19 maio 14
costura
DIY: Quilt super fácil
por Andrea

baby_quilt2

Comecei a prestar mais atenção nos quilts há pouco tempo, visitando feiras de patchwork e fazendo uma oficina rápida com a Fá, da Farfalla Gialla, do Modern Quilt Guild. Mas o que são quilts? De onde eles vêm? Como se reproduzem? Quilts são estes trabalhos feitos com retalhos de tecidos coloridos. Podem virar desde cobertores e mantas até painéis decorativos. Munida de informações básicas e empolagação de iniciante me joguei e resolvi fazer um! Separei tecidos e fiz um, dois, três quilts para presentear bebês em poucos meses. Um baby quilt feito com carinho pode ser um ótimo presente para recém nascidos. Foge das mesmice dos presentes comprados no shopping e você pode fazer com as cores e estampas que quiser.

IMG_7909

Os quilt podem ser extremamente complexos ou simples, a gosto do freguês. Resolvi mostrar aqui como fazer um baby quilt de design bem básico, simples de tudo, para quem nunca fez nada parecido se animar e tentar. Nada de blocos geométricos complicados, apenas combinações quadradinhos de tecido de cores bacanas. Um quilt for newbies. E nem será necessário usar máquina de costura top ou pé especial, tudo é feito na máquina de costura simples, com ponto reto.

Não tem segredo, apenas recomendo uma boa dose de atenção e paciência. Um ótimo projeto para exercitar fundamentos básicos da costura.

Então, vamos fazer um baby quilt? You can do it!

quilt 1

Materiais

Tecidos
A primeira parte é escolha os tecidos! Para um design como este, de ‘escadinha’, você vai precisar 0,5 m de de tricoline de algodão em 9 estampas diferentes, 1, 5 m de manta de algodão (peça por R1 da Ambar) para o recheio e 1, 5 m de flanela de algodão para o verso. É legal investir em bons tecidos pois trata-se de uma peça que será bem usada e lavada várias e várias vezes. Recomendo lavar pelo menos a a flanela antes de usar para evitar encolhimento.

Outros
Além de tecidos você vai precisar de: máquina de costura, um monte de alfinetes de costura e de segurança, ferro de passar, régua, base para corte e cortador circular (ou tesoura).

quilt2

Composição
O design é uma parte fundamental do quilt. Não que haja regras mas existem algumas diquinhas que fazem o trabalho ficar mais harmônico. Por exemplo, escolha uma paleta de cores na hora de escolher os tecidos. Pode ser baseada em tons frios ou quentes.

No meu caso queria um quilt  onde as estampas fazem este efeito de ‘escada’. Também queria um quilt bem claro, com azuis, verdes, amarelos e laranjas abertos. Apenas tons cítricos, clarinhos e alegres. Nada de tons escuros ou terrosos. Também usei bastante branco para dar leveza a composição. O uso do branco e áreas em cores sólidas é característico dos quilts modernos. Mais sobre o design e o movimento dos quilts modernos aqui. Outra dica é misturar estampas gráficas com geométricos como os poás, de tamanhos variados. Experimente com combinações que agradam o seu olhar!

quilt3

Corte
Hora de cortar os quadradinhos. No meu caso cortei 90 quadradinhos de tamanho 13,0 X 13,0 cm, sendo 10 de cada estampa. Acho bem mais fácil de cortar com base de corte, régua e cortador circular. Se não tiver cortador, é claro que pode cortar com tesoura mesmo.  O resultado com esta quantidade de quadrados é um baby quilt com tamanho final de 1,20 X 1,10 m, aproximadamente, um tamanho ideal para recém nascidos.

quilt10

quilt4

Montagem
Chegou a hora da montagem do topo do seu quilt. Facilite a sua vida ordenando os quadradinhos numa bancada ou no chão mesmo. Vá colocando na seqüência, fileira por fileira. Eu fiz este design de escadinhas, alternando a seqüência de estampas. Por se tratar de um quilt minimalista poderia funcionar bem e dar uma graça a mais.

Para facilitar  o meu trabalho eu empilhei na ordem e numerei as fileiras. Assim você não corre o risco de errar na ordem de emendar quadradinhos. Tire uma foto da seqüência de quadrados com o celular se precisar conferir depois #ficadica.

quil6

Costura
Chegou a hora de juntas os quadradinhos em tiras horizontais. Seguindo a ordem dos tecidos nas fileiras, costure pela lateral deixando uma margem de 3 mm.

Eu sempre uso alfinetes para segurar tudo no lugar mas se você tiver prática pode costurar direto e viver perigosamente. Nos quilts a gente não precisa fazer retrocesso no começo e no final da costura.

quil 7 e 8

Depois de costurados todos os quadrados na fileira ela deve ficar assim, verso e frente. Aproveite para aparar os restos de linha das costuras agora.

quilt9

Costuradas todas as tiras de fileiras, abra as costuras do verso com o ferro de passar. Sim, é super necessário fazer esta parte caso contrário as suas costuras não vão encaixar. Separe as 10 tiras de fileiras horizontais.

quilt12

Agora é hora de juntas as tiras horizontais umas nas outras, deixando novamente uma margem de 3 mm da borda. Alfinetar é o segredo para deixar tudo no lugar. Alfinete pelo verso, bem no meio das junções, conforme a foto e coloque mais alguns alfinetes no meio para segurar as tiras de duas em duas. Dá um trabalho alfinetar? Sim, mas faz parte! Pelo menos deixa tudo certinho no lugar na hora de você passar a costura a máquina. Comece juntando de duas em duas tiras, até completar a metade superior e a metade inferio do topo. Ao final junte os dois pedaços que sobraram pelo centro. Seu topo está pronto!

quilt13

Com o ferro de passar abra todas as costuras, passando pelo lado avesso.

quilt15

Montagem do sanduíche

Agora uma etapa muito importante! No chão ou em uma bancada estique os tecidos  faça um sanduíche de tecidos nesta ordem: flanela, manta e topo.

Estique bem todos eles, para não ficar nenhuma dobra ou ruga. Prenda as três camadas juntas usando alfinetes de segurança grandes alternando os quadrados.  Isso evitará que os tecidos ‘andem’ quando forem manipulados.

quilt16

 Acabamento 
Apare as laterais deixando uma margem e manta e flanela de 0,5  cm da borda do topo. Faça o acabamento lateral pregando uma tira de viés a máquina. Não fotografei o corte do tecido de viés a 45 graus mas se quiserem posso fazer um próximo post mostrando, ok?

quilt 17 e 18

Ao final, para segurar todas as camadas no lugar, vamos dar nozinhos. Por que escolhi esta técnica para o primeiro quilt? Porque o matelassê a máquina nem sempre é fácil para iniciantes. Existe o risco da máquina não aguentar a grossura do quilt, a costura não ‘bater’, o tecido enrugar… Mil coisas! Então para o primeiro quilt sair lindo e sem stress a minha dica é arrematar dando pequenos nós com fio de algodão de boa qualidade e de cor contrastante (usei um fio para bordado satchiko mas qualquer fio de algodão grosso serviria).
Passe o fio com ajuda de uma agulha no canto dos quadrados e dê um nozinho duplo. Isso vai fazer com que as três camadas de tecido não fiquem saindo do lugar. Esta técnica dos nozinhos era muito usado nos quilts japoneses antigos, que eram feitos totalmente a mão!

IMG_7897

Alterne nozinhos nos cantos dos quadrados do quilt, conforme a foto, um sim e um não. Corte o excesso do fio deixando aproximadamente 1,0 cm de sobra. Fazer o degradé de escadinha é apenas uma opção. Também dá para fazer usando com retalhos que tiver em casa e criar um design diferente, com quadrados diferentes, ao seu gosto.

IMG_7900

O resultado final é este. Um cobertor divertido com verso de flanela quentinha!

Espero que se anime a fazer. Não vou negar que é um projeto que requer uma certa paciência mas se pegar o embalo dos quadradinhos dá super para terminar o trabalho em um final de semana.

Quem se arrisca a fazer um primeiro quilt?

 

15 maio 14
outros bla bla blas
E o Bazar Ógente do Dia das Mães foi assim
por Andrea

IMG_7817

Na última sexta e sábado participamos de mais uma edição do super querido Bazar Ógente! Que privilégio poder passar dois dias rodeadas de gente talentosa e trabalhos lindos, de encher os olhos. Montamos nosso armarinho vintage itinerante, cheio de achados antigos, daqueles tempos que não voltam mais. Vem ver como foi!

IMG_7821

Deste vez a nossa seleção estava bem caprichada, com garimpos brasileiros e até gringos. Não faltaram botões coloridos, passamanarias e até tecidinhos vintage que esgotaram rapidíssimo. Não sobrou quase nada para contar história…

IMG_7828

Obrigada a todas as leitoras amigas que passaram por nossa mesa nestes dois dias! Ficamos muito felizes com as visitas e esperamos que os garimpos estejam rendendo bons crafts.

IMG_7813

IMG_7824

IMG_7849

Nossa mini máquina Regina marcou presença!

IMG_7877

Foram dois dias super agitados, no ótimo sentido! Conseguimos registrar algumas fotos entre uma sardinha e outra da nossa mesa.

IMG_7825

Aventais das nossas vizinhas queridas da Flo di Pá!

IMG_7832

Manufatura de tapetes da Lu Cotinha, direto de São Loureço- MG.

IMG_7863

Bolsas e bolsinhas da dupla  Tofu Studio.

IMG_7865

Muitas fofuras em tecido da Ana Sinhana.

IMG_7879

Sempre tem gente nova estreando e surpreendendo no bazar. Na mesa da Baths achamos esta referência ao Superziper para dar o mote da linha de produtos para banho Craft. Claro que adoramos a homenagem!

IMG_7866

Cores e amores da A Sacoleira.

IMG_7852

Cumbuca Chic, outra nova marca que conhecemos há pouco tempo e viramos fãs.

IMG_7867

Lancheiras térmicas da Tupã, outra vizinha de mesa que sempre nos ajuda a seguras as pontas!

IMG_7876

Bolsas com perfume de outrora da Modos de Mocinha.

IMG_7874

Sapatinhos para os pequenos, do Ateliê da Nanda.

IMG_7829

Mimos infantis da Jojo, para muitas aventuras.

IMG_7838

Coisinhas miúdas e irresistíveis da A Craft.

IMG_7839

Sempre tem uma pausa para café com bolito dos nossos amigos do Cupcake Ito.

IMG_7841

E teve também a estréia da revista Make, da nossa parceira Rita Paiva.  E muito muito mais que na correria não conseguimos registrar. Mas fica esta amostra para dar um gostinho do que foram estes dois dias delícia.

Também fizemos pela primeira vez uma oficina de estamparia DIY que foi incrível. Em breve mostraremos as fotos por aqui!

E assim foi mais uma edição do Bazar mais craft da cidade… Já na espera do próximo.

Mais fotos do Bazar Ógente lá no nosso Flickr.

05 maio 14
outros bla bla blas
Superziper no Bazar Ógente de Dia das Mães
por Andrea

carreteis

Anota na agenda para não perder! Nesta sexta e sábado temos um encontro marcado no Bazar Ógente de Dia das Mães. Estaremos participando desta edição levando mais garimpos exclusivos do nosso Armarinho Vintage. Vem dar uma olhada nos nossos achados e novidades:

botoes
Botões coloridos, direto dos anos 60, 70 e 80.

tecidos
Kit de retalhos  de tecido floral americano. Poucas unidades!

sianinhas
Sianinhas de algodão em cores delícia e diversas espessuras.

botaoamericano
Cartelas de botões com perfume do passado ( patchouli?). Estão incompletas, mas nos apaixonamos pelas embalagens.

fita_casa

fita
Seleção de fitas em courino e tecido, algumas em viés outras normais.

Tudo isso e muito mais. Selecionado a dedo por nós e a venda por precinhos  bem legais. Ah, vale a pena dizer que temos poucas peças de cada produto então chegue cedo para conseguir escolher melhor. Teremos também ítens de saldão de armarinho com itens de R$ 1,00 a R$ 3,00, para se esbaldar.

Esperamos a sua visita para um papo e bons garimpos :)

Bazar Ógente 9 – Edição de Dia das Mães 2014
Quando: Dia 09 e 10 de Maio, das 10h30h às 18h30
Onde: Templo Busshinji – Rua São Joaquim, 285 – Liberdade – São Paulo, SP
(A duas quadras do metrô São Joaquim)

Entrada franca.

Mais infos: www.ogente.com.br

30 abr 14
blogueira convidadacasa craftoutras técnicas
DIY: Cachepô de papietagem
por Andrea

capa_post

Projeto e fotos por Alice Mantellato, blogueira convidada

Olá, meu nome é Alice Mantellatto, tenho 27 anos, sou artista plástica e arte educadora. Gosto de muitas coisas, mas as preferidas são abraçar minha gata Amélie e essa época do ano, quando o outono chega e tudo parece mais leve. Preparo um chá bem quentinho e aproveito a vida, sendo feliz com a simplicidade.

Divido meu tempo entre o trabalho com papel machê e aulas de Artes para crianças do 2º ao 5º ano, além dos afazeres domésticos, lazer e estudos. É um desafio a cada dia, mas quando vejo os resultados aparecendo, mesmo que em passos de formiguinha, meu coração se acalma.

Desde que descobri o papel machê, nunca mais parei de criar. É uma técnica versátil, acessível e apaixonante. Parece mágica quando pedaços de papel misturados em cola se transformam em peças coloridas e delicadas.

Fiquei super feliz quando a Andrea me convidou para elaborar uma peça de papel machê que seria o complemento do presente para o Dia das Mães. Pensei em algo simples e que pudesse fazer parte do dia a dia da mãe, decorando o cantinho preferido dela. Juntei o papel machê com flores e o resultado foi esse cachepô de papietagem!

Ficou com vontade de fazer um pra sua mãe? Vamos lá que eu te ensino, é bem fácil!

2

Cachepô de papietagem

Você vai precisar de:
– Vaso de plástico
– Cola branca
– Papel manilha
– Jornal
– Pincel
– Tinta plástica (látex PVA) branca e colorida
– Guardanapo estampado
– Fita decorativa (opcional)
– Verniz acrílico
– Vaso com flor (para colocar dentro do cachepô)
– CMC (Carboximetilcelulose de sódio/ goma CMC), usada como espessante para modelagem de pasta americana.

Como fazer:

Primeiro, dilua a cola branca em um pouco de água. Pique o papel manilha em tiras de aproximadamente 5 cm. Com o pincel, passe a cola em cada tira e em seguida, cole uma por uma no vaso, incluindo a parte interna. Não deixe nenhum espaço sobrando entre as tiras.

papietagem

Depois que a primeira camada secar, cole a segunda camada,  dessa vez usando tiras de jornal. Por que usar dois tipos de papel? Quando intercalamos os tipos de papel na papietagem, conseguimos identificar as falhas com facilidade.

Quando você for colar a segunda camada de tiras de papel, utilize o CMC, que é facilmente encontrado em lojas de artigos para festas. Ele é um pozinho que misturado à água, vira uma espécie de cola em gel. Costumo usar o CMC para fazer a papietagem, pois além de render mais, não deixa as mãos “grudando”.

Por que usar dois tipos de cola? Na primeira camada, usamos a cola branca porque ela tem uma maior aderência ao plástico. Se usássemos o CMC, perderíamos o trabalho, pois depois de seco, o papel se descola facilmente do plástico do vaso.

cachepô em branco
Após aplicar duas camadas de papietagem, passe duas demãos de tinta branca no vaso.

Pinte a parte interna do vaso, com tinta da cor de sua preferência.

guardanapo

Em seguida, retire as duas “películas” de papel branco do guardanapo estampado, pique em pedaços médios e inicia a papietagem, que nesse caso, funcionará como uma decoupage.

cmc e decoupage

Utilize o CMC e um pincel. Cuidado para não colocar muita força no pincel, pois o guardanapo rasga com facilidade.
Pinte a parte de baixo do vaso com a cor de sua preferência.

Para proteger o cahepô, passe duas camadas de verniz acrílico por cima de tudo.

Se quiser dar um toque de fofura final, cole uma fita decorativa entre a decoupage e a pintura, para separar as duas área e dar acabamento.

3

4

O cachepô pronto ficou assim. Pode ser usado sozinho como porta ‘coisas’ ou como suporte para uma plantinha.

Espero que tenham gostado da sugestão do presente! Convido você a dar uma passadinha no meu blog e conhecer um pouco mais do meu trabalho. Vou ficar muito feliz com a sua visita!

Beijos,

Alice Mantellatto

Página 30 de 287Primeira...2829303132...Última