vivi Basile, do Ateliê Basile

Roupa feita em casa é algo que faz parte da minha vida desde que nasci. Quando era criança, meus vestidos eram costurados pelas minhas tias Armezina e Mariana, lá do interior de Minas. Eram vestidos simples, mas feitos com muito amor.

Quando me tornei adolescente, foi a vez da minha mãe Maria Antonia me vestir. Fui a muitas festas de 15 anos e bailes de formatura com roupas feitas por ela. Olhávamos juntas os moldes da revista Manequim e saíamos para comprar os tecidos. Ela sentia uma alegria imensa ao costurar corpetes estruturados por barbatanas, saias volumosas de veludo, vestidos de tafetá. Sentimos muita saudade dessa época. Serão lembranças que vão nos acompanhar pra sempre!

Assim, a costura surgiu na minha vida com muita naturalidade. Não pretendo deixar de comprar no shopping. E não enfrento dificuldades para achar o que eu gosto e me cai bem nas lojas. Mas, me sinto muito especial quando uso algo planejado e costurado por mim.

Estes são os meus sites favoritos para comprar moldes de roupas:

 Sew Over it 
Sou apaixonada pelo estilo retrô da inglesa Lisa Comfort. Tenho vontade de ter o armário dela todinho pra mim! Na loja virtual tem moldes em PDF e impressos. Eu comprei os impressos. Foram meses até chegar, mas valeu a pena esperar tanto! A qualidade do livreto de explicações é encantadora. Fiz a ultimate trouser e amei! Calça perfeita para trabalhar! Recomendo!

 Colette Patterns
Moldes lindos. Tenho vários, mas ainda não costurei nenhum! Na foto dá para observar que cada um tem um nome. Aliás, essa é uma dica: os moldes gringos são sempre “batizados”. Isso facilita bastante. É só fazer uma busca na internet para ver as centenas de versões. Um mesmo molde pode ter mil caras diferentes!

Aime Comme Marie
Curto muito o estilo da francesa Aime Comme Marie. Adoro os looks do dia que ela posta no instagram. Todos costurados por ela, claro! Ela tem um ateliê, onde vende as peças prontas, por encomenda e os moldes. Comprei a versão impressa do top/vestido Mistral. Em 2 semanas o molde já estava na minha casa. Fiz e amei! Pretendo comprar outros!

Sew Kate Sew
Projetos legais para iniciantes. Fiz o Penelope Peplum, em malha, e deu certinho. Tem moldes plus size. Ah! E algo muito legal para mamães: praticamente todos os modelos tem a versão mini. Para sair vestida igual a filhinha. Sensacional!

Republique du Chiffon
Mais uma francesa que me deixa tonta com tantas lindezas! Uh lala! Tem PDF e impressos. Um mais lindo do que o outro. Quero muito fazer um vestido chamado Viviane. Adivinhem por que?!

Sewaholic
A canadense Tasia faz moldes para quem “pear-shaped woman”. Sim, corpo em formato pera. Alguém se identifica?! Acho que metade das brasileiras vão responder: eeeeeu! Comprei a Belcarra Blouse em PDF (foto acima), costurei e amei o resultado. Já baixei o Renfrew Top (para malha), mas ainda não testei.

O Parisian Top, na foto que abre este post, é uma das minhas blusas favoritas! É de malha, bem molinha, super confortável, mas arrumadinha! A gola em algodão dá um toque retrô, moça comportada, que eu adoro! O acabamento da gola é meio chatinho e exige paciência, mas o grand finale compensa! Fiz duas e pretendo fazer outras.

Katia e sua blusa
© Foto: Katia Linden | Katia e sua blusa!

Costurando com Katia Linden, do Costura, Kátia Costura

Comecei a costurar em 2011. Naquela época, comecei a fazer bolsas, estojos e nécessaires e coisas para minha casa, para aprender as técnicas básicas. Quando ia comprar tecidos, sempre tinha algum que fazia meu coração bater mais forte e na minha cabeça já imaginava um vestido ( minha peça favorita) prontinho com ele.

Comecei a costurar roupas pelas peças mais simples, aquelas que nem precisam de molde pronto para fazer. Fazia alguns cálculos para desenhar uma saia godê ou uma saia franzida. Estas primeiras peças foram suficientes para que eu quisesse fazer outras mais, com aquele tecido escolhido a dedo e com as minhas medidas  – a melhor parte de fazer a própria roupa!

E foi assim que do ano passado pra cá, priorizei costurar minhas próprias roupas, compro pouquíssimas peças prontas. Tem sido muito desafiador e também muito gratificante. É maravilhoso poder sair por aí desfilando uma peça de roupa que você mesma fez. Espero que tenha gostado do meu post sobre a escolha de malhas para costurar suas próprias roupas

Parte dos moldes que eu uso, compro por sites da internet especializados. Os mais legais que eu conheço são de fora do Brasil, então foi preciso praticar um tanto o “costurês” em inglês.

Estes são os meus sites favoritos para garimpar moldes de roupas:

 

Colette Patterns  

É o meu site favorito para comprar moldes, onde sempre encontro modelos lindos, bem femininos e clássicos, sem serem caretas. Os modelos em malha são mais moderninhos, agradam a todos os gostos. Os moldes podem ser comprados em formato digital (você baixa um PDF para imprimir em casa e depois junta as folhas para formar o molde) ou em papel, que é enviado pelo correio.  Confesso que sou muito ansiosa e sempre compro no formato digital, que também é um pouquinho mais barato.

Um molde neste site custa de US$ 14 a US$ 18. Dá para comprar com cartão de crédito internacional ou por paypal. Eu acho que vale a pena, pois além de serem modelos muito bonitos, acompanham explicações bem detalhadas e ilustradas de como montar a peça. Eles fazem um “sewalong”, um tutorial através do site, ensinando as etapas detalhadamente, com muitas dicas e fotos.

Alguns deles acompanham “livretos” extra para fazer embelezamentos diferentes nas peças e deixa-las ainda mais exclusivas. Teve um vestido em que eu fiz uma das versões do molde, mas adicionei um detalhe na frente que eu vi neste e-book. O conteúdo acaba servindo também para outras peças que você costurar no futuro. Conhecimento a mais sempre é bom!

Quanto aos tamanhos, os moldes Colette tem uma boa variedade e, nos moldes mais recentes, tem mais opções de tamanho (do O ao 26 por exemplo). Eu, que não sou magra, costumo fazer as peças entre o tamanho 14 e 16 ou XL.

Através dos moldes da Colette Patterns eu já fiz estas peças:

Para quem quiser conhecer como funcionam estes moldes e produzir uma peça simples, o site disponibiliza dois modelos gratuitos: a regata Sorbetto (eu já fiz e ficou ótima) e um shortinho Madeleine para dormir.

Tenho ainda dois moldes Colette “na fila” para fazer: o vestido Monetta (em malha) e o vestido Dahlia, recém-lançado.

 

– Tilly and the Buttons

Site Inglês, que descobri recentemente.  Comprei o molde do vestido/blusa Coco e adorei! Fiz primeiro a blusa com golinha alta e manga ¾, depois fiz um vestido com gola canoa e manga curta. Isso é muito bacana! Você compra um molde e ele vem com pelo menos uma uma variação para escolher, pode ser de comprimento ou de algum acabamento. Dá inclusive para combinar partes e criar um novo modelo!

Assim como nos moldes da Colette, os moldes da Tilly também podem ser comprados para baixar (foi o que eu fiz) ou para receber pelo correio. Também vem com um tanto de informações, um pouco menos detalhadas exatamente porque tem o tutorial com fotos no blog.

No molde Coco também não fiquei no último tamanho. Antes de comprar o molde é bom consultar a tabela de medidas, então é bom já ter tirado suas medidas com fita métrica para comparar com a tabela fornecida, já que cada site tem sua própria numeração.

A única coisa que gostei no Coco foi o acabamento em ziguezague. Acabei substituindo pelo acabamento com a agulha dupla, que a Andrea mostrou em detalhes aqui.

Para os moldes americanos tem um passo a mais, de converter as jardas e as polegadas em metros e centímetros, mas isso é rápido e pode ser resolvido facilmente com calculadoras da internet.

 

Tenho alguns outros moldes que estão “na fila” para serem produzidos. Comprei após receber ótimas recomendações:

– Sewaholic

Site do Canadá. Comprei o molde do vestido Lonsdale, este veio pelo correio, pois ainda não possuía a versão digital (ele e outros moldes já tem as duas opções de compra).

– Liesl+Co

Esta americana é bastante conhecida pelos seus moldes infantis (Oliver+S), faz um tempo que também possui moldes para vestuário adulto. Comprei o molde do Girl Friday Culottes (que eu entendo como sendo uma saia-calça, achei legal demais), em versão digital.

Em todos sites há informação de quanto tecido é necessário e quais são os mais indicados para fazer a peça.

Que tal fazer uma peça de roupa super exclusiva? Acho que você vai gostar!

Blusa e cupcake
© Foto: Ruby Fernandes | Vivi comemorando a blusa nova ;-)

Obrigada costureiras Vivi Basile e Katia Linden que colaboraram com as dicas e fotos para este post.

Página 18 de 290Primeira...1617181920...Última