07 nov 13
outros bla bla blas
Os misteriosos furinhos nas camisetas
por Claudia

misterioso-furinho

Este post é um desabafo. Nunca achei um texto em português sobre o assunto, então resolvi escrever para ver até como ele ressoa por essas bandas. Em inglês, já li um ou dois, mas os comentários não foram suficientes – vai que as coisas por lá são diferentes. Vamos ver o que vocês dizem.

Acontece também com vocês de aparecerem uns furinhos estranhos (pra não dizer malditos) em blusinhas e camisetas, bem na área da barriga?

Comigo foram vários, mas este na minha pólo verde favorita foi a gota d’água pra dividir por aqui. Já venho notando há alguns anos o fenômeno. Na verdade, a primeira vez que aconteceu eu pensei que a blusa já estava velha. A segunda também. Daí que a coisa foi se repetindo e não tinha mais um padrão, Aconteceu com blusas novas, camisetas, regatas. Mas era sempre um furinho e, o principal, mais ou menos no mesmo lugar. Não eram perto da gola ou nas mangas ou nas costas. Sempre embaixo, perto da barra.

Comentei com minha mãe e achei que estava com traça no armário. Talvez pelo jeito que eu dobrava as camisetas, elas achavam este cantinho estratégico e iam lá devorar.

Mas não me convenceu muito. Porque sempre o mesmo lugar? Como? Elas tinham alguma variação genética que as fazia buscar o mesmo ponto?

A melhor explicação que encontrei nos comentários deste blog (que bombaram por sinal, ou seja, mais pessoas com o mesmo problema e que talvez nunca tinham debatido sobre este assunto) foi a proximidade desta área com o botão das calças (jeans principalmente) e com a barra de lugares como a pia. Ou seja, você vai lavar louça, se apoia ou encosta sem perceber na bancada e, aos poucos, pelo contato do tecido com o botão, o tecido vai desgastando. Claro que tudo isso combinado com a baixa qualidade das malhas atuais, porque não me lembro da minha mãe e da minha avó reclamando deste problema.

furinho-misterioso-camiseta

Faz sentido, mas não me convenceu totalmente…

O que vocês me dizem? É isso mesmo? Acontece com vocês?

(PS: antes que perguntem o que este assunto tem a ver com um blog de crafts, já respondo que cansei de costurar e remendá-los)

31 out 13
craft tour
Um tour pela Peluqueria (Bogotá)
por Claudia

peluqueria-bogota

Descobri a Peluqueria totalmente por acaso, passeando aleatoriamente pelo centro antigo de Bogotá. Tinha lido sobre eles em um artigo, dizendo que valia a pena conhecer. E realmente valeu! Vejam as fotos do lugar.

peluqueria-ambientes

Uma visão geral do espaço. A entrada era uma portinha bem pequena e discreta, que por um corredor estreito, levava a este salão com vários ambientes. É um cabeleireiro, mas também é loja, espaço de eventos, brechó e bar. Tinha tanta coisa pra ver que fiquei meio perdida nos primeiros minutos. Me lembrou os lugares que o The Selby fotografa.

peluqueria-cabeleireiro

Como eu cheguei lá por acaso, sem planejar, demorei a associar este era o mesmo lugar que já tinha lido a respeito. Daí mencionei um trecho da matéria que saiu no jornal, que dizia que nessa “peluquería” às quartas-feiras o corte de cabelo era de graça, desde que o cliente deixe fazer o que quiser! O pessoal de lá, muito simpático, achou engraçado eu saber desse detalhe tão específico, mas foi isso que  confirmou que sim, era lá mesmo. Olhem os detalhes do salão, as cadeiras misturadas de vários lugares e épocas, o espaço para tingir e pentear. Olhem também que legal na prancheta a ficha de cliente em papel laranja.

peluqueria-el-piojero

Tem também a parte de loja e brechó, com uma mistura total de roupas e objetos. Adorei o telefone verde, que eu apelidei de “telefone do país das maravilhas”, por causa da etiqueta de “atenda-me” :) Mas o melhor é a placa de “garash shop”, pronúncia literal de garage por quem fala espanhol, ri muito. E a Elna? Lembrei do tio faso, que também tem uma!

peluqueria-objetos

As últimas fotinhos. O grafite da sereia na parede, na parte aberta da loja, com plantas. O chão de ladrilho hidráulico (desabafo: sou muito mais eles do que os porcelanatos da vida!). Almofada de crochê da vovó (ensinamos aqui) em uma poltrona literalmente da vovó! E brincos super legais, desenhados e feitos a mão. Não falei que os colombianos eram muito criativos?

Para conhecer:
Casa Candelaria
Cra 3 No. 12d – 83 (nueva)
Centro Histórico Bogotá-Colombia
telefone: 320 864 40 83
site: www.lapeluqueriabogota.com

24 out 13
casa craftreciclagem
DIY: como furar xícaras para usar como vasinhos
por Claudia

Vasinhos que eram xícaras

Faz tempo que estava querendo fazer isso, de transformar xícaras em vasinhos. Para as plantas viverem bem e saudáveis, a água precisa sempre escoar, não pode ficar acumulada. Ou seja, precisei descobrir como se faz para furar porcelana ou cerâmica. Dá para fazer em casa, mas eu recomendo muito cuidado. Se você não estiver acostumado a usar furadeiras, melhor pedir ajuda e fazer com alguém mais experiente. Desde criança, sempre acompanhei meu pai neste tipo de afazer doméstico, então foi mais tranquilo. Mas mesmo assim, durante o processo existia uma tensão no ar. Uma coisa é furar parede, outra é furar uma xícara, mais leve, que pode escorregar, estourar, enfim. Cuidados redobrados, por favor!

Vasinhos que eram xícaras

Além da furadeira (ou Dremel), você vai precisar de duas coisas muito importantes: fita crepe e óculos de proteção. A fita crepe é para evitar que a porcelana rache, ela segura e ajuda a fazer um furo mais preciso e “limpo”. Já o óculos… é por segurança. Um dos meus primeiros empregos foi na área de comunicação em uma fábrica – a gente sempre produzia muito material, folhetos e cartazes sobre segurança no trabalho, uso de equipamento de proteção individual, etc. Eu mesma me convenci :) Não dá para abrir mão.

Vasinhos que eram xícaras

A fita crepe é para fazer um X no lugar onde você vai furar. Faça um furinho com algo pontudo em cima da fita (pode até ser com a ponta de uma caneta Bic) pra posicionar o ponto da broca e ela não escorregar. Mas ela não faz milagres. Se a cerâmica for muito fina e delicada, não vai resistir com a pressão e a vibração da furadeira. Escolha xícaras mais grossas. Na furadeira, o ideal é usar uma broca especial para este tipo de superfície. Em lojas de material de construção você pode pedir uma que seja específica para vidro e porcelana. Confesso que usei a de concreto, mas não recomendo, porque demorou muito e achei que não iria dar certo.

Importante:
. A furadeira precisa entrar em um ângulo de 90 graus em relação às xícaras, ok?
. Apoie bem a xícara em um lugar que não escorregue e fique firme. É bom também colocá-la sobre um apoio macio.
. Vá furando devagar e aos poucos, sentindo o material. Você controla a pressão e a potência – e não o contrário.
. Use o óculos de segurança! Sempre pode escapar ou voar alguma coisa, melhor estar protegida!

Vasinhos que eram xícaras

Ah, vale dizer que eu dei uma ‘pimpada’ nas xícaras. Na de bolinhas, que estava lascada, eu dei uma lixada nessa parte exposta. Na branquinha (que na verdade era um açucareiro que perdeu a tampa), eu usei a caneta para porcelana e fiz uns desenhos pra enfeitar (precisa levar ao forno para fixar, tem um post sobre isso aqui).

Vasinhos que eram xícaras

Depois, eu coloquei pedrinhas no fundo dos vasos para ajudar a escoar a água, sem o risco de entupir. Completei com terra e transplantei umas plantinhas que estavam em vasos simples de plástico e a da esquerda são mudinhas de manjericão. E a da direita é uma suculenta.

Agora que eu aprendi isso, não vou ficar mais tão chateada se alguma peça estragar. Vasos pra plantas estou sempre precisando!

21 out 13
outros bla bla blas
Cortador de lã da Imra
por Claudia

Smyrna, cortador de lã

Nunca imaginei que tanta gente acertaria a resposta quando eu perguntei o que era o tal de Smyrna Wollschneider antigo que achei em um armarinho!

É um cortador de lã muito prático para quem faz tapeçaria em ponto esmirna ou em outras variações que precisem de fios cortados no mesmo tamanho. 1) Wollschneider, como bem notou a Fernanda, significa “cortador de lã”, em alemão. 2) Smyrna (ou esmirna) é principal a indicação de uso. E 3) Imra é o fabricante deste ‘gadget’.

Parabéns à Silvia Paulita, que em menos de 5 minutos foi a primeira a comentar no Facebook, e, pra deixar a brincadeira rolar, disse que não iria ‘cortar’ o barato. Olha também quem acertou pela fanpage: Day Cardoso, Luciana Portella, Carine Isono, Daniela Mozardo, Tatiana Zuccaro, Renata Corsini, Maria Andrea Aguiar, Rosamaria Athayde, Fabiana Ferreira, Marilza Garcia, Blanca Patrocinio e Ana Paula Pina Cavagnoli.

E pelos comentários aqui do blog mais acertadores: Melissa Metidieri Batista Schiffini, Naftalina, Heloisa, Raissa Monteiro, Marcia, Carina, Fernanda Gomensoro, Dora Silva, Soraya Wallau, Regiane, Luciana Roquini, Fernanda, Maria Elisa, Fabiana Ferreira, Sarah, Izabel, Silvia, Andrea, carla, Silvia Orchidea, Lan Succi, Tina, Vivianne, mecia ceccarelli, Denize Marcassa.

Me diverti com os palpites malucos e a criatividade nas respostas: abridor de latas, fazedor de pompons, enrolador de meadas, tirador de ar de embalagens… Mas adorei ouvir as histórias de quem tinha, usou ou lembrou de alguém da família usando o objeto! Me senti tão iniciante em nunca nem ter ouvido falar de ponto esmirna, mas sempre é tempo de aprender.

Smyrna, cortador de lã

Aqui, eu passei a lã (paratapet) pelos caminhos indicados: A > B > C . Tudo bem explicado, como imagina-se de um projeto alemão.

Smyrna, cortador de lã

Aqui, a lã fazendo a volta por cima e a lâmina que corta os pedacinhos. Este aparelho corta tudo em um tamanho só (cerca de 6,5 até 7 cm) – pré-requisito para quem faz este tipo de arte. Mas existem outros que permitem a regulagem e definição do tamanho, como bem lembrou a Vivianne (“Minha avó tinha uma parecida, a dela era tipo uma manivela de madeira, e tinha marcações de caneta, e cortava qualquer medida que se quisesse, usando a marcação da caneta pra repetir”).

Smyrna, cortador de lã

Olha aí os pedaços de lã cortadinhos do mesmo tamanho, assim o tapete fica com um acabamento legal e com os fios uniformes. A promessa do equipamento é cortar tudo mais rápido, uniforme e certinho. Eu testei usando uma grade de plástico (o ideal seria em uma base de tapeçaria) e com uma agulha adaptada – a agulha certa tem uma curvatura na ponta, que facilita a passagem pelos “pontos”,

Smyrna, cortador de lã

No manual de instruções (tinha um, mas eu não contei se não tirava a graça da brincadeira :), há uma explicação de como fazer o ponto esmirna – precisa usar uma agulha com essa ponta de gancho.

Prometo voltar e mostrar o gadget em funcionamento em um vídeo – só com foto não dá pra captar tudo – e ensinar um projeto legal de tapeçaria com este ponto. Aguardem!

Obrigada a todos que participaram do desafio, foi muito legal :) Espero que tenham gostado.

Página 31 de 274Primeira...2930313233...Última