07 mar 13
outros bla bla blas
Se quebrou, tem quem conserte (ainda!)
por Claudia

Este é um post de desabafo, alegria e compartilhamento de uma descoberta – não confundam com post patrocinado!

dremel consertado!

Eu sou daquelas que usa as coisas até o final, até gastar, até acabar. E quando a roupa, utensílio ou objeto perde sua vida útil, eu ainda gosto de por a cabeça para pensar e ver dali sai uma nova utilidade. Tem aí um pouco de carinho pelas coisas que escolho, consciência ambiental e desafio criativo (na última etapa).

Eletroeletrônicos quebram (muitas vezes beeem antes da hora – vale ler sobre obsolescência programada), a gente sabe! Mas quando isso acontece, está cada vez mais difícil de achar quem conserte as coisas. Como meu caso teve um final feliz, divido a dica com vocês. Vejam!

Faz uns dois anos comprei um Dremel sem fio – é como uma mini-furadeira com brocas e pontas que podem ser trocadas, ferramenta super parceira e companheira para vários projetos aqui do Superziper. Como a minha é sem fio, ela veio com uma fonte que eu coloco na tomada para recarregar a bateria. Isso sempre funcionou bem até que… eu mudei de casa e, em um ato distraído, explodi a fonte colocando-a para carregar em uma tomada 220v (não identificada), e ela era somente 110v.

Resultado? Medi todas as tomadas da casa e coloquei etiquetas de voltagem, pra não acontecer de novo, né? E também penei em uma busca que durou meses, indo atrás de peças de substituição, assistências técnicas ou lugares que pudessem reparar a fonte do Dremel.

Em resumo: o fabricante não conserta a peça, não vende avulsa e a fonte vem vedada de fábrica. Antigamente essas e outros componentes eram fechadas com parafusos – eu me lembro, porque desde criança via meu pai abrindo as coisas e mexendo nos fios. Mas agora, se estragou, é para jogar fora mesmo. O negócio veio grudado de uma forma que mesmo querendo, não consegui abrir para ver o tamanho do estrago. Ou seja, uma mentalidade de que “se quebrou, é para jogar fora mesmo”. Horrível…

E detalhe que este produto justamente é feito para aquelas pessoas que gostam de colocar a mão na massa, que curtem consertar, mexer, fuçar. Pois bem… Teimosa que sou, continuei a busca.

Pela internet, achei a fonte para vender no Ebay e na Amazon, mas o preço do frete inviabilizava totalmente a compra.

Então resolvi andar pelo bairro, procurando lojinhas de assistência, técnicos e pessoal de lojas de ferramentas. E se tivesse um café conserto em São Paulo eu teria ido. Enfim, levei vários nãos e depois também ouvia um lamento de como essas coisas são hoje em dia. Na visita à Casa das 3 Meninas, alguém comentou sobre um lugar na Santa Ifigênia que montava fontes, assim, do zero. Corri pra lá, mesmo sem nomes e referências, e fui atrás dessa tal loja. Falei com um, com outro, e no fim me indicaram a Nodaji, uma loja de fontes, que também têm no primeiro andar uma área de assistência técnica. Deixei a peça lá com eles para avaliação e orçamento. A boa notícia é que em uma semana me ligaram dizendo que dava para arrumar e custaria 20 reais!

Como muita gente passa por aqui e pode ter algo encostado em casa, faço questão de compartilhar esta descoberta. Se eu soubesse antes, teria me poupado um tempão e encurtaria o tempo que o Dremel ficou encostado sem uso. Lá na loja vi muita gente levando fonte de notebook para arrumar – senão me engano isso eles consertavam na hora mesmo.

Nem preciso dizer da alegria de ter meu Dremel de volta funcionando. Comemorem também porque tem vários projetos prontos para desengavetar. Semana que vem vou mostrar um mini-vaso para suculentas, aguardem!

Fogão ajustado

Aproveitando a seção “alguém sabe como consertar”, quando me mudei para essa casa, tinha um fogão Brastemp dos anos 70 – esse aí da foto, reparem no logo do esquimó, direto da infância! Chamei uma assistência técnica, a Ressu-gaz, para dar ver se estava tudo ok, dar uma calibrada nas bocas, saídas de gás, etc. O senhor que me atendeu era muito experiente e foi fantástico. Já estava com medo que ele viesse com aqueles papos de que ‘isso era coisa velha, que já existiam fogões mais modernos e melhores, que esse era ultrapassado’. Mas aconteceu justamente o contrário. Ele desparafusou a tampa com prazer e disse que dava gosto de arrumar eletrodomésticos antigos. “Esses sim duram!”.

Serviço:
- Nodaji (fontes), Santa Ifigência, São Paulo, SP. Site: www.nodaji.com.br
- Ressu-gaz (fogões e aquecedores), Santa Cecília, São Paulo, SP. Site: www.ressugas.com.br

06 mar 13
blogueira convidada
Páscoa Handmade: Saquinho Orelhudo
por Andrea

pascoa_abre

Projetos e fotos por Lívia Costa, da Coelhoshow

“Olá leitoras do Superziper, aqui estou eu, mais uma vez, trazendo para o blog o meu tradicional projeto de Páscoa. Tradicional pois os PAPs sobre este tema fica sob minha responsa. Lembram dos ovos pintados, os Bunnegs?  Esse ano vamos mudar os materiais, vamos da casca de ovo para…..tecido!

Minha proposta este ano é fazer um saquinho em forma de cabeça de coelho para rechear de bombons e quitutinhos e dar para as crianças, as amigas, a sogra, os sobrinhos, a cunhada, a professora… ufa, a lista é extensa então vamos começar!

pascoa1

Fiz o saquinho com feltro pois considero um material divertido e fácil. Pra mim feltro é como se fosse o “giz de cera” dos tecidos, tem cores vibrantes e é fácil de trabalhar sem acabamento. Além dele usei retalho de algodão, linha de bordado, botões e um fita para o laço.

 

pascoa2

O molde é bem fácil, você consegue fazer sozinha, no tamanho que achar melhor para o seu saquinho. Basta cortar um quadrado com orelhas de coelho no topo. Trace num papel e copie e corte duas vezes no feltro.

 

pascoa3

Agora vem a parte mais gostosa. A hora de fazer um rostinho bem fofo de coelho em uma das partes. Para área das orelhas e bochecha, recortei retalhos coloridos com tesoura de ziguezague e costurei a máquina (mas vale pesponto à mão, claro).

Bordei o traço da boca  com linha de bordado preta e usei um botão vermelho para o nariz. A dica é use os materiais que você tem em casa. Se você não for muito chegada num bordado pode desenhar com caneta de tecido ou fazer olhos com botões. Que tal o desafio de fazer vários coelhinhos sem repetir os rostos?

 

pascoa5

Depois é só costurar toda a volta, nem precisa ser do avesso do tecido. Lembre de deixar aberto apenas o espaço entre as orelhas, ai que será a ‘boca’  do saco , onde você vai colocar as guloseimas. Feche com um laço caprichado!

Esse dá para todo mundo fazer, fácil de costurar na máquina ou na mão. Fica a dica de uma embalagem artesanal e super personalizada.  Que tal encher de bombons  caseiros ou mimos que a pessoa irá gostar e guardar? Acho que é mais carinhoso que dar um ovo de páscoa industrializado igual a todo os outros. No fundo chocolate é chocolate,  mas a embalagem pode e deve ser especial e craft!
Espero que tenha uma páscoa maravilhosa com muito chocolate, pouca dieta e junto de quem você ama.
Beijos
Lívia Costa

 

05 mar 13
outros bla bla blastricô e crochê
Cenas do Piquenique & Crochê
por Claudia

Piquenique & crochê: mãos

Nosso  piquenique & crochê deste domingo foi muito legal! O dia ajudou, com um sol gostoso e grama macia. Além de linhas e agulhas, tivemos muito papo e comidinhas gostosas.

O tema do dia era “crochê caneca” e a prática era aberta de super-iniciantes a mãos totalmente experientes! Foi muito legal ver gente aprender do zero a usar nas agulhas e terminar o dia com um pequeno projeto finalizado :).

O pessoal também aproveitou para trazer criações, materiais diferentes e dúvidas, para conversar e trocar ideias com quem estava por lá. Aqui dá para ter uma palhinha do que rolou.

Piquenique & crochê: criações

O dia foi tão produtivo que teve gente que conseguiu fazer mais de uma roupinha para caneca. A Andrea por exemplo fez uma capinha para maçã.  Rolou também troca de material, uma testando a lã da outra, experimentando agulhas diferentes, tamanhos novos. Este é o mais legal, a troca! Por isso que a gente gosta tanto :)

Piquenique & crochê: canecas

Você pode ver mais fotos deste piquenique aqui. Convidamos também quem esteve por lá a compartilhar suas fotos na nossa fanpage no Facebook!

Pelo jeito piqueniques definitivamente estão na m0da. No mesmo espaço tinha mais dois piqueniques acontecendo ao mesmo tempo. Prometemos que na próxima vez vamos levar uma plaquinha escrita “Superziper” para facilitar a identificação. Uma das nossas convidadas  contou que quando perguntou para o outro grupo se “ali era o piquenique do Superziper?”, alguém respondeu dizendo que não conhecia um menino com esse nome!

Sempre que um encontro acaba a gente fica com vontade de organizar outro. E já temos ideia para um projeto coletivo super legal para o próximo piquenique.  Até o próximo, então!

27 fev 13
outros bla bla blas
Crochê & piquenique neste domingo, vamos?
por Claudia

piquenique & croche

Neste domingo tem piquenique e crochê, ueba! Vamos levar uns bolinhos e brigadeiros pra comemorar ao vivo com quem puder participar o aniversário de 6 anos do Superziper. Entre um docinho e outro, a ideia é crochetar muito. Traga agulha, linha e seus projetos engavetados para curtir o dia na grama!

Quem não sabe também pode aproveitar para aprender. Vamos ensinar o básico para fazer a peça do dia: o crochê caneca. Aqui tem um post polêmico ensinando e explicando o que é!

Piquenique & Crochê
Domingo, dia 3 de março de 2013
Parque Buenos Aires
Av. Angélica, 1500, Higienópolis, São Paulo, SP (mapa e direções)
Local: estaremos logo perto da entrada, no gramado de piquenique
Horário: das 10h30 às 16h00

E se chover?? Por enquanto, a previsão do tempo é boa, nada de chuva no radar ou sol escaldante. Mas se chover, a gente adia o evento, ok? Na véspera, no sábado, a gente avisa pelo Facebook confirmando.

Página 40 de 264Primeira...3839404142...Última