26 jul 11
costuraoutros bla bla blas
Diga aí: Banho nos tecidos
por Andrea

tecidos

Sabe aquele texto  hiper mega replicado na web do eu sei mas não devia? Aplicado ao mundo dos crafts ficaria assim:  A gente se acostuma a  cortar papel com tesoura de tecido – e bye bye afiação. E esquece de alinhavar à mão e ganha uma costura toda que tem que ser refeita depois.  E costura paninhos  coloridos sem lavar antes…..  Um assunto polêmico que merecia uma enquete ;).

Eu sei que em tese a lavagem serve para testar o tecido e assim evitar surpresas desagradáveis como desbotamento e/ou encolhimento quando a peça pronta for lavada. Mas lavar também tem seus contras:

:-/  O tecido lavado perde um pouco do frescor do tecido novinho. Sabe o brilho e cheiro  de tecido novo ? Pode sumir na lavagem.
:-/  Pode ficar amassadinho e por mais que você passe nunca voltará a ter a perfeição do tecido não lavado.
:-/ E todo o tempo de espera até o tecido secar?  Segura a ansiedade!

E que fique claro que o banho, é na verdade um *molhar*. Não precisa (nem deve) usar sabão, esfregar ou jogar na máquina. Quanto menos manipular o pano melhor, a ideia é usar a água penas para retirar a goma que vem da fábrica.

Faça assim: Mergulhe os tecidos dobrados mesmo numa bacia com água conforme a foto  abaixo. Deixe  de molho por volta de duas horas.  Se o tecido soltar tinta  (a água  ficará colorida), troque  a água várias vezes até que fique transparente.  Se o tecido estiver desbotando muito  um truque é colocar uma pitadinha de sal ou uma colher rasa de vinagre branco  na última água do enxague para fixar a cor. Deixe secar à sombra e passe à ferro – na temperatura indicada para o tipo de tecido.

tecidos2

Aproveitei o para fazer um teste de lavagem com estas amostras de tecido de algodão super coloridas que eu ganhei da Eva e Eva. Soltaram só um mínimo de tinta, nada grave, em geral se saíram super bem no teste do banho.

Acho que se eu vendesse minha peças com certeza lavaria os cortes de tecidos um por um antes de costurar, por precaução. Imagina um cliente reclamando que a roupa encolheu, péssimo! Mas como eu costuro para mim muitas vezes escolho  viver perigosamente e não lavo. Confesso que na maioria das vezes fico muito ansiosa para usar logo o tecido que acabo pulando a etapa banho. Eu sei, eu sei que não devia….  não me julguem.

E vocês, lavam seus tecidos?  Podem abrir o jogo:
Voce da um banho pre-costura nos tecidos novos?
Sempre! Acho fundamental.
As vezes. Dependendo do tecido ou do projeto, lavo sim.
Sei que deveria mas na prática quase nunca lavo.
Precisa dar banho em tecido? Fiquei sabendo disso só agora !
pollcode.com free polls
E com este post estamos retomando os posts com dicas de costura aqui no Superziper.  Já estava na hora, né ?
26 jul 11
costura
Passador de linha automático
por Claudia

Needle threader

Todo mundo deve conhecer aquele passador de linha pequenininho, feito de alumínio, que vem em praticamente todo kit de agulhas ou de costura chinês. Com certeza vinha no kit de cestinha porque quando eu era pequena nunca entendia para quê aquela coisinha servia.

Mas dia desses, herdei da mãe de um amigo esse passador de linha automático vermelhinho (em inglês, automatic needle threader, ou desk needle threader). O nome é tão comprido que parece coisa daqueles programas de TV 1406 . Achei que era uma boa oportunidade para resgatar a coluna “FAQ de Armarinho” e mostrar para vocês o gadget  que não muito conhecido por estes lados. Me parece que na Europa é bem comum – este da foto é inglês, dos anos 70. Nos EUA e Japão, com a força do patchwork, este acessório voltou a ser fabricado nos dias de hoje por marcas como a Clover e outras.

Como vermelho é uma cor que sempre estoura na foto e não deu para registrar o desenho do meu passador. Resgatei um truque do Manual dos Escoteiros Mirins (eles usavam com moedas) e com a ajuda de um lápis passei para o papel para vocês verem que bonitinho.

Needle threader

Mas afinal como ele funciona?
1. enfie a agulha na “chaminé”, com a ponta para cima e o lado do furo para baixo;
2. coloque a linha que quer usar no passante;
3. aperte o botão – ele vai empurrar a linha pelo buraco;
4. puxe a linha e pronto.
5. se precisar, corte a linha na lateral (tem uma faquinha embutida)

Se não deu para visualizar, achei vários vídeos no Youtube mostrando o acessório em funcionamento:

E o assunto passasdor de linha não para por aí. Descobri outros modelos parecidos:
Perfecto 
Transparente
Japonês 1
Japonês 2 
♥  Da marca Clover

Prós e contras
. Funciona, mas só com as agulhas certas. O meu funciona só com as de tamanhos 8, 9 e 10
. É mais um gadget ocupando espaço, então só vale o investimento se você achar um pequeno e baratinho no Ebay (procure por desk/ auto/ automatic needle threader). Achei em um único site brasileiro por 50 reais!.
. Quebra um galho para quem tem dificuldade, mas o velho e bom passador de kit de costura é mais portátil e funciona igual.

21 jul 11
craft tour
Visita à Tender Buttons em NY
por Andrea

Tender Buttons

Continuando com nosso guia craft de NY, chegou a hora de mostrar a loja de botões mais bacana da cidade,  a Tender Buttons, no Upper East Side de Manhattan.

A Claudia ouviu falar desta loja pela primeira quando visitou uma exposição de botões em Paris no ano passado.  Grande parte das coleções expostas vinha da Tender Buttons, que é na verdade um misto de loja e museu de raridades

Tender Buttons

É dificil achar um adjetivo para definir a Tender Buttons. Excêntrica, à moda antiga e excepcional seriam alguns deles. O que mais esperar de uma loja cujo nome vem de um livro da poeta Gertrude Stein?

Tender Buttons

A Tender é pequena, mas extremamente cheia e organizada. Lá dentro a sensação é de estar num túnel do tempo dos botões. A loja é basicamente um corredor comprido com muitas e muitas caixas empilhadas cobrindo todas as paredes laterais. Dentro de cada uma delas botões de osso, marfim, baquelite, fita, cristais, metais….  Imagina um botão bem raro, de qualquer cor e formato. Eles têm.

A não ser que você já tenha um botão específico em mente – neste caso é só ir direto ao balcão – corre o sério perigo de ficar horas vasculhando as caixas em busca de pequenos tesouros.

Reparamos que TODOS os preços estavam escritos à lápis e com a caligrafia da dona da loja – um trabalho pessoal acumulado de décadas. O mais legal era ler as definições/comentários escritos nas caixas. Pérolas espirituosas como “Isso não é uma aspirina” para o botão grande e branco, “Diamonds are the girls best friend” para o botão com cristais, “Making a fashion point and great for rush hour” na caixa de botões italianos dos anos 60, “Raros botões sombreados em um tom subliminar de fundo”.  Descrições tão impagáveis quanto o conteúdo das caixas.

Passada a tarefa difícil de escolher os botões é só levar as caixas até o fundo da loja para fazer pagamento (e chorar um pouquinho, hehe). Hora de ouvir as vendedoras fazerem comentários como “Este botão deve ter morrido de causas naturais….” – sobre um modelo que não existia mais no estoque e “Desculpe, só em dinheiro. Somos uma loja a moda antiga”, ao perguntarmos se aceitavam cartões de crédito.

Tender Buttons (NY)IMG_3564

Esta foi a compra da Cláudia, um maxi botão em madeira, fitas antigas e fio de linho.

Eu levei mini botões de baquelite vermelho e o botão de osso da foto acima, que já foi aplicado numa gola de tricô.

Este video mostra um pouco mais da loja por dentro.

É bom ter as expectativas certas ao entrar em uma loja como a Tender Buttons. Os botões são caros e vendidos por unidade então não espere encontrar nenhuma pechincha. Mas vale  a visita pela excentricidade da loja. Para os nossos padrões brasileiros e de épocas de fast craft – acabei de inventar uma palavra – e ficar cercada de tantos objetos especiais.

Adoradoras de botões, anotem o endereço:

Tender Buttons

143 E. 62nd Street

New York, NY 10065

19 jul 11
fashionoutras técnicas
Apresento a vocês a tulma boliviana
por Claudia

Tulma aplicada no xale

Tulma é um enfeite de fios que as bolivianas usavam pendurados nas pontas de suas longas e longas tranças. Vi mocinhas, senhoras e mulheres de todas as idades usando estes pingentes na minha passagem pelo país. Com muita sorte, encontrei para vender em uma loja de souvenir. Não eram lembrancinhas para turista – são acessórios para vestir no dia a dia. E são usados aos pares, conectando uma trança à outra.

Quando comprei, achei que usaria de enfeite em casa ou como pingente para alguma chave. Mas antes de fazer qualquer coisa, quis procurar no internet mais sobre a história deste item que parecia ser tão tradicional. Mas acredite se quiser, há pouquíssima informação porque que no fim as pessoas escrevem sempre sobre as mesmas coisas. Acho que  precisamos de mais gente falando de crafts de outras culturas.

Acabei decidindo aplicar minhas tulmas em uma peça de roupa, achei que alguma conexão com sua função original. E com a chegada do frio, veio essa ideia de costurar um pingente em cada ponta de uma manta de lã. Como comprei dois pares, deu certinho.

Aproveitei também para desconstruir a tulma e entender como foi feita para ensinar por aqui. Devo avisar que foi um aprendizado baseado na observação e inventei minha maneira de fazer. Se gostou e quer aprender, mãos à obra. É um projeto bacana para fazer usando fios, mesmo se você não sabe fazer tricô ou crochê.

Tulma: materiais

Você vai precisar de:
. lã bem fininha, do tipo usada em peças de bebê
. caderninho ou cartolina para enrolar a lã
. pregadores ou clipes de cabelo para separar a lã
. tesoura

Tulma: como fazer

1. Comece enrolando o fio de lã em um caderninho ou pedaço de cartolina. Escolha uma peça da altura que quer para a sua tulma

2. Com essa lãzinha vermelha, eu dei 60 voltas. Ou seja, fiquei com 120 fios. Mas não é uma regra, você vai ter de adaptar dependendo da espessura do fio  que estiver usando

3. Quando terminar as voltas, passe um fio na parte de cima para amarrar todos os fios

4. Solte a “meada” do caderno/cartolina e amarre bem

5. Corte as pontas de baixo, fazendo um pingente

Tulma: passo-a-passo

6. Divida o pingente em 3 partes. Se tiver paciência, conte os fios e divida igualmente. Eu dividi a olho.

7. Você vai fazer um pingente de cada vez, então separe as duas partes que não for usar usando pregadores ou clipes de cabelo

8. Pegue um fio do próprio pingente e faça um “gominho” amarrando bem em volta do chumaço

9. Mantendo a mesma distância, repita e faça mais “gominhos”. No meu pingente, fiz 6.

10. Repita o mesmo nos outros 2 pingentes

11. Para dar acabamento, amarre os três pingentes enrolando um fio em volta dos primeiros “gominhos” de cima

Tulma: finalizacao

12. Para finalizar, apare as pontas com uma tesoura. Deixe os três pingentes com a mesma altura de fios

13. Nesta foto dá para ver a diferença no resultado final, dependendo do tipo de fio utilizado. O preto é o único de lã. O branco e o vermelho foram feitos com fios de algodão e ficaram mais murchos, com menos volume.

Manta com tulma

Apliquei preto no preto, mas com tulmas coloridas e  até em cores fluorescentes deixaria a peça mais chamativa.

Este xale que estou usando é simplesmente um retângulo de tecido de lã com as tulmas costuradas nas quatro pontas. Dá para usar como xale/cachecol ou como mantinha – uma delícia para se enrolar e levar no cinema nesses dias de frio.

Página 80 de 269Primeira...7879808182...Última