26 nov 09
tricô e crochê
Confissões de uma iniciante na arte do crochê
por Claudia
Projetinhos de crochê

Decidi escrever este post, e dividir minhas desaventuras no crochê, para mostrar que ninguém nasce sabendo e que todo mundo se atrapalha no começo. Esta foto mostra os três primeiros projetos que fiz. Apesar de ter editado os vídeos e filmado a Andrea para a série Aprenda Crochê com o Superziper, eu mesma ainda não tinha me empenhado muito na técnica. Está certo que fiz muitos quilometros de ponto correntinha – esse era fácil, mas vou confessar que eu tive um pouco de preguiça de pular para o próximo nível, os pontos baixo e alto. Mas neste fim de semana que passou, por motivos de força maior tive de ficar em casa, e acabei naquelas de pegar lã, agulha e notebook (para fazer vendo os vídeos) e comecei a praticar. Vejam os resultados.

Aprendendo crochê Quadrado (?) de crochê
Este quadrado (?) branco foi a minha primeira lição. Ele ficou tão torto, mas tão torto, que tive de costurar um pedaço de tecido por trás para dar um formato. Acho que dá para perceber que os pontos estão bem irregulares, os buracos me denunciam. Ao terminar, meu nível de felicidade era 10 – afinal, uau, consegui fazer alguma coisa em crochê. E isso em menos de uma hora. E aprendendo sozinha, apertando o botão de backwards do Youtube várias vezes.
O quadrado laranja foi a segunda peça. E tanto nessa como na outra pratiquei o ponto alto – achei que era mais fácil. Aqui os buracos continuam, mas o formato quadrado pelo menos está mais evidente. Me perdi um pouco, mas completei bem a lição. Ao terminar, felicidade 8, empolgação 10. Gente, eu estou conseguindo!
Começando a fazer crochê Pulseira de crochê
E mais um quadrado de novo. Aqui comecei a praticar o ponto baixo. Fiquei bem feliz com o resultado. Gostei da combinação do ponto e do tipo de lã que usei, o efeito final ficou legal. É claro que dá para melhorar, mas para o primeiro dia está bom demais. Felicidade 9, empolgação ainda 10. Bem animada.
Quarto projeto? Comecei a “soltar” a imaginação. Vejam que criativa, com uma tirinha de correntinha e pontos altos eu consegui fazer uma pulseira. Ficou maior do que deveria, então improvisei com um botão para fechar. É claro que não vou usar isso. Mas pelo menos aqui já comecei a dar utilidade para a técnica recém aprendida. Felicidade 8, empolgação 9 e muito cansaço mental.
Terminei o dia me inscrevendo no Ravelry, me inspirando com fotos dos grupos de crochê do Flickr e fazendo uma listinha mental de próximos projetos. Agora não vejo a hora de chegar o fim de semana para eu comprar umas lãs legais e voltar a crochetar.
Minha mensagem para quem nunca tentou: aceitar que não dá para acertar de primeira, nem de segunda ou terceira. Tem que insistir que alguma hora sai. Mas precisa treinar até se sentir a vontade, até sair no piloto automático. Eu ainda seguro a agulha de um jeito meio esquisito, mas senti que os pontos estão deslizando com mais facilidade. Não achei ainda o jeito certo de segurar a linha com a mão esquerda, mas já está melhor do que no começo. Minha meta agora é conseguir crochetar e ver TV ao mesmo tempo. Eu chego lá…
**********************
Também no Superziper: Projetos de crochê é o que não falta por aqui. Vou reler os seguintes posts: flor de crochê ensinada pela Carola do Pintinho Coloridinho, roupa de crochê para copos e xícaras e, o mais desafiador de todos (que já fiz umas quatro tentativas e ainda nada), os famosos quadrados da vovó.